segunda-feira, dezembro 27, 2010

Retrospectiva

Final de ano chegando e é inevitável analisar com um ar de nostalgia o resultado de mais um ano que passa em nossas vidas. Hora de constatar se atingimos nossos objetivos, identificarmos nossos erros e renovarmos nossas esperanças e desejos para mais uma temporada que começa.

E o ano colorado, como foi?

Os acertos
  • A compra da totalidade dos direitos de Giuliano.
  • A substituição de Fossati por Celso Roth, culminando com a conquista da libertadores e o melhor futebol colorado no ano na reta final da competição continental.
  • A priorização da Copa Libertadores.
  • A repatriação de Tinga e Sóbis e a manutenção de Kléber, D´Alessandro e Guinazu.
  • Investimentos pesados em futebol, que é a razão de ser do clube. Mesmo com os equívocos, ninguém acerta tudo, e só com investimentos maciços e planejamento se conquista títulos.
Os erros
  • O abandono do Campeonato Brasileiro, que culminou em falta de competitividade e entrosamento da equipe principal, resultando em um péssimo segundo semestre
  • A falta de reposição de qualidade a atletas fundamentais como Sandro e Taison.
  • Insistência no esquema 4-5-1 após a saída de Taison.
  • Contratações caras e/ou de retorno quase nulo e insistência excessiva em atletas de baixa qualidade ou em declínio técnico. Edu, Ilan, Rodrigo, Alecssandro, Índio, Wilson Mathias, Ronaldo Alves, Bruno Silva, Daniel, Leonardo

As decepções
  • Marquinhos, ao qual, ao nível pessoal, esperava que fosse a grande afirmação em 2011.
  • A renovação do contrato com o Banrisul por valores muito abaixo do potencial de mercado.
  • Mundial FIFA.
  • Participação sem ambição no Campeonato Brasileiro.

As conquistas
  • Da América. A maior conquista de um clube brasileiro em 2010.

As apostas
  • Dalton, Oscar, Ronaldo Conceição e Leandro Damião.

Saldo

Sei que o fracasso do mundial deixou um gosto ruim na boca de todos os colorados que tão cedo não vai passar. As expectativas eram muito grandes, e o desempenho, foi, no mínimo, muito, mas muito aquém do esperado.

Entendo a passionalidade do torcedor e a frustração que impera no momento.

No entanto, ao meu ver, o ano foi muito bom para os colorados. Não é todo ano que se conquista uma Libertadores da América.

Se você discorda, pergunto. Quem foi o grande vencedor no futebol brasileiro? O Santos, que ganhou uma Copa do Brasil esvaziada? Ou Fluminense que venceu o Brasileirão que a CBF tentou de todas as formas dar ao Corinthians? Ou por fim o coirmão, cuja última taça de “relevo” foi uma Copa do Brasil no distante 2001 e que agora, em vez de títulos, prefere comemorar vagas?

Nenhuma dessas “conquistas” supera uma Libertadores da América. O torcedor colorado não pode se deixar influenciar pelo “agora”.

Mas no momento em que a imprensa sensacionalista passa um rótulo de FIASCO, tentando superdimensionar os fatos e criar uma onda de terra arrasada, que em nada irá contribuir com a instituição Sport Club Internacional, é importante ter senso crítico e contextualizar o momento.

Todos esperávamos e sonhávamos com o mundial. Seria o “grand finale” de mais um inesquecível ano.

Mas, se há uma lição que fica, é a de devolver um pouco de humildade a todos. Não somos melhores nem piores que ninguém. E me desculpem, mas ganhar sempre nunca é obrigação. Soberba não combina bem com o lado vermelho.

Obrigação é lutar e fazer o melhor.

Trabalho, obstinação, investimentos e criatividade ainda são os diferenciais, e não é nome, peso de camisa ou passado recente que irão nos colocar ou manter na vanguarda.

É hora de se desapegar ao passionalismo e focar as próximas conquistas.

“Espere o melhor, prepare-se para o pior, e aceite o que vier”.

Fiasco?

Se você, influenciado pela flauta gremista, pela imprensa ou pela decepção do mundial acha que 2010 foi um fracasso… então eu pessoalmente espero que 2011 seja um retumbante fiasco. Adoro uma Libertadores! Alias, SOY-LOCO-POR-TRI-AMERICA!

Um ótimo 2011 a todos.