domingo, março 31, 2013

VLOG #2




Este é o Vlog desta semana, falando da reunião do Conselho Deliberativo que vai acontecer amanhã, da expectativa da estréia na Copa do Brasil. Falo também do jogo do final de semana, confere e deixa teu comentário.

André Flores
@ojogodointer



sábado, março 30, 2013

Inter x Esportivo

Pós-jogo:

Foi uma partida fraca do time, considerando o que vinha apresentando com a formação titular: marcação encaixada e sob pressão, recuperação rápida de bola e saída de jogo organizada, sem balão. Isso só melhorou no segundo tempo, quando o Esportivo deixou de jogar para apenas se defender, após ter um jogador incorretamente expulso. O juiz e a sorte (traves) salvaram o Inter ontem. Uma performance assim, nas vésperas do primeiro jogo pela CdB serve de alerta para a comissão, embora possa ser explicada pelos fatores que elenco:

- Aírton não mostrou absolutamente nada nesses três primeiros jogos. Já deveria ter mostrado, o que indica que ou ele é fraco ou está muito fora de forma e ritmo. Porém, não me estresso, sabendo que Willians está para voltar e que Dunga saberá  julgar muito bem se Aírton será útil ou não.

- Dátolo está bem fora de ritmo e não contribui na marcação tanto quanto Fred, embora na minha visão seja mais técnico no ataque. No caso dele é preciso esperar uma sequência de jogos, talvez uns 3 ou 4, para poder decidir entre ele e Fred. Particularmente, não gosto do Dátolo junto com Dale. Sinceramente, acho que Dátolo deveria ser reserva exatamente do Dale. Os dois meio que competem pela mesma função e, assim, até acho que o Dale rende menos com ele. O ideal seria que Fred conseguisse render melhor no ataque, como fez nos seus primeiros jogos. Ele é mais jovem e não compete com Dale e sim o auxilia. Não sei o que houve com ele, mas seu futebol (especialmente na parte ofensiva) diminiu com o tempo. Minha sugestão é: agora com a CdB e daqui a pouco o CBr, deveriam alternatr Dale e Datolo, dando os jogos mais importantes para Dale, claro. Trabalhem alguém para a posição do Fred, talvez até o próprio Josimar ou Willians, até podermos contratar alguém mais capacitado. Meio meio titular seria (no momento) Dale, Fred, Williams e Josimar (se estes dois puderem jogar juntos), alternando um meio mais (com Dátolo) ou menos (com três volantes) técnico a depender do jogo.

Para mim, a contribuição negativa desses dois ontem foi o que desestabilizou todo o esquema do time, pois não se joga bem, sem um meio campo efetivo. Some a isso a performanca cada vez pior do Fabrício (por qual razão, é um mistério) e temos um jogo como o de ontem.

Confio que na quarta teremos um jogo bem melhor. Vamos com fé. :-)


sexta-feira, março 29, 2013

Ao largo

Há aquele período da navegação em que, após o barco deixar as proximidades da praia e se por ao largo, o marinheiro sabe que terá que simplesmente deixar o tempo passar, até atingir o lugar almejado para a pesca ou algum outro destino em terra. É um período angustiante, pois ao mesmo tempo em que pode ser longo e tedioso, pode trazer algumas boas ou más surpresas e, mais importante, se o marinheiro não cuidar do curso, pode se perder no mar e ter muitas dificuldades para retornar, quando consegue.


Um marinheiro experiente, porém, não perde o curso, não se acomoda com a calma que sabe ser aparente. Sabe que não deve apressar a viagem para chegar ao destino, pois tem de respeitar o tempo do mar. Então, não se exaspera, utilizando com sabedoria o tempo disponível para preparar o material que irá utilizar na pesca, ao mesmo tempo em que poupa energia e alimento para seu retorno. Embora experiente, ele sabe que não pode dominar o mar e, na verdade, o reverencia: sabe que sua maior chance de ter uma passagem segura é respeitando-o.

Aos que o aguardam em terra e anseiam por uma boa pesca, resta aguardar pacientemente, confiando na habilidade do marinheiro e pedindo para que o mar lhe envie muitos peixes e permita o seu retorno.

---

O ambiente é bem melhor no Beira-Rio. Não vemos mais boatos vindos do vestiário, vemos Dalessandro feliz e falando em terminar a carreira no Inter, vemos um grupo unido e focado, como há muito não víamos. Num ano tão complicado como este para o Inter, por não ter seu estádio para jogar, esse ambiente equilibrado é fundamental.

No momento, com nosso time ao largo nesse mar de jogos, sigo minha rotina, confiando em nosso "marinheiro" e torcendo por uma boa "pesca", quando a hora chegar.




quinta-feira, março 28, 2013

Empate em 0

Desculpa aí galera nem sabia que tinha jogo hoje por isso só to abrindo o topico hoje. Pelo jeito não perdi muito.

Vai ser quase meio ano antes do Inter disputar uma partida que não seja GreNal contra um time de primeira divisão.

Como foi terrivel ter ficado fora da Libertadores.

OFF:

Essa semana fui vê uma banda cover do The Doors. Uma banda que existe desde 1990 e o cantor é ou era 20 anos atras muito parecido com Jim Morrison. Mas a banda faz o som dos Doors bem direitinho e usam o mesmo instrumentos que The Doors usava. Confere aí especialmente o pessoal que curte a banda esse clip que gravei de boa parte da musica Light my Fire começando na parte instrumental.




OFF 2:

Tô redescobrindo Receivers classicos dos anos 70 para minha sala de musica. Meu Pai sempre foi ligado em radios e lembro de nos ano 70 ele ter receivers muito bons e bonitos. Os anos 70 foi a decada da "Guerra dos Receivers" onde as marcas como Pioneer, Panasonic, Yamaha, Marantz etc...tentavam lançar aparelhos cada vez mais potentes que os outros. Era uma epoca que se comprava aparelhos de som pra escutar MUSICA e não pra ouvir efeitos de filme. Os aparelhos eram monstros, pesados, bem feitos e bonitos com um som "quente" e rico.

Aí chegou os anos 80 e tudo começou a mudar. Digital entrou em cena e lá se foi os Dials redondos, as faces prateadas e as luzes illuminando o dial. Plastico começou a aparecer mais e mais. Inumeros botões. A cor preta. Designs "futuristicos" e complicados que tu tinha que ler o manual pra usar. A qualidade começou a decair.

Hoje os aparelhos são feitos mais para 5.1 surround sound e outras 1001 coisas que ninguem usa. A qualidade do som em si ficou em segundo plano. Pessoas vão a lojas e compram aparelhos sem se quer escuta-lo, parece não importar. A unica coisa que importa hoje ao consumidor é os numeros de potência no pacote...a maioria da qual são exageros das empresas. Quanto mais alto o numero o consumidor acha que tá comprando algo bom.

Fui ligar meu toca disco num aparelho semi-novo da Sony e nem tinha entrada pra toca disco. Ai comecei a pesquisar. Lembrei dos aparelhos do meu Pai (alguns que ele ainda tem) e descobri que os aparelhos dos anos 70 ainda circulam por ai com frequência e ainda com preço bom.

Esse é um que meu Pai ainda tem e que se consegue ainda por preços decentes (entre $75 e $200 US). Fabricado entre 78-79. Quem já usou um aparelho desses sabe a diferença entra um Dial e um botão digital pra mudar estação.
Esse ai tem "apenas" (o Technics SA-400) 45 Watts por canal mas são 45 Watts reais e não falso como hoje. Já esse ai em baixo é o Technics SA-300....quase o mesmo aparelho, só que de 35 Watts por canal. Ambos feitos em 1978-79. Comprei um hoje por $US55.

Em poucos anos em 1985 esse mesmo modelo já tinha virado nessa bagunça.
Então fica a dica, quem quer comprar um som, pra escutar musica e escutar bem, procura achar aparelhos de som dos anos 70, especialmente de 73-79 e as marcas Pioneer, Marantz (esses são caros), Technics, Yamaha entre outros. Quase todos dessa epoca tinha a face prateado.

Agora quem quiser comprar o receiver mais potente dos ano 70 onde Pioneer quiz topar todo mundo, ai tu tem que comprar o Pioneer sx-1980. Um monstro que pesa 4 vezes os aparelhos das outras fotos e tem 270 Watts por canal. Era carissimo na epoca e hoje continua caro...facilmente mais de $1000 US e provavelmente mais de $2000. Mas outros aparelhos menos exagerados podem ser achados por preços bem mais razoaveis. Nesse topico é verdade o velho ditado...não se faz mais as coisas como antigamente.



terça-feira, março 26, 2013

Perspectiva

O ano era 2000, mas se prolongou por cerca de 2 a 3 anos.

O coirmão fechava parceria com a ISL, dinheiro brotava das paredes e anunciava jogadores de renome e expressão (ao menos na época) como Zinho, Amato, Astrada, Marinho, Anderson Lima, Paulo Nunes, Rodrigo Fabri, Gilberto… Os salários, inclusive, eram impensáveis para a época.

Enquanto isso, nosso amado clube, falido, empilhava craques da “estirpe” de Espíndola, Juca, Wederson, Fernando Cardoso, Leandrão, Martinez… Some isto a um cenário de anos prévios de figuração e o cenário era de desolação total.

De um lado o rival, vindo de uma década vitoriosa, com um novo parceiro e pousando de “novo rico”.

Do nosso lado, ausência de recursos, de bons jogadores, de títulos.

Em síntese, o futuro, sem um parceiro forte, trazia perspectivas desoladoras.

O desfecho dessa história todo mundo conhece.

A qualidade do time do coirmão não foi condizente com os investimentos, mas acima de tudo a parceira quebrou e a parceria foi desfeita, deixando um rastro de contas, dívidas trabalhistas e “esqueletos no armário” que perduraram até o ano passado.

“Coincidentemente” (?!?!), este foi o período em que o rival amargurou uma década sem títulos de expressão, um rebaixamento e times ridículos.

Em contrapartida, com a parceria dos sócios, nós nos reestruturamos, empilhamos títulos e voltamos a ser protagonistas.

Avance para o ano de 2012.

O coirmão, ao menos aos olhos da imprensa (parcial, tendenciosa, inconsequente e manipuladora) ergue um novo estádio, por alguns propalados como o mais moderno estádio do continente, e quiçá um dos mais bonitos mundos.

Uma empresa chinesa promete comprar os naming rights pagando valores estratosféricos, o time passa a ser um esquadrão de craques, o técnico outrora decadente voltou a ser gênio e o sonho do título continental passa a estar mais vivo do que nunca. Uma nova época gloriosa se anuncia.

Uma babação de ovo midiática jamais vista, um verdadeiro nojo.

Em contrapartida, aos olhos da mesma mídia o modelo colorado é defasado, o estádio não é tão vistoso nem tão bonito, e os tempos serão difíceis. Enfim, a pauta é totalmente pessimista.

A verdade é que, nem tudo que reluz é ouro.

Pode levar anos, pode acontecer mais cedo do que se imagina, mas o melhor modelo de negócio ainda vai vir a tona.

Notícias recentes anunciaram que o custo de reforma do Beira-Rio cresceu 75% em relação ao estimado inicialmente. Custo que fatalmente sairia do futebol, resultado em times novamente medíocres, queda de receitas, desassociação em massa, enfim… Uma volta aos anos 90.

Em contraponto, o “outro” clube, envolto em uma crise política sem precedentes, com presidentes lavando a roupa suja em público, acaba por perceber que não tem a gestão do estádio, arranjou uma parceria de 20 anos que deixa o clube sem caixa e a longo prazo pode inviabilizar o clube

A maneira como a AG relutou em aceitar o contrato, toda a novela que foi a negociação e a forma pacífica, rápida e “eficiente” adotada pela OAS na negociação com o Grêmio ilustra muito bem a diferença entre os contratos e a quem beneficia maioritariamente.

Claro que é tudo uma questão de perspectiva.

Alguns têm ilusões de grandeza, se arriscam e as vezes dão o passo maior que a perna.

Alguns sabem sua real dimensão e sua capacidade de endividamento, mesmo que a duras penas políticas.

Alguma semelhança com uma parceria de uma década recente?

Esperamos que o desfecho seja o mesmo.

Saudações coloradas
@Davi_Inter_BV


segunda-feira, março 25, 2013

DUNGA, OBRAS E CONTAS


Como eu havia escrito no meu post de quinta-feira, todos os domingos vou postar um vídeo falando das coisas que tem movimentado a semana do nosso COLORADO. No vídeo de hoje falo sobre a série de 6 vitórias do Dunga, das obras, com algumas fotos que tirei com o celular e sobre as contas.

Confere ai e deixa tua crítica, sugestão e comentário.

André Flores
@ojogodointer




domingo, março 24, 2013

Santa Cruz x Inter

Pos-Jogo

Só vi os gols, mas olha eu daria aquele primeiro gol pro Damião. Pra mim mesmo tendo batido no zagueiro no bate rebate, aquilo foi gol do Damião. Inclusive sou capaz de registrar assim na produção ofensiva do BV. Que acham?

Mais uma vitória o que é bom, mas fica evidente que agora no fim de Março já não há mais nada pra se fazer no Gaúchão. Nada mais pra provar. Sabemos bater nos times do interior. Pena que vamos ter que esperar ainda mas 2 meses pra ver algo diferente do que esses confrontos (a CDB começa contra fracos tambem).

Santa Cruz 0 x 3 Inter
? A ser decidido - Damião (Caio)
Vitor Jr. (Damião)
Dale de penalti

Pre jogo

6 vitorias seguidas? Será?

sábado, março 23, 2013

Instalou

Sem palavras.


PS:

Muita neve nas eliminatoria entre EUA e Costa Rica ontem. Estão no hexagonal final com 3 indo pro Brazil em 2014. Os EUA tinha perdido a primera contra Honduras e precisava vencer pra não ficar pra tras na segunda rodada de 10. O jogo foi no Estado de Colorado, nas montanhas, onde neve é comum em Março...e nevou muito. Incrivelmente pelo jeito era muita mais facil jogar em 20 centimetros de neve do que naquelas chuvas onde o campo fica alagado. Usaram uma bola amarela. O campo ficou ao contrario, gramado branco e linhas verdes. O maior problema deve ter sido a neve entrando na chuteiras...ai congela mesmo e não é facil.Veja:


Antes do jogo (o estadio ficaria lotado mesmo com neve e frio). Os EUA venceu por 1 a 0 e agora está na segunda colocação do Hexagonal final.



quinta-feira, março 21, 2013

Inter x São Luiz

Pos-Jogo

Com pouquissima vontade consegui depois de 24 horas assistir a partida. Até foi uma boa partida, mas minha tolerância pra partidas contra São Luizes da vida é muito baixo.

Gostei bastante do Caio. Lembra e muito fisicamente e o jeito de correr do Giuliano, mas é mais rapido. Fez a assistência do primeiro gol que foi do Damião. Depois de tomar um gol de empate no fim Dale fez gol de falta pra vitória de 2 a 1.

Inter 2 x 1 São Luiz

Damião (Caio)
Dale - de falta

PréJogo

Mais uma partida contra o São Luiz. Will it ever end?





O QUE VEM POR AI

2013 tem muitos desafios para o Presidente Luigi

Desde o final do ano passado todos sabiam que o ano de 2013 seria um ano cheio de desafios. A reforma do BEIRA-RIO, deixando o estádio fechado, a necessidade de reorganizar o grupo de jogadores, as dificuldades do novo treinador, os problemas financeiros, etc. Nada disso é novidade.

Tanto é assim que ainda em 27 de dezembro o presidente Luigi disse "... eu não tenho problema nenhum em abrir mão da minha eleição do dia 8 de novembro...", tamanha é a pressão que esta envolvido o INTERNACIONAL.

E de lá para cá as noticias não tem sido boas, o BEIRA-RIO que seria reaberto em 1º de setembro já mudou a previsão para dezembro. Como eu havia previsto AQUI os jogos em Caxias tem tido público decepcionante e o INTER já estuda mudar seu mando de campo para Novo Hamburgo (como ocorrerá hoje) ou Canoas.

Além de tudo isso está marcado para o dia 1º de abril a reunião do Conselho Deliberativo para apreciação das contas de 2012. Essa reunião promete ser tensa pois muitas polêmicas envolvem as contas do ano passado.

A maior delas é o contratao do INTER com a Televisão do Rio de Janeiro (faço como eles fazem com times de volei), que foi prorrogado até 2018 sem aprovação do Conselho Delibertativo, ofendendo o Art. 30 parágrafo único do estatuto, a saber

"Art. 30:..
Parágrafo Único: A Diretoria não poderá antecipar nem comprometer as receitas, ordinárias ou extraordinárias do Clube, por período superior a quatro (4) exercícios sociais, em benefício de sua gestão, sem a prévia autorização do Conselho Deliberativo, ouvidos, mediante parecer, o Conselho Fiscal e o Conselho Consultivo, sendo ineficaz o ato em contrário."

Esse contrato com a Televisão do Rio de Janeiro "salvou" o ano da gestão Luigi, pois significou a entrada de R$ 31,5 milhões extras ano passado. O INTER já tinha contrato com eles até o ano de 2015, e esse aditivo prorrogou o contrato até 2018.

A direção alega que foi um bom contrato, tendo em vista os valores e que  não foi um adiantamento, pois o pagamento foram dados a título de luvas. Eu entendo que o estatuto é muito claro quando veda que a diretoria comprometa as receitas por período superior a 4 anos, e o INTER está comprometido com a TV Rio de Janeiro até 2018. 

Até hoje a oposição não teve acesso ao contrato nem aos pareceres que justificavam o presidente Luigi assinar sem precisar passar pelo crivo do Conselho Deliberativo. Além disso tem polêmica envolvendo as comissões do contrato da Nike, a questão do navio que foi cancelado, o processo de plágio, entre outros.

Digo isso pois ainda teremos muitas polêmicas ao longo desse ano. Em que estádio jogaremos o restante da temporada?? Quando o BEIRA-RIO será reaberto?? As contas de 2012 serão aprovadas?? O Contrato com a TV do Rio de Janeiro é válido??

Todos esse problemas terão de ser enfrentados, sem que o futebol seja prejudicado, sem que o nível competitivo do nosso INTER seja dimuido, esse é o desafio da gestão Luigi, espero sinceramente que ele tenha ânimo e capacidade de levar o nosso clube as conquistas, mesmo com todas dificuldades. E vocês o que acham?? O Presidente Luigi tem como superar esses desafios??

Independente de tudo isso Dunga trabalha e tenta colocar o time em um nível competitivo alto, D´Alessandro vem jogando o futebol dos velhos tempos (pré-Abu Dhabi). Eu gosto do trabalho que Dunga vem fazendo até aqui, mas sei que ainda faltam testes contra adversário mais fortes, o que só deve ocorrer com o início do Brasileiro, até lá nos resta esperar e acompanhar.


VLOG

Conversei com o Louis sobre a possibilidade de fazermos um VLOG do Blog Vermelho, falando das coisas do INTER. Após algumas conversas ficou combinado que farei esses vídeos sempre aos domingos a noite, falando do clube, das obras do time, enfim, um vídeo falando de INTER.

Não tem muito roteiro, é mais para suprir os poucos vídeos deste ano, uma vez que o INTER não esta jogando no BEIRA-RIO. Estou aberto a sugestões de pauta, de idéias para o vídeo e espero que vocês gostem.

André Flores
@ojogodointer



quarta-feira, março 20, 2013

Andrezinho Saves?


Será que "Dezinho" estaria voltando?

Enquanto eu sempre achei o Andrezinho um bom decimo-segundo jogador, que muitas vezes salvou a pele do Inter, acho seu possível retorno um tanto estranho. Parecido com a estranha volta do Gilberto guardadas devidas proporções. As vezes temos que seguir adiante, olhar pra frente. Mas se vier que seja bem vindo. Ainda acho que Andrezinho deveria ter jogado contra o Mazembe, ao menos depois de tomar o primeiro gol. O cara que nunca "apertou" teve que sentar no banco 90 minutos e ver o resto do time apertar.



Rabo de Pato


ME NEGO! (Ou, nego-me! Num português "melhor dizido") 

Não vou colocar nenhuma imagem, vídeo, menção ou coisa que o valha do time oficial da RGT, vulgo RGT-FC. Enquanto a RGT não respeitar naming rigths e nosso maior rival for protegido "midiaticamente" nada de divulgação, apesar do ódio ser o maior combustível da alma humana.

Mas... que gol foi aquele que o Pato marcou semana passada? Trave, linha, trave, bola no pé, gol... E vai sentar no banco pra curtir o jogo. Definitivamente, tem gente que não nasce com a bunda pra lua, nasce com a "Sorella Luna" na bunda.

Trocando de assunto:

Antes que alguém pergunte: Sim, considero o time que nos roubou o brasileirão de 2005 nosso maior adversário no futebol brasileiro. Tanto pelo roubo, quanto pela proteção. Tem praticamente uma guarda pretoriana na arbitragem, meios de comunicação e mais recentemente na (in)justiça desportiva... Chegando até o nível continental, ou seja, "foideus". Quanto ao Grêmio? Há! Pobre Grêmio, é que nem aquele vizinho chato, que fica espichando o olho pra competir quem tem melhor carro... Se pinta a casa, o outro tem empontar de igual pra melhor. No fundo, no fundo, típico caso de um querendo traçar a mulher do outro pra mostrar que é fodão. Ou seja, com o Grêmio é coisa de familia, caseira, a gente quebra os pratos e acerta as contas no nosso quintal. Porque não tem coisa mais gostosa do que calar o bico daquele vizinho chato (no caso, figurativo, ganhar do grêmio e literal também).





terça-feira, março 19, 2013

Cobertura

Um dia um tanto histórico no Beira Rio. A estrutura de cobertura começa a ser montado.



E sobre a nova circulação interna no Beira Rio com a nova inferior.


segunda-feira, março 18, 2013

Forlan / Damião

Muita gente queria desistir do Foran depois de umas 3 partidas no Inter ano passado. Realmente foram fracas suas performances mas as vezes o cara precisa tempo para se adaptar e parece que ele tá chegando no ponto.

Forlan continua liderando a produção Ofensiva no ano, 16 pontos, com Damião encostado nele (15 pontos). Sua saída pra seleção Uruguaia provavelmente dará ao Damião bos chances de ultrapassa-lo. Tudo indica que essa dupla será a dupla ofensiva da qual vamos depender nesse ano. Os dois estão disparados na frente. O terceiro colocado é o Dale com apenas 5 pontos e Maurinho tambem com 5 pontos...Maurinho que só jogou algumas partidas no inicio do ano. Essa falta de diversificação na pontuagem pode ser um problema mais tarde se lesões e convocações continuarem.

Ano passado o Inter tinha ainda Oscar, Datolo em boa fase, Dagoberto que faziam os seus gols e assistências....esse ano a coisa parece ser restringida ao Forlan e Damião. Precisamos que Dale comece a aparecer mais nos numeros. Por enquanto ele só tem 1 assistência no ano.





domingo, março 17, 2013

Inter x Canoas

Começa a segunda fase do Gaúchão. Vamos torcer para o Inter ganhar o segundo turno, evitar stress de final e seguir pronto pra encarar o Brasileirão, que é o que realmente interessa esse ano, alem da Copa do Brasil e talvez a Sul Americana dependendo da CDB e o estranho formulismo desse ano (vai bem na Copa e tu não joga a Sula). Dito isso, ainda não consigo me lugar muito nessas partidas...Canoas...São Luiz...Pelotas...Novo Hamburgo...que diferença faz?

Inter 3 x 1 Canoas
Josimar (Damião)
Forlan - de Falta
Damião (Otávio)

PS:

Pra completar o post prévio, vai ai mais fotos da nova sala rock aqui em casa incluindo o lado com parede VERMELHA para os que reclamaram do Azul!

Sim aquilo ali dentro é Vinil!
 Discos autografados (Ringo, Plebe, Titãs, The Doors, Brian Ray)
 Set Lists de shows de bandas Brasileiras que passaram por aqui.
 Sofazinho ala Yellow Submarine
 Revistas guardadas por anos e anos acharam nova vida (nessa foto RS de 90 e Bizz de 87). Cadê o Ringo???? (Comprei o Paul e John pra minha mulher em 2004..nao achei o Ringo e George..mas essa semana comprei George no Ebay pois nao fazem mais desde 2004...mas o Ringo que vem com bateria tá muito caro...US$100+ entao vou esperar pra vê se acho um com preço melhor)

Ingressos e fotos de shows







sábado, março 16, 2013

Rock Room

Volto a falar sobre futebol amanhã, mas hoje é o estreia de minha nova sala de musica numa festinha do meu aniversário aqui em casa (Escrevi um pouco sobre isso aqui).Aí está uma foto de como ficou uma parte da sala. O Objetivo era um espaço pra escutar musica (e tambem tocar) alem de finalmente ter um lugar pra todas as coisas que vinham guardadas em caixas como ingressos antingos (agora em display na mesa), discos autografados (na parede ao fundo), Set lists (em outra parede não visto na foto), livros, LPs etc etc etc. Até revistas de Rock antigas que eu não sabia bem porque eu tinha guardado agora tem lugar de destaque na sala! A parede ao fundo levou um dia pra fazer. Eu fiz os calculos e com lapis fiz o desenho da bandeira (que representa a Invasão Britânica no Rock anos 60), minha mulher depois pintou. O lado esquerdo a parede é pintado vermelho é onde fica o Som e outros objetos relacionados a musica. Depois coloco mais fotos.


Essa é a mesa com ingressos antigos e fotos de shows que tirei. O ingresso Colorido no meio é do Jackson 5 fim dos anos 70. Foto no meio é BB King em 93, Rolling Stones em 94 lado esquerdo inferior entre outros..

Esse espaço era uma garagem uns tempos atras e ai decidimos que o carro podia dormir na rua. Essa foto abaixo é de uns anos atras de como era antes no inicio da reforma.







sexta-feira, março 15, 2013

Do caos à lama


(Foto: Diego Guichard / GLOBOESPORTE.COM)

Da Lama Ao Caos
Nação Zumbi

Posso sair daqui para me organizar
Posso sair daqui para desorganizar

Da lama ao caos, do caos à lama
Um homem roubado nunca se engana

O sol queimou, queimou a lama do rio
Eu ví um chié andando devagar
E um aratu pra lá e pra cá
E um carangueijo andando pro sul
Saiu do mangue, virou gabiru

Ô Josué, eu nunca ví tamanha desgraça
Quanto mais miséria tem, mais urubu ameaça

Peguei um baláio, fui na feira roubar tomate e cebola
Ia passando uma véia, pegou a minha cenoura
"Aí minha véia, deixa a cenoura aqui
Com a barriga vazia não consigo dormir"
E com o bucho mais cheio começei a pensar
Que eu me organizando posso desorganizar
Que eu desorganizando posso me organizar
Que eu me organizando posso desorganizar

Da lama ao caos, do caos à lama
Um homem roubado nunca se engana

ps.: Esse Inter que agora vejo é o Inter que me orgulha.


quinta-feira, março 14, 2013

MEMÓRIAS



Sei que ganhar um turno de Gauchão, ou taça Piratini, é uma coisa menor, depois de tantas conquistas parece uma taça sem importância, isso para os mais jovens é claro. Eu comemorei essa conquista que me encheu de nostalgia.

Em 1986 pela primeira vez fui ao BEIRA-RIO, com meu pai e irmãos, mas comecei mesmo a frequentar o estádio (indo a todos os jogos) no campeonato Brasileiro de 1987. Eram anos difícieis, onde o INTER não vencia títulos e o rival ameaçava perigosamente igualar o feito do octa-campeonato gaúcho, conquistado entre 69 e 75.

Mas o ano de 1991 foi um ano diferente, começou com o primeiro rebaixamento na azenha, naquele inesquecível mês de  maio, com o Botafogo carimbando o descenso (com gols do Piqueti). O Ano avançou e antes do Gauchão havia a Copa Governador do Estado Alceu Collares.


Para encurtar a história, o INTER chegou a decisão contra esse mesmo São Luiz de Ijuí. Seria essa minha primeira oportunidade de ver o meu INTER campeão, nunca havia assistido a uma volta olímpica, nunca havia gritado É CAMPEÃO, naqueles meus primeiros anos de BEIRA-RIO.

A mobilização COLORADA para vencer aquela taça era tão grande que impedimos o São Luiz de utilizar o  seu atacante Edmundo, pois ele era atleta do INTER emprestado para eles. Lembro até hoje da torcida cantando a seguinte música (em ritme de "Pense em Mim" do Leandro e Leonardo), olha a pérola:

91 vai dar COLORADO
vai dar COLORADO UUUU
O Zachia abriu a mão
Aquele tempo que era ruim já passou
Nós demos a volta por cima
O Clube do Povo
Tem Cuca e Lima

Vejam bem, Cuca, Lima e Zachia na mesma canção em aspecto positivo. Ao final vencemos aquela final com gols de Simão e Cuca, o INTER comemorou aquele título, teve volta olímpica, grito de É CAMPEÃO, jogadores jogando a camisa para a torcida e eu cheguei em casa sem voz.


Naquele mesmo ano fomos Campeões do GAUCHÃO, pela primeira vez fui no olímpico e assisti ao COLORADO vencer com gol de Alex, mas isso é outra história. Para os mais jovens, esse título de domingo pode representar muito pouco, mas para nós, os mais antigos, todo título é comemorado, mesmo que seja no futsal.

Seja pela nostalgia que me invadiu ao rever o INTER jogando uma decisão contra o São Luiz, seja pelos gols do Damião, seja pelo bom trabalho que o Dunga vem fazendo, seja pela vontade que o D´Ale vem demonstrando, ou por um monte de outros fatores, eu fiquei muito feliz com a conquista de domingo.

Sei que o Gauchão é fraco e que nossa obrigação é vencer. Vencemos e de goleada, sem susto e o time teve uma atuação convicente, e eu fiquei feliz com o título, não tão feliz quanto em 1991, mas fiquei satisfeito por mais uma conquista.

Nem que seja pelas boas recordações daquele ano a vitória de domingo já valeu, depois da partida fiquei pensando, se todos os anos fossem como 1991 os anos 90 teriam sido bem melhores para nós COLORADOS!


André Flores
@ojogodointer





quarta-feira, março 13, 2013

Do Osso ao Ofício

Dizem que o São Luiz reclamou das condições do gramado, por isso levou cinco gols e viu o INTER jogar.

Antes que alguém pense bobagem esse foi meu primeiro pensamento (infame) depois do jogo de domingo. Como é bom ver o time atuando de maneira equilibrada independente do placar e sempre estar procurando o gol. O que estragou tudo foi o estado do gramado e a permissividade para faltas. Da onde vai se esperar um jogador fazer a próxima falta para depois advertir com cartão amarelo? Coisas de gauchão e "brasilidade": amadorismo. Permitir seqüência de faltas é um crime contrato bom futebol. Repito o que já disse aqui, sou apreciador da fina arte do carrinho e de um futebol pegado, mas isso nada tem a ver com violência ou deslealdade.

Por outro lado, não quero ser como aqueles pais chatos e ingratos de alguns amigos nossos que dizem depois de ver oitos e noves em um boletim: só isso? Não fez mais forque a obrigação! (Achar isso, não quer dizer que não devemos aproveitar a todo pano o doce da vitória). Por isso: 

OBRIGADO POVO! Mas agora, é objetivo novo! 

Para tanto, o primeiro ponto a focar é aprimorar as conclusões. TODOS dêem aprimorar esse fundamento, o índice de aproveitamento e chutes em cima do goleiro, se não melhorarem logo, vão fazer o DUNGA arrancar o pescoço de alguém. E eu apoio essa iniciativa.

É bom ver o Damião marcando gols como Damião. Sem frescuras, é drible e paulada pro gol, no bom estilo que o consagrou. Que passe ele deu pro Forlan no primeiro tempo, aquele que o Uruguaio cabeceou em cima do goleiro. Da lateral direita do campo, precisamente na cabeça do parceiro de ataque. Só isso, antes das pinturas de gol, já tinham valido o domingo.







terça-feira, março 12, 2013

Anão

Muitos amigos - a maioria não colorada – apavorados com a amostragem até então, tem me questionando a truculência, rispidez e mau humor de Dunga.

É óbvio que ninguém gosta de pessoas rabugentas, ainda mais ao extremo como parece ser o caso de nosso treinador.

Ainda mais quando tal comportamento é exibido em coletivas ou entrevistas pré e pós jogo. Neste momento, o treinador fala para a massa colorada, desejosa de saber o que pensa e a análise que faz nosso comandante.

Abro um parenteses aqui para ilustrar que não estou falando daquela parcela totalmente incapaz e inconsequente da imprensa esportiva gaúcha, que faz jornalismo sensacionalista e tem como objetivo apenas vender jornal e causar “furdunço”. E sim daquele profissional que questiona as escolhas táticas, técnicas e tudo que tange exclusivamente o futebol.

No entanto, o mesmo sistematicamente parece viver as vezes numa teoria conspiratória, onde há um plano da imprensa para derrubá-lo, minar ou sabotar seu trabalho.

Eu, sinceramente, tenho aplaudido de pé o comportamento turrão de nosso comandante.

Não quero fazer apologia à rabugice, mas detesto submissão. Nosso treinador não tem medo de dar a cara a bater, não leva desaforo para casa e faz valer o “toma-lá-da-cá” como ninguém.

Nem mesmo a direção, que ainda promete reforços que não vieram, tem escapado.

O resultado? A blindagem do vestiário. O fim do “diz-que-me-disse”. Foco no futebol. Transparência. E jogadores que compraram a ideia, e que assim, sempre rendem muito mais.

Tudo amparado nas “costas largas” de um personagem com estofo e história para aguentar a pressão.

Ainda falta material, e a cobrança pública já foi feita.

Um meia armador de pé direito e um atacante de velocidade. Em condições de titularidade. Sem isso, difícil querer ser protagonista no Brasileirão.

Uma coisa é certa. O nosso anão não é o Feliz, muito menos o Dengoso, o Mestre ou o Atchim.



Chama-se Dunga, mas também poderia ser Zangado.

E eu não vou me importar nem um pouco, afinal não quero um gentleman ou um relações públicas no comando de nosso time.

Quero um TREINADOR e só os resultados de campo me importam.

Que siga assim.

@Davi_Inter_BV


domingo, março 10, 2013

Damião Day

Pós-Jogo

Ainda não acabou, mas já acabou. É Damião Day por enquanto 1 gol e 2 assistências. Trofeu no armário...muito bom. Trofeu nunca é ruim. Mas algum significado que me de comforto e confiança para o Brasileirão? Nada. Nadinha. Pode tocar 20 no São Luiz que reservo minha opinião desse time até eles enfrentarem competição ao nivel profissional. Até lá continuarei mais desconfiado que Marcelo Nova cantando Silvia Piranha.

3 x 0
Damião (Josimar)
Gabriel (Damião)
D'Alessandro (Damião)

Opa mais um do Damião de fora da area. A assistência do Forlan é questionável mas tenho a tendencia de dar esse tipo de assitência então vai lá....

Inter 4 x 0 São Luiz

Damião (Forlan)

Hold the presses.....5 x 0...golaço do Rafael Moura.

Rafael Moura (Caio)

Pré-Jogo

Final da 1 fase do Gauchao. Parece que vai ser no barro o jogo. Mas grama boa ou barro o Inter sempre tem que vencer um São Luiz. Perder o titulo seria um fiasco e até semi-crise iria aparecer. Mas alem disso a vitoria é importante para ao menos continuar a alimentar as esperanças de colorados que acham que essa ano as coisas serão diferente. Comentem.




sábado, março 09, 2013

Qual seu preço?

Quanto custa pra te comprar?

Pra você virar beatinha. Pra só aplaudir aqueles que só fazem merda? Ano apos ano? Imagino que cada um tem seu preço. Uma camisa? Duas? Muita grana? Tapinha nas costas? Um convite pra tomar cafézinho com as cobras? Status? Acesso? Mais grana!?

Em certos lugares é proíbido mencionar Luigi (ou seja lá quem tá usando a cartola naquele dia, mês ano) em tom negativo. Apagam rapidinho. Mesmo que Luigi tenha feito muito pouco para o Inter no aspecto futebol desde que entrou em 2011, o homem é intocável. É um deus para muitos. 2011...foi uma vergonha, 2012 pior ainda, chegou até a colocar um iniciante como tecnico. Hoje assistimos a libertadores de longe. O estádio poderia já estar pronto, não vamos esquecer que as obras ficaram paradinhas por mais de 11 meses de 2011...até 2012 (custou a Copa das Confederações) . Mas tá tudo ótimo! Comemoramos a cada foto nova das obras como um titulo. Depois ainda fazemos piadas de Gremistas que comemoram Onibus, Website.

Pra nós colorados agora só restou comemorar Obras e pior ainda....campeonato regional. 


Ps: esse post não é direcionada a uma pessoa ou pessoas exatas. Nem para todos os beatas. Eu simplesmente to cansado de ver um time de merda em campo por mais de 2 anos e metade da torcida achando que esse time vai a lugar algum. Esse time nao pega nem vaga na libertadores ano que vem. Ja vi esse filme com esse elenco de velhos e nabas. O fato é que o time é praticamente o mesmo de 2012.

E meu problema é com as pessoas que acham que ta tudo perfeito.




sexta-feira, março 08, 2013

Esquizofrenia

Não entendo o que se passa com os torcedores do Inter, especialmente alguns leitores aqui do blog. Primeiro, há uma ansiedade desmedida para que o clube contrate rapidamente grandes nomes, como se fosse fácil. Segundo, querem que o Dunga em três meses de trabalho já tenha definido com toda a certeza quais as posições mais carentes do time, sendo que nesse tempo não foi nem mesmo possível testar todos, quanto mais testar com um mínimo de sequência para o cara ter ritmo. Forlán levou quanto tempo para mostrar a que veio? E isso sendo ele o craque que é. Juan só agora está indo para a quarta partida em sequência desde que chegou. Os caras estão preocupados com o Brasileirão, como se fôssemos postulantes ao título...

Vou relembrar: NÃO SOMOS POSTULANTES a nenhum título este ano, nem mesmo o Gauchão se o Grêmio resolver jogar com os titulares. Sim, no momento, o time titular deles é favorito numa disputa com o nosso, embora eu acredite que eles vão começar a afundar cedo ou tarde. Portanto, não há porquê apressarmos o processo de experiências atual ou nos apressarmos em contratar jogadores de qualquer maneira. NÃO! Esse ano é para arrumar a casa, quantas vezes terei que relembrá-los disso? SE vier título, ótimo, mas ótimo mesmo. Lucro total. Nossa meta, DIFICÍLIMA, é a de conquistar uma vaga para a LA 2014. Se isso vier, podemos considerar este um ano vitorioso. Estou muito contente com o trabalho do Dunga e na minha visão ele não chegou nem à metade do processo de avaliação que PRECISA fazer.

Outra coisa que tem me irritado muito é essa lamúria por conta do bom momento do Grêmio. Que palhaçada! Ficam aqui dizendo que Grêmio é isso e aquilo, que tão jogando demais, que o elenco é o máximo e tals, entrando na pilha da RBS. Ah, pára. Os caras não ganharam NADA. Talvez nem vençam o Gauchão. Alguns não entendem como o Grêmio consegue contratar tanto e a gente nada. Pois bem, explico: eles venderam a alma ao diabo (leia-se, "empresários"). Simples. Ninguém que está ali é do clube, ponto final. O Grêmio está há uma década sem vencer nada de importante, está com um estádio que não vai render dinheiro por 20 anos e tem visto durante esse tempo todo o Inter vencer muita coisa. Desespero + falta de dinheiro = lugar perfeito pra empresário faturar. A conta é simples, mas cobrará seu preço, especialmente se os títulos não vierem. Eu não quero o Inter assim, vocês querem?

Entendam, amigos, nós não tempos por quê nos desesperar nesse momento. As mudanças estão ocorrendo, algumas numa velocidade razoável (o trabalho de Dunga et tal), outras nem tanto (o que cabe a Luiggi). Ganhamos muito nos últimos anos, entramos numa zona de conforto longa demais que nos fez ter que dar alguns passos atrás, para voltarmos fortes ali na frente. Mas podemos atravessar esse momento com calma, exatamente por termos vivido uma fase tão boa. Diferentemente de gremistas que estão numa seca terrível. Portanto, vamos com calma, sem esquizofrenia. E, por favor, parem de ficar falando no Grêmio. Tão parecendo gremista.


ps.: Ah, esqueci de uma coisa: Damião DEVE ser recuperado! Não se brinca com um investimento desses, cujo lucro é dos maiores que se pode obter. O Inter pagou quase nada por ele e se recuperá-lo pode faturar 30 ou mais milhões de euros. Vejo muitos aqui simplesmente descartando o Damião, por conta da má fase. Pois eu enfatizo: não se rasga dinheiro e Damião significa muito dinheiro. Agora que Forlan está recuperado (ao que parece), Dunga precisa se concentrar no Damião. Damião em forma e confiante vale uns 3 Barcos, no mínimo.



quinta-feira, março 07, 2013

POLÍTICA


Um breve resumo do que está acontecendo na política COLORADA, esse é o objetivo de meu post de hoje, mantendo aquilo que prometi antes das eleições. Relembro a todos essa é a minha visão sobre os fatos, uma visão parcial portanto. Os últimos dias foram muito movimentados na política do nosso INTER, com muitas informações e desinformações circulando pelas redes sociais e pela imprensa. 

PROFISSIONALIZAÇÃO

Recebi a informação que um Conselheiro da situação, eleito pela primeira vez em dezembro do ano passado, está em vias de virar funcionário do INTER e por isso terá de renunciar ao Conselho Deliberativo. Essa teria sido a forma encontrada pela gestão para que o ex-vice-presidente Danie Dubin assumisse uma vaga no Conselho Deliberativo (atualmente ele é o primeiro suplente), se se confirmar seria uma vergonha, quase uma venda de vagas no Conselho Deliberativo.

Alguns dias atrás recebi também a informação de que pelo menos um (seriam 2 nessa situação) integrante do INTER Grande , movimento do Presidente Luigi, teria abrido mão de integrar a chapa do Conselho Deliberativo, para se tornarem funcionário do INTER. Se isso for verdade é um verdadeiro absurdo, seria um aparelhamento eleitoral impensável e irresponsável do clube.

Nos próximos dias darei mais informações sobre isso, para o post não ficar tão longo.


ELEIÇÕES DA MESA DO CONSELHO DELIBERATIVO

Participei ativamente das negociações que permitiram haver uma chapa da consenso entre as principais correntes políticas do clube na eleição da mesa do Conselho (Conselho Deliberativo e Conselho Fiscal). Em um ano de tantos desafios buscamos pacificar o clube, sem que a oposição perdesse o protagonismo.

É preciso que se entenda que há no Conselho Deliberativo 3 campos políticos organizados, o DIRETAS SEMPRE, CONVEGÊNCIA e ARCA (situação) cada um com suas divisões internas. Além disso há os Conselheiros independentes (em sua maioria natos) mas são em número reduzido, a grosso modo é isso, claro que há milhares de variações sobre esse tema, mas para o texto não ficar tão longo deixemos assim.

Na última eleição para o Conselho Deliberativo cerca de 80% dos sócios votaram nas chapas de oposição, ou seja, nada mais justo que a oposição ficasse com a maioria dos cargos. Em razão disso a coalizão DIRETAS SEMPRE  e o CONVERGÊNCIA iniciaram tratativas para compor uma chapa.

Em primeiro lugar estabelecemos quais seriam as propostas em comum, e essa foi a parte mais fácil de todas as tratativas, pois ambos os grupos tem muitas pautas em comum estabelecemos, conjuntamente, as seguintes prioridades: Reforma Estatutária, Realização da Eleição de Consules, Incremento das Ferramentas de Transparência, Acompanhamento da Reforma do Beira-Rio.

A aliança das oposições garantiria a vitória, mesmo assim convidamos a situação (ou Arca) a participar da gestão do Conselho, pois entendemos que em um ano tão cheio de desafios o clube precisa da união de todas as forças políticas.

Em conversa entre representantes das três forças, por consenso de todos, ficou definida a seguinte nomintata:


Conselho Deliberativo
Presidente: Ibsen Pinheiro (Diretas Sempre)
Vice: Geraldo Costa Da Camino (Convergência Colorada)
1º Secretário: Rodrigo Ribeiro Sirangelo (Arca)
2º Secretário: José Ricardo Superti Brasil (Diretas Sempre)

Conselho Fiscal
Eduardo Knijnik (Convergência Colorada)
Marcelo Ducati Ferreira (Diretas Sempre)
Paulo Rogério Martinez Nunes (Diretas Sempre)
Jorge Vieira da Cunha (Arca)
Luís Fernando Aloísio (Arca)
Suplentes:
Arthur Caleffi (Convergência Colorada)
Diogo Ferri Chamun (Diretas Sempre)
Filipe Ribeiro Gonçalves (Convergência Colorada)

Notem que o DIRETAS SEMPRE ficou com 5 vagas, o Convergência com 4 e a situação com 3, criando uma nova correlação de forças no Conselho Deliberativo e refletindo o resultado das últimas eleições. Eu pessoalmente fiquei muito satisfeito, tenho certeza que todos são muito qualificados para as funções que se propuseram a exercer.

Particularmente estou muito confiante que essa gestão do Conselho Deliberativo vai fazer um grande trabalho para o INTER, em especial o Ibsen Pinheiro na Presidência do Conselho e o Eduardo Knijnik na Presidência do Conselho Fiscal, não só pela capacidade e competência de ambos, mas pela capacidade de diálogo, que é uma característica marcante dos dois.

MANIFESTAÇÕES DO LUIS CESAR

Em uma semana decisiva para o futebol COLORADO, quando decidimos nossa primeira final do ano, vejo AQUI e ALI que o Diretor de Futebol Luis César manifestou contrariedade com a eleição do Ibsen Pinheiro para presidente do Conselho Deliberativo.

Essa manifestação me causa estranheza por diversos motivos, o primeiro é que imaginava que o pessoal do Departamento de Futebol estava completamente focado na decisão de domingo em Ijuí, mas ao que parece não é o caso. A outra coisa que me causou estranheza foi ele ter procurado o Presidente Luigi somente após o prazo de inscrição de chapa haver se encerrado.

Se ele e seu grupo não queriam que o Ibsen fosse presidente do Conselho Delibertativo bastava inscrever uma chapa e tentar vencer a eleição, ou ao menos marcar posição. Para inscrever chapa bastava 12 Conselheiros, algo relativamente simples.

Em seu twitter (@drlcesar), no dia 05 de dezembro o Luis Cezar escreceu: 

"Estou preocupado com a possível fragmentação do CD. Isso vei ser muito ruim para o INTER num ano difícil como vai ser 2013. Sério"

E você, assim como eu, deve estar se perguntando, por qual razão o Diretor de Futebol do INTER está tão preocupado com a eleição do Conselho Deliberativo em uma semana tão decisiva para o futebol COLORADO, visto que a só houve uma chapa inscrita?? Ou ainda como pode estar contra uma chapa de consenso se ele mesmo se dizia preocupado com a fragmentação?

A resposta pode estar no twitter do mesmo Luis Cesar, veja o que ele escreveu em 21 de novembro de 2012:

"Sou d M. Coração Colorado @Movcoracao Conselheiro. Concorro pela chapa 1, situação. S for reeleito, pretendo concorrer  à pres. do CD"

Não sei se a situação tinha compromisso de apoiar o nome do Luis Cesar ou se essa era uma pretensão  única e exclusivamente pessoal, mas o fato é que a chapa de consenso liderada pelos movimentos de oposição frustaram seu plano de dirigir o Conselho Deliberativo.

Muitas outras coisas também causam estranheza como o fato dele ter ficado 30 dias longe do BEIRA-RIO e nesse período não ter buscado informação ou questionado, por telefone que fosse, seus parceiros de gestão.

Sei que o post ficou um pouco longo, mas a política é algo muito importante, e nisso eu concordo com o Luis Cezar, o futebol acaba sendo influenciado pela política. Se você acha que a política não é algo importante sugiro que assista o vídeo abaixo com o poema do Bertold Brecht chamado "Analfabeto político"






André Flores
@ojogodointer









quarta-feira, março 06, 2013

Proibida pra mim? No way!

O ano era 1997 e o mês outubro. A cidade, Santa Maria. Num sábado a tarde, enquanto um amigo brincava de testar o som, tocava guitarra num palco que era preparado. Nisso, um pequeno grupo de meninas que se formou rápido começou a gritar: "lindo! lindo! lindo!"

Eu sabendo do que se tratava disfarcei o sorriso. Até que pouco tempo depois as gurias se deram conta de que ele, o fascinante guitarrista, não era membro da banda nova e pouco conhecida que vinha tocar na cidade. Em instantes o fã clube se desfez por culpa do Rafa. Apenas eu e outros colegas sabíamos que o quase-famoso músico era apenas o irmão do chefe da equipe de som, até que uma das meninas perguntou: "ele é o guitarrista da banda?". Automaticamente o Rafael: "Que nada! Ele tá só testando a guitarra". Quanto aos gritos, que logo se silenciaram ,viraram motivos de risadas e piadas por um bom tempo. (FIM)

Um cumprimento na saída desse mesmo show e o autógrafo do "baterista pelado" (outra situação que rendeu piadinhas por semanas, com a mesma vítima das fãs instantâneas) foi o mais próximo que cheguei do Charlie Brown Jr e do agora falecido Chorão.

Num mundo cada vez mais falsificado e pasteurizado dentro do politicamente correto, foi-se um cara que procurava ser autentico. Que fazia um som legal. Alguém que dentro de sua insanidade procurava buscar um fio que guiasse seu espírito de volta a paz.

Vou copiar, na cara dura, parte de um texto que li navegando pela internet e achei a tradução literal do que eu devo escrever sobre isso:


"Assim como todo mundo, fui pego de surpresa com a morte de Chorão.

Sei que você hoje vai ler um monte de matérias a respeito do falecimento do cara   e que a maioria vai trazer uma retrospectiva da carreira do cara, suas polêmicas, seus sons, bla bla blá, bla bla blá, bla bla blá... Por isto, vou me abster de entrar neste campo." (daqui)

Estranha é a vida e suas desconexões interligadas. Enquanto ontem eu preparava o post de hoje, em algum lugar da Venezuela estava o cadáver de Hugo Chaves e Chorão talvez surtasse, talvez se drogasse... talvez já estivesse morto. E você que agora lê essas linhas fazia alguma coisa sem nem imaginar o que estaria acontecendo agora. Quem sabe dessas coisas? Quem conhece o curso dos caminhos que não se cruzam? Acho que ninguém. Por isso, aproveite bem cada momento.


Eu planejava ir a um show do Charlie Brown Jr. Não quis ir ao Planeta Atlântida  porque achei um evento fora da minha realidade (32 anos). A oportunidade é uma porta e os planos uma janela. Quando a porta se fecha a janela já mudou a sua paisagem e não tem como entrar. Queremos viver a vida que queremos. Mas no fim, por conta disso, acabamos não vivendo a vida que temos.



Por fim, não se preocupe com o time B. Não se preocupe com o que não vale a pena. Preocupe-se se você traçou bem sua mulher, se disse que amava quem deve ouvir e se você está vivo. O resto é tão pequeno...




O Riff dessa música me fez querer aprender a tocar guitarra.



PS: Esse ano tá foda pra mim. Primeiro me ensinam que nem os jovens podem achar serem imortais. Depois vai embora o resto do cheiro de minha adolescência. Nunca tive nada com o 13. Mas como esse ano, nunca vi um outro tão próximo do Tarô.

PS 2: a primeira frase de meu post anterior é o nome dessa música AQUI, não por coincidência, mas por causa dela mesmo. Tamo aí na atividade. FUEDA!  o.O




Filosofando

Por mais incrível que pareça estamos aí na atividade. Falo isso por haver passado pela minha cabeça momentos em que o INTER poderia ter tido um caminho diferente. Queda na receita, rebaixamento, redução de torcida e por fim a falência.

Pensei em fários aforismos e frases de efeito. Mas nenhuma delas traduziu bem as sensações e emoções das vivencias lembradas. Na verdade, só uma: a vida não é fácil, se fosse a gente não nasceria chorando.

Mas onde eu quero chegar com essa conversa?

Vamos a uma historinha: reza a lenda que nos áureos tempos da RFFSA havia um serviço muito ruim de ser feito pelos soldadores que era restaurar as rodas das locomotivas e vagões. Desgastadas pelo uso, elas precisavam ser recompostas manualmente com o uso de solda. Um bom soldador faria cinco restaurações em um dia de trabalho. A média ficava em três. Mas, havia um soldador argentino chamado Andres que fazia o reparo em 10, e o serviço era muito bem feito. Tanto que seus colegas chegavam a ficar conversando ou de braços cruzados enquanto empilhavam-se rodas ao redor do soldador argentino. Com o passar do tempo sua produção caiu para oito peças ao dia. De imediato foi chamado pelo chefe de sessão para uma conversa séria. Quando chegou a seis rodas por dia foi chamado pela administração da oficina para acabar com a esculhambação e corpo mole. Enquanto isso, seus colegas inaptos e menos hábeis seguiam sua rotina dentro do conforto da mediocridade. (FIM)

Ao contrário do que o nome, nacionalidade e produtividade do soldador indicam a história, reza a lenda, é verdadeira. Foi contada pra mim no intervalo do almoço em uma fábrica de implementos agrícolas que trabalhei anos atrás como analista de processo. Foi usado como exemplo da "excelente gestão" que havia na falida empresa.

Isso tudo pra dizer que é fácil cobrar mais de onde se tem expectativa de resultados acima da média. Mas enquanto discutimos quando Forlan fará outras pinturas como as de domingo, quem se preocupa em limpar o elenco daqueles abaixo da média?

Enquanto a torcida sonha e divaga, quem está assumindo a responsabilidade de buscar um nível mínimo de desempenho para ter um grupo forte e homogêneo?

É fácil acomodar os menos capacitados que "passaram no concurso" mas não rendem o esperado, até que algum interessado leve. Mas, o problema é que enquanto isso não acontece (e raramente ocorre). Vai consumindo estrutura e recursos que DEVEM ser melhor alocados.

Mandar embora quem não tem o nível de excelência que as ambições do INTER exigem, não é ser mal. Isso é sim ser honesto e leal a torcida que mantém ativo esse brinquedo caro chamado SC INTERNACIONAL.

Por fim, um recado a administração do INTER: SEMPRE tomamos decisões. Até mesmo não tomar uma decisão e deixar tudo comodamente como está já é uma decisão (a pior delas, a dos covardes). Errar trabalhando está dentro do risco do negócio. O que ninguém mais admite é o medo e as esquivas de quem não assume a responsabilidade que tem. Queremos atitude, pois, como eu disse, a vida não é fácil pra ninguém.



terça-feira, março 05, 2013

Inspiração



Desculpe galera, sei que frequência e "gordura" de meus posts tem sido bem magros nesses últimos tempos, mas acreditem se quiser, pra escrever um blog diariamente e manter uma certa qualidade é dificil fazer sem um item muito importante: INSPIRAÇÃO.

Alguns de meus melhores posts foram inspirados em pequenas coisas que vi, li ou pensei. As vezes basta um comentário de vocês pra eu ter uma ideia de post. As vezes coisas completamente não relacionadas acaa me inspirando. Esses dias foi assim, postei uma foto do Beira Rio no meu Facebook e um amigo Americano que visitou o Beira Rio comigo em 2003 fez um comentário e quando respondi a ele me veio a ideia desse post.

Mas além disso a inspiração é pouca. O Regional simplemente não me atrai mais. Os 2 últimos anos de decepções pos-conquista de Gauchão tambem não me deixa com muita confiança. Estou num Wait and See mode, esperando o Brasileirão. Aí sim. Pensando bem deveríamos estar nesse momento numa Libertadores....em vez disso só temos Gaúchão...resta duvida de porque me falta inspiração?

Enquanto aguardo o Brasileirão vou me inspirando em refazer meu Estúdio aqui em casa, transformando ele para um ambiente pra ligado a musica. Uma espaço pra escutar e tocar musica, uma especie de Man Cave (BV girias #365). Me dei conta que temos 1001 coisas relacionadas a musica coletando poeira pela casa, ou em caixas. Discos autografados, LPs, palhetas de guitarristas famosos, ingressos de shows até lá dos anos 80, set lists, fotos que fiz em shos e muitas outras coisas. Resolvi fazer do Estudio uma sala de musica, com boa parte disso tudo em amostra.

Mas a inspiração veio de um simples momento. Eu tenho cerca de 500 CDs mais outros 100 LPs. Estavam todos no porão. Já tinha feito MP3s de todos e os CDs e assim os CDs foram esquecidos por um tempo. Aí umas semanas átras peguei uns CDs pra escutar no carro e immediatamente notei a diferença em escutar um CD comparado a um ipod. Simplemente não é a mesma coisa. Com um CD tu fica mais focado no disco. Tu sabe que tá escutando UMA coisa. Já no Ipod tem 10 Mil musicas e tu sabe que aquilo ali tá cheio de musica e a qualquer momento tu pode mudar de disco, banda etc...tu não consegue focar.

Depois dei uma olhada em um dos meus LPs de vinil e é outro mundo. A arte grafica enorme, é outra experiência. Então decidi pegar os CDs e LPs do porão e coloca-los no Estúdio que tava sendo pouco usado. Assim que coloquei os discos lá pensei, porque não transformar essa sala toda num ambiente pra relaxar e curtor musica...e assim começou. Logo minha mulher entrou na jogada tambem e achou 1001 coisas relacionadas aos Betales, sua banda favorita, inclusive um CD que o Ringo autografou pra ela. Temos tantas coisas que nem tudo pode ser usado. Estamos pintando as paredes, comprei uns moveis novos pra sala (que é onde fica minha bateria e a parede atrás da bateria será pintada com uma imagem que é simbolo do rock...pense British Invasion).

Até fui no ebay e comprei LPs (especialmente pela arte grafica) de 2 de minhas bandas favoritas, The Doors e Eagles. Comprei o LP L.A. Woman dos Doors especificamente pro baterista John Densmore autografar...pois em Abril eles estará aqui perto lançando seu novo livro. Mais um item pra parede.

Uma coisa que tô louco pra terminar pois acho que vai ficar legal é a mesinha da sala que ficará em frente a um sofa. A Mesa terá um vidro em cima e debaixo do vidro vamos colocar os ingressos de vários shows que assistimos desde os anos 80 com fotos que tiramos nesses mesmos shows. Por exemplo tem uma foto que tirei do BB King em 1993 que ficou muito legal, essa foto estará debaixo do vidro da mesa com o ingresso ao lado. Quando a sala ficar pronta postarei fotos.

Então veja só como uma coisinha pode dá tanta inspiração. Os gols do Forlan me deu uma acordadinha, mas vou precisar de muito mais disso no aspecto futebolistico pra engrenar novamente.

PS:

Na foto contra capa de um LP que achei aqui em casa de 86, da Samantha Fox. É um ipod não tem o mesmo efeito de um LP!

PPS:

Esqueci de mencionar que minha inspiração para a nova sala tambem veio de outra fonte. Uma arquiteta Colorada e Gaúcha que conheci em Abu Dhabi, a Mariela Felippetti (a mesma das fotos do Post sobre o ''Sheik paga todoas as bebidas") postou esses tempos no seu FB umas fotos de um trabalho que fez, "uma sala Rock"... que ficou muito bacana (veja foto). Por sinal o trabalho dela é todo muito bom. A imagem da sala rock dela especialmente o aspecto britânico me deu aquela lampadazinha sob a cabeça. Interesante e coincidentemente procurando esse link pra compartilhar com vocês achei o blog dela onde num post anterior ao da foto ela explica a inspiração dela para a sala rock.




domingo, março 03, 2013

FORLAN!


Estive em Caxias para conferir a nova casa do COLORADO, vi muitos problemas de organização, vi um estádio ainda muito precário, vi um time aguerrido, vi um técnico que ta fazendo um bom trabalho, mas acima de qualquer coisa vi uma baita apresentação do uruguaio FORLAN.

Dois golaços que lembraram as grandes atuações da Copa do Mundo e que me deixaram entusiasmado com o atacante. Alguém poderá dizer que o adversário era fraco, o que é verdade, mas ele já é o goleador da competição, esta jogando bem e  tem mostrando boa capacidade física e fez um gol chutando com a direita e outro com a esquerda, isso mostra que ele está muito bem.

Eu gostei do que vi do time, principalmente antes das substituições, com boas trocas de passes, jogando com muita garra,sempre buscando a vitória. Esse espírito vencedor, que luta para ganhar todas as partidas que eu não via no time ano passado, esse ano não falta, e se não é certeza de conquistas é pelo menos um passo importante para elas.

Semana que vem Dunga poderá conquistar sua primeira taça como treinador do INTER em partida que vai ser realizada em sua terra natal, tenho certeza que será um conquista cheia de significado, para ele e para a equipe, um primeiro passo para coisas maiores. 

ESTÁDIO CENTENÁRIO

Eu já falei sobre isso na quinta e não quero repetir muito isso para não parecer implicância, mas o público foi muito pequeno (pouco mais de 4 mil torcedores me disse um repórter) o que mostra que nem em partidas relativamente importantes chegamos perto dos 10 mil expectadores.

Os problemas começam no check in, onde o sócio não é informado em quais portões sua carteira terá acesso, imagine para quem não frequenta aquele estádio ter que ficar dando voltas para saber onde e a entrada das cadeiras, ou das sociais. Para quem vai de carro há poucos locais para estacionar, há poucos bares e banheiros e o acesso foi um problema.

Com muitas roletas dando defeito (eu entrei pelo portão 2 e das 4 roletas apenas 1 estava "lendo" carteirinhas) o acesso ao estádio foi muito ruim. Vi filas em todos os portões e no CAS, todo mundo acabou entrando, evidentemente, até porque havia pouco público, mas os problemas não foram poucos.

Se com o público pequeno desta partida eu vi tantos problemas acontecendo imagino como seria se houvesse uma grande mobilização de torcedores e tivessemos 15 mil de público. Havia a informação de que desde dezembro do ano passado estava sendo planejada essa ida para o Centenário, e nesses 3 meses muita coisa importante ficou de fora do planejamento e precisa ser consertada urgentemente, a direção precisa consertar isso ou rever a decisão de jogar em Caxias.

André Flores
@ojogodointer