sábado, dezembro 31, 2011

Tendências 2012

Vamos jogador por jogador, de que se pode esperar dele baseado em seu passado, idade e outros variáveis. Verde para que eu acho melhorá em relação a 2011, Amarelo pra quem eu acho que ficara perto de 2011 mas sem melhorar e vermelho pra que eu acho caírá de produção:

MURIEL - Ainda Jovem, a tendencia é melhorar. Já provou que não é frangueiro que nem Renan, mas tambem ainda falta ele provar que é um grande goleiro. Acho que terá um 2012 parecido com 2011.

NEI - Nei acaba de chegar aos 26 anos. Acreditem se quiser mas eu acredito que 26 é o ano magico para o jogador de futebol. É em muitos casos o ponto alto de uma carreira de futebol. Zidane em 98, Maradona em 86, Falcão em 79...tudo com 26. Não que Nei seja um desses, mas 26 é uma idade boa pra jogador. Em 2011 ele teve 3 Gols e 4 assistências. Convenhamos um lateral tem que produzir mais que isso ofensivamente. Em 2010 ele teve 1 gol e 4 assistências. Acredito eu que ele deveria ter no minimo como objetivo 8 a 10 assistencias e alguns gols. Baseado nisso e na melhora do futebol de Nei em 2011 eu tenho fé de que 2012 será um otimo ano para ele.

MOLEDO - 24 anos, ainda jovem com futuro. Provou ter muito talento em 2011 mas teve umas falhas bizonhas. Acho que tá claro que ele é o mais titul;ar dos nossos zagueiros. Mas é facil se destacar. Agora temos que ver se ele vai manter a qualidade. Veremos em 2012 se ele é um zagueiro serio. Ou se deixará o sucesso subir a cabeça.

BOLIVAR - Por enquanto continua sendo o titular. Se continuar no time será o buraco na defesa e comprometerá todo sistema defensivo do Nei ao Moledo, todos caírão em rendimento por causa do Bolivar. Não existe desculpa aceitável pra manter Bolivar com 3o 3 tantos anos no time. Mesmo que não saia do clube.

KLEBER - Em 2009 teve 3 Gols e 18 assistências. Em 2010 teve 5 Gols e 12 assistências e em 2011 teve 4 gols e 11 assistências. Numeros muito melhores que Nei mas os numeros a cada ano estão caíndo. Se ficar acredito que fará mais uns 2 ou 3 gols e com sorte chegará a umas 10 assistências.

GUINAZU - 33 anos. Até quando ele vai aguentar correr como corre? E como jogará quando não puder mais? Acho que ele ainda tem mais um otimo ano nele. Mas depois de 2012 acho que não dá mais.

TINGA - 33 anos. Acredito que seus melhores anos já passaram a muito tempo. Tambem noto que muitos estão dividos com Tinga. Alguns vê otimas atuações enquanto outros acham ele acabado. A tendência acho que não é boa, com dois volantes de 33 anos e um meia com 31 anos. Jogar mais do que jogou em 2011 acho dificil o Tinga jogar a essa altura. A questão é decidir o quanto ele jogou em 2011; Muito ou pouco?

D'ALESSANDRO - 2011 foi seu melhor ano no Inter; 16 gols e 15 assistências. (Em 2010 teve so 5 gols e 13 assistencias e em 2009 teve 11 e 11). Tem 30 anos. Se fizer um "Double Double" como nos 2 ultimos anos já tamos no lucro. Menos que isso e será decepcionante. Eu acredito que terá um bom ano. Ainda mais com ele se esforçando pra achar uma vaga na Seleção Argentina.

OSCAR - Tem tudo pra realmente virar destaque. Até agora teve alguns momentos de brilho mas tá faltando regularidade. Talvez a idade e uns quilos a mais ajudará em 2012. Em 2011 teve 13 Gols e 14 assistências o que é muito bom. Ele tem potencial pra ser o primeiro a chegar ao "Twenty Twenty" (20 gols , 20 assistências). Se isso acontecer em 2012 o Inter terá um otimo ano.

DAGOBERTO - Acredito que Dagoberto ainda não mostrou todo seu futebol. Se ele se sentir bem no Inter, sem lesões e com Damião de parceiro e Dale e Oscar servindo o ano inteiro...Watch out! Pode chegar facilmente aos 20 gols. Eu acredito que terá um ano de destaque. Na verdade It's now or Never para o Dagoberto pois completa 29 anos em Março. Esse é o ano para ele em definitivo se tornar um dos maiores atacantes do Brasil.

DAMIÃO - 40 montruosos gols em 2011. Será muito dificil duplicar esse numero. Pois não é mais novidade a outras defesas. Terá atenção especial dos outros times e ainda vai dividir a responsa com Dagoberto. Alecsandro fez 28 gols em 2009 e 25 em 2010. Então é de se esperar uns 30 do Damião. Menos que 25 seria um tanto "decepcionante". Se ficar no Inter o ano inteiro, aposto que fará uns 27 gols e terá mais assistencias que ano passado, passando das 15 assistências. Deixo ele na categoria Amarelo pois não acredito que possa topar 2011 (talvez até por sair do Inter no meio do ano) mas mesmo assim terá um bom ano, só que não tão brilhante como 2011.

Em geral é o que todos nós sabemos. Se acharmos um companheiro pro Moledo que não seja o Bolivar, se o dupla de volantes não se aposentar durante 2012 e se o quarteto "DODD" jogar 90% do que cada um sabe jogar podemos ganhar tudo. Com ainda alguns ajudtes e muito trabalho o ano promete!

Qual sua analise de cada jogador?

Giuliano

Se Giuliano ir pro Grêmio é apenas mais uma prova que 99.9% dos jogadores jogam apenas com dinheiro na cabeça. E tambem que não entendem por completo a rivalidade GreNal.

Eu até entendo alguns casos, como Mauro Galvão que dedicou 7 anos de profissional no Inter mas que se criou Gremista. No Inter foi muito Profissional e até fez gol de bicicleta em GreNal para o Inter. Era até natural ele querer jogar um dia no Grêmio. O mesmo pode ser dito do Tinga, por acaso começou no Grêmio mas era Colorado desde criancinha.

No inicio da carreira jogadores como Galvão e Tinga tem que ir onde ele é aceito, onde tem chance para ele um dia ser profissional. Mas o dificil de aceitar é o jogador com passagem marcante em um para ir se vender no outro sem ter sido torcedor do rival desde pequeno. Casos como Christian e Manga ambos idolos no Inter que depois foram jogar no Grêmio. Manga na era Pre-Internet ainda escapou de criticas ao longo prazo. Boa parte dos Colorados hoje nem sabem que nosso goleiro Bi Campeão Brasileiro jogou no Grêmio em 79 inclusive contra o Inter na campanha do Tri Invicto.

O caso mais marcante desse tipo obviamente foi a do Batista como já escrevi essa semana aqui a semana dos 30 anos desse acontecimento. Batista era Colorado desde criança. Pior do que um idolo jogar no Grêmio, é um idolo sair do Inter direto para o Grêmio. Isso tem uma magnitude enorme. E aconteceu no caso Batista. Em retribuição ao Batista o Inter contratou o centroavante Geraldão direto do Grêmio (na verdade Geraldão não foi renovado pelo Grêmio para o desespero do Paulo Santana). Geraldão mataria o Grêmio no proximo Gaúchão com 5 gols historicos nas duas finais.

Tambem temos casos de jogadores que passaram pelo Inter mas não marcaram epoca. Esses a gente não liga muito, como Hidalgo ou até Rochemback que saiu jovem do Inter para o Barcelona mas que não deixou muita história no Inter. Deve ter varios outros exemplos da qual não lembro agora.

O dificil de entender mesmo é quando o jogador tem e fez história no Inter, não é Gremista desde criancinha e com dezenas de possiveis clubes pelo mundo acaba indo para o Grêmio. Isso não só é dificil de entender como é uma burisse incrivel. Tu queima tua história em um clube e dificilmente se tornará idolo no outro. Pergunte ao Batista.

Não sei se tem validade esses rumores do Giuliano. Na verdade se for jogar lá eu nem tô ligando muito. Ele não é tudo isso. Se fosse não estaria jogando num time da qual nunca ouvi lá no Leste Europeu. Mas como disse seria uma baita burrada dele. Isso é coisa de se esperar de um Walter CheeseBurger, não de um Giuliano. Vai jogar no Palmeiras, no Vasco, no Santos, no Cruzeiro e preserva parte de SUA história, não seja burro. Mas se o cara não tá nem ai para sua propria história a conclusão é simples; pra ele só importa uma coisa, dinheiro.

Por isso o mais simples é parar de idolatrar todos os jogadores e pensar como o gênio do cinema Alfred Hitchcock quando ele disse "Actors should be treated like Cattle" (Atores devem ser tratados como Bovinos). Ou em outras palavras o que importa é o Sport Club Internacional e não jogador A B ou C. Eles são apenas uma peça temporaria. São poucos, muito poucos que merecem nossa idolatria.

sexta-feira, dezembro 30, 2011

Define os Anos

Qual seria sua definição de cada ano para o Inter em uma ou duas palavras? Concordam com as minhas?

2005 - Ascenção e Revolta (pelo Titulo roubado)
2006 - Histórico (pelos primeiros titulos Internacionais)
2007 - Patético (pela pessima performance e vontade do time)
2008 - Triunfo e Fracasso (SulAmericana heroico mas sem Classificação pra Libertadores '09)
2009 - Forte mas Decepcionante (pelo Vice na Copa do Brasil)
2010 - Bi-Polar (De Campeão da America a fiasco no Mundial)
2011 - Sub-Performance (se tivessimos jogado 10% melhor teria sido um ano de grandes conquistas)

e como será definido 2012?

quinta-feira, dezembro 29, 2011

Natal colorado


Na foto acima, o tio tentando trazer mais 3 pequenos grandes goianos para nossa torcida. ;-) Essa semana não tem texto meu sobre futebol aqui no blog, mas sim o desejo de um ótimo fim de ano para todos e que 2012 traga muitas alegrias para nós! Mas para não dizer que não deixei nenhuma mensagem, segue uma mensagem mais filosófico-espiritual que escrevi ainda no primeiro semestre, no meu blog pessoal: "Hoje e aqui, enternamente". Fica como reflexão de fim de ano.

Abraço!

2012 igual a 2011?

Fernandão falou hoje:

"o burro não aprende, o inteligente aprende com os próprios erros, e o sábio aprende com os erros dos outros".

Se for assim porque não aprendemos depois do Mundial 2010? Porque renovamos com Roth, Bolivar, Renan.....? 2011 foi jogado fora por causa de erros assim. Pior é que vamos em 2012 com praticamente o mesmo elenco irregular de 2011. No maximo teremos 2 ou 3 novos jogadores. Talvez apenas 1, o Dagoberto. João Paulo e outros jovens provavelemente continuarão em segundo plano para dar espaço a Jô, Zé Roberto etc etc etc...

E tambem repetiu o discurso:

"Temos um grupo excelente para a temporada. Confio demais em nossos jogadores. Gente que sei que renderá, como Jô e Ilsinho, por exemplo"

Um grupo praticamente o mesmo da segunda metade de 2010 e 2011. Se pouco renderam em 2011 porque confiar que vão render agora? Finalmente aprenderam a jogar futebol nas ferias?

No papel até é bonitinho, assim como em 2011. Mas basta lembrar a irregularidade de 2011 e as varias desculpas pra imaginar o que pode ser 2012. E repito, se Bolivar e ou Renan entrarem no time, podem esquecer de 2012.

É preocupante saber que o já esquiecido pela maioria, o Renan, está a uma lesão da titularidade. O que significaria o fim do ano para o Inter. Se o Fernandão diz aprender pelo passado porque esse goleiro continua no Inter? Se eu que me criei jogando Baseball num país estrangeiro sabia e escrevia em 2007 que Renan era frangueiro, porque os Profissionais não conseguem ver isso? Ah mas vocês vai dizer "Renan é passado, pra que falar nele?". Como disse, uma lesão no Muriel e quem será o titular? Renan. E ainda temos Bolivar pra comprometer....

A gente tenta ser otimista, mas aí lembro que são os mesmos de 2011...vestindo a camisa em 2012.

quarta-feira, dezembro 28, 2011

Perguntinha

Se o Vasco e o Santos desistiram do Kleber (salario alto demais) e não tem nenhum outro clube interessado porque está na imprensa que o INTER vai dar uma porcentagem de uma jovem promessa ao Sonda (dono dos direitos do Kleber) para que isso convença Sonda a deixar Kleber no Inter. Ora, SE NINGUEM QUER LEVAR O KLEBER, ummm problema resolvido! Não precisa dá 20 nem 30 nem 40% de um João Paulo qualquer pro Kleber ficar.

Que parte que eu não tô entendendo? Porque isso não faz sentido. Kleber tem contrato até 2013, ninguem tá pagando pra levar e o Inter então do nada vai dar % de outro atleta ao Sonda? Tudo bem entendo que Sonda merece ganhar o dele, mas não me parece o momento certo. O Sonda que se vire e acha um comprador! Ou faça com que Kleber pare de pedir um salario ridiculo desses clubes.

Qual era o acordo com Sonda quando Kleber veio? Que ele seria revendido depois de X anos? Ou Sonda ganharia parte dos direitos de outro. E o mais importante..QUANDO. Porque agora isso tá acontecendo com contrato em vigor.

Repito, entendo e concordo que Sonda como investidor tem que ganhar o dele, mas essa situação em particular não faz sentido. O Inter vai pagar pra manter o Kleber quando ninguem quer levar ele?

Alguem mais tá achando essa história toda estranha?

PS: A temporada quase começando e só saiu o Andrezinho e só veio o Dagoberto. Tudo acontecendo muito mas muito devagar.

PPS: Quanto sera que os Boleiros tão ganhando nessas partidas "beneficientes" onde ate patrocinador tem nas camisas? Será que Neymar por exemplo não tem nada melhor pra fazer do que jogar 2 partidas "beneficientes" por semana durante as ferias? E quem paga se eles se machucarem? Quanto será que Bradesco pagou para o jogo de hoje pra tá estampado na camisa de Ronaldo, Neymar etc... Esse dinheiro foi pra qual "beneficiente"? Ah sei...um saco de arroz pro Zé....100 milzinho pro boleiro.

Intervalo e reforços

E como é triste esse período que ficamos sem futebol. Não sei se é só eu, mas os domingos perdem todo o sentido. Mas todo ano é assim e aos poucos nos acustumamos. O maior problema durante esse período sem jogos é acompanhar as os programas/sites/qualquer coisa esportivos, que viram uma especulação danada atrás de pautas para cobrir o expediente.

Consequentemente, o mercado parece muito mais movimentado do que é. Até agora, Kléber foi e voltou e foi e voltou e nada, só para dar um exemplo. Garanto que ele não sai. Mas de qualquer forma, não é o mais importante. Bolívar é outro que já saiu e voltou quantas vezes, mas esse todo mundo torce que saia. E logo.

Um motivo extra para torcer pela saída do Bolívar, é que, ele indo embora, temos uma desculpa para trazer um reforço para a defesa. Sabemos que não precisamos de desculpa para melhorar o time, mas conhecem os dirigentes. Se ninguém sai, automaticamente ninguém precisa entrar.

Me sinto meio desumano falando assim do Bolívar, ainda mais se lembrarmos de tudo que ele já jogou pela gente, na Libertadores, no Mundial. A mesma coisa quando reclamamos do Índio. Mas torcemos pelo time, e não pelos jogadores. Se o remédio agora mata, temos que cortá-lo.

Estou muito feliz com a (finalmente!!!) vinda do Dagoberto. Excelente jogador com um nome estranho. Imagina a dupla de ataque que incrível que vai ficar. Quero ver como o Dorival vai organizar o nosso time, agora com dois atacantes. Além disso, com a saída do Andrézinho, acho importante conseguirmos uma reposição para ele. Talvez até o próprio João Paulo sirva bem.

Pra fechar o time, um lateral direito. Não precisa ser uma contratação, mas que deixem sacrementado um reserva que nos dê segurança. Pode ser até o Elton. Na parte final do ano, o Nei começou a jogar bem feito louco. Mas se ele sai, se machuca ou é suspenso (o que acontece muito) só temos remendos. 

Um zagueiro, um meia e um lateral direito, talvez esquerdo também, pelo mesmo motivo que o direito. Nosso time não precisa de muito, é só consertar seus pequenos problemas. Teremos um bom ano, e como sempre, entraremos no Brasileirão como um dos favoritos, o que quase nunca é bom. Nada que não possamos vencer.

segunda-feira, dezembro 26, 2011

Nostalgia

Em época de muita especulação infundada e pouco fato concreto, resta a nós, viciados em futebol, acompanhar todas as notícias com certa distanciação e ceticismo e esperar pelo início do calendário futebolístico de 2012, que para nós, colorados, está a apenas algumas semanas de distância devido à pré-libertadores.

Natal e final de ano, por si só, constituem uma época de avaliação, reflexão e porque não, nostalgia.

Nostalgia esta que me baseio para fugir um pouco dos temas já debatidos em overdose (necessidade de reforçar o grupo com um zagueiro, mandar os medalhões embora, contrato com a AG, cortar custos, etc...) e compartilhar com você, leitor, um texto diferente, com o meu TOP 10 de jogos memoráveis, inesquecíveis.

Apenas para contextualizar, sou nascido em 1983 e passei a acompanhar futebol no fim da década de 80/começo da década de 90.

10. Inter 1 x 1 Atlético-Mg em 31/08/97: este jogo é especial para mim pelo fato de ser meu primeiro jogo in-loco no Gigante.Morador desde minha infância do interior gaúcho, fizemos uma excursão a POA para celebrar a excelente campanha até então no Brasileirão, e ainda lembro como se fosse hoje a sensação de perder o fôlego quando vi por dentro a grandiosidade de nossa casa. O jogo em si foi meio frustrante, mas a experiência foi única.

9. Paysandu 0 x 2 Inter em 17/11/2002: o jogo que nos salvou do inferno do rebaixamento, e símbolo dos erros de um ano que serviu de aprendizado para a retomada de nossa grandeza e de clube vencedor.

8. Grêmio 2 x 5 Inter em 24/08/97: a década era 90, uma Copa do Brasil era tudo que tínhamos depois da vitoriosa década de 70, e acostumado com decepções, via a arrancada fulminante no Brasileirão de 97 com resguardo, uma certa pulga na orelha... Até vir o Grenal que “Uh-Fabiano” jamais nos deixará esquecer... Infelizmente, o desfecho do campeonato não seria tão feliz...

7.Inter 2 x 1 Grêmio em 12/02/89: não assisti propriamente o jogo, pois tinha 6 anos na época,mas é a minha mais antiga recordação futebolística, impossível não lembrar meu pai quebrando a mesa em comemoração e as ruas casquenses explodindo num vermelho-sangue, sangue este que pulsará em mim até meu derradeiro fim...

6.Inter 3 x 2 Chivas em 18/08/2010: a América era vermelha novamente, num jogo tenso, nervoso, mas que nos consolidava como equipe brasileira da década e nos credenciava a buscar o bi-mundial. Giuliano e Damião, a realidade e a promessa, e que belos gols.

5.Inter 1 x 0 Fluminense 13/12/92: o primeiro título de relevo que eu vi, a primeira glória aos meus olhos, um emocionante jogo decidido aos 40 e poucos do segundo tempo, num pênalti cobrado pelo xerifão Célio Silva e que eu fechei os olhos para não ver, de tamanha expectativa...

4. Inter 3 x 2 Pumas em 22/03/2006: depois de anos afastado do Gigante, e pela primeira vez na competição continental tão almejada, lembro-me de 3 momentos distintos: consternação, decepção e frustração com os 2 gols mexicanos – será que realmente fui destinado a ser um sofredor?? – ceticismo, mágoa e alívio com o empate – o torcedor colorado tem fome, o empate não basta, quero mais – e êxtase absoluta com a virada, num mágico esquema 4-2-4 pra “dentro-deles” do Abelão – tenho certeza, seremos campeões... e fomos!

3.São Paulo 1 x 2 Inter em 09/08/2006: depois da virada contra o Pumas, e as eliminações de Libertad e LDU em tensos jogos, se havia ainda alguma dúvida, este jogo sacramentou nosso destino de futuros campeões, uma exibição de gala de Sóbis e de todo o time colorado, vergando o campeão mundial em título da época em seus domínios... Histórico...

2. Inter 2 x 2 São Paulo em 16/08/2006: o jogo e o ano do exorcismo de todos os males, o fim de todas as dúvidas, o renascer do gigante adormecido. Ou como eu chamo, o jogo de 140 minutos... Porque eu juro, que depois do gol e expulsão do Tinga, que foram jogados mais uns 90 minutos até o apito do juiz... Recordo-me do São Paulo sitiando o meio-campo e nossa área defensiva, e peço ao torcedor com radinho ao meu lado quantos minutos eram... 29 ele responde... e depois vieram ataques e mais ataques adversários, bolas tiradas de qualquer jeito, um rondar e cerco perigoso em nosso campo defensivo, simplesmente uma eternidade... certo de que o jogo já estava acabando, volto ao torcedor, pergunto o tempo decorrido, e tinham-se passados... TRÊS minutos... inesquecível...

1. Inter 1 x 0 Barcelona em 16/12/2006: a glória máxima... Como o Louis disse, só com derrotas como essa do Santos pra ter uma real dimensão de nosso feito... Encerrado o jogo não pude comemorar... Tive que tomar um banho antes, tamanho o nervosismo e suor que eu estava... encharcado, eu, e todos nós colorados, jogamos juntos, fomos uma só alma, fizemos história.

E você, quais foram seus jogos memoráveis?

Sds coloradas...

Serio Fernandão?

Pra que contrariar a torcida? Pra que ficar fazendo desculpas por Bolivar? Ninguem mais quer ele no Inter. Isso ta claro. Ficar fazendo media com bolivar na imprensa so vai sujar o nome do Fernandao.

A temporada de 2012 ja comecou e hoje estamos a uma lesao e cartao da zaga titular mazembica de renan nei bolivar indio kleber. Lembrando que a dupla de volantes titular são mazembicos tambem. Tinga e guina.

2012 e o time do meio pra tras eh praticamente o mesmo de abu dhabi. Pior 2 anos mais velhos e ricos. E ai o fernandao vai a imprensa pra preparar a torcida por mais um ano de bolivar.

Estamos pedindo pra comecar 2012 como terminamos 2010.

Só Dagoberto e Damiao não vai adiantar.

Sera que vamos acabar ouvindo as mesmas desculpas de sempre no fim.

Alguem me explica como eh possivel manter essa base mazembica intacta por tanto tempo?

Lembrando o unico que saiu ate agora o Andrezinho nem jogou nos emirados.

domingo, dezembro 25, 2011

HISTÓRIA FALSIFICADA!

Já dava pra ver que isso ia acontecer. Esses dias no Post que fiz "Marco e Micro" lembrei que a gente esquece com o passar do tempo dos detalhes de certos anos, campeonatos, confrontos. É simplesmente muita informação acumulada e aos poucos alguns detalhes desaparecem ou não passam de geração em geração. Em outros casos alguns intencionalmente tentam re-escrever a história, seja em Politica, Guerra, Futebol ou bolinha de gude.

Hoje mesmo no Globo Esporte eles fizeram uma reportagem sobre o Barcelona e compararam ele com a Seleção Brasileira de 70 e 82 dizendo que jogavam de maneira parecida. Pior, usaram o Flamengo de 1981 tambem na comparações como times Brasileiros que jogavam que nem o Barcelona hoje. Safados! Mentirosos! Enganadores! Nem a Seleção de 82 e muito menos o Flamengo de 81 jogava assim. Mentiras pra mudar a história. Pra enaltecer o Flamengo que comemora 30 anos da Copa Toyota. É uma vergonha isso. Se era pra usar um clube Brasileiro nessa comparação poderiam ter mencionado talvez o quase imbativel Inter de 75 e 76. Mas nem de passagem mencionaram.

Dizem que os vencedores escrevem a história. No Brasil o Eixo escreve ela. Ou melhor a Globo.

Agora, 5 anos depois da conquista do Inter no Mundial, a imprensa e torcedores de outros clubes e até alguns dos nossos esqueceram o quanto foi dificil e improvavel bater o Barcelona em 2006. Com esse novo Barça de 2011, estão querendo desprezar nosso titulo de 2006 "Ahh não é o mesmo Barça de hoje...aquele Barça qualquer um ganhava". Pelo amor de Deus a que ponto chegamos!!

Eu tava lá. Eu vi a babação sobre o Barça na midia, na torcida...nada mudou. Se o Barça de hoje é imbatível (Ué e o Getafe?), aquele tambem já era. A Midia Brasileira considerava o Inter morto antecipadamente..assim como a imprensa do mundo todo! Não viram o Soy Loco Por Ti Mundo? A opinião da imprensa tá bem registrado nele. O Inter ia tomar um chocolate do Imbatível Barcelona!

Agora me contam que o SporTV falou que se o Inter de Iarley e Gabiru ganhou do Barça o Santos de Neymar e Ganso teria atropelado eles!! Que piada! O Santos de 2011 teria perdido para o Barça de 2006, não tenho duvida alguma. O Santos entrou em campo com medo, morto, assistiu o jogo. O Inter em 2006 não. Não tenho duvida alguma que Santos 2011 x Barça 2006 da Barça facil.

Mas é isso. Memoria curta, esse é o problema das pessoas. Esqueceram talvez de proposito que o time do Barcelona em 2006 era um timaço e que nossa conquista não foi sorte, nem ruindade do adversario. Foi TRABALHO. O Inter TRABALHOU um monte pra conquistar aquilo. Mas do que o normal para um clube Brasileiro. Por isso ganhamos o Mundial em 2006. Ganhamos o Mundial porque TINHAMOS que ganhar! O Inter TINHA que ganhar aquele mundial. E todo Gaúcho sabe porque (preciso escrever?). Já o Santos nunca TINHA que ganhar. Ainda viviam da Era Pelé. Não havia pressão emocional pro Santos ganhar. E não é coincidência que em 2010 fracassamos no Mundial. Já não precisavamos tanto vencer o mundial, se é que me entendem.

A Imprensa que divulga essas coisas deveria ter vergonha na cara, pois é ela que a partir de agora tu sempre vai ouvir dizer "É mas o Barça de 2006 não era a mesma de 2011".

JUCA KFOURI ESCREVEU logo apos a vitória do Inter em 2006:

"Nos dois primeiros minutos, parecia que o Barcelona só iria se divertir. Os espanhóis ficavam com a bola e o Inter errava passes. Nos 10 primeiros minutos, a coisa mudou. Os brasileiros passaram a ter domínio da bola e a ameaçar o gol catalão."

Interesante né. O Inter parou aquilo que o Santos não consegiu em 2011. O Santos se acanhou e deixou o Barça tocar a bola. O Inter immediatamente se impos e parou com isso o maximo possivel. A intenção do Barça em 2006 era fazer exatamente o que fez com o Santos. Mas nós não deixamos! Mesmo assim no fim do jogo o Barça tinha bem mais posse. Mas nada perto daquilo que o Santos permitiu.

O Barça é melhor em 2011? Tudo indica que sim, mas isso não fez a vida do Inter mais facil em 2006! Uma coisa não tem nada a ver com a outra!

"O Barça era mais consistente e mágico.O Colorado era mais sério e competitivo." Escreveu o Kfouri em 2006.

Notem que Kfouri usa a palavra "MAGICO" em relação ao Barça de 2006! Interesante não? Não é só em 2011 que o Barcelona era considerado de outro planeta! Não deixem eles te enganarem!

Em 2011 o Barça continuou sendo consistente e magico. Só que o Santos não é o Inter. E o Santos não foi Serio nem competitivo.

Antes do jogo o Kfouri escreveu "É chover no molhado dizer que o Barcelona é melhor e favorito.".

Então não vamos tentar re-escrever a história fazendo de conta que o Barça de 2006 era mediano. Não era mediano, era um timaço! Todo mundo falava isso. Todo mundo escrevia isso. Todo mundo sabia disso.

O que o Inter fez em 2006 duvido que outro clube Brasileiro teria feito. E se tem um time que poderia bater o Barcelona de 2011, esse time é o Inter de 17 de Dezembro de 2006.

sábado, dezembro 24, 2011

All I want for Natal

Acho estranho que ai no Brasil a moda de fazer musica de Natal nunca pegou. No twitter me falaram que Simone é a unica permitida a ter musica de Natal no Brasil kkk. Já nos EUA e Europa é dificil achar uma banda que não tenha ao menos uma musica de Natal gravado. Algumas bandas tem até discos inteiros. De Beatles a Beach Boys a Queen a U2...até Pink Floyd e Led Zepllin tem alguma coisa gravada de Natal.

Talvez no Brasil a percepção (por causa da Simone talvez) é que não seja cool pra fazer mas anotem ai, um dia alguem vai fazer ai um disco cool de Natal, vai vender horroes e vai virar o novo "MTV Acustico" onde todo mundo faz um. Varios anos atras em troca de email com o Roger do Ultraje a Rigor fiz essa sugestão a ele, especialmente por ele ser um Fã dos Beach Boys. Acho que um disco de Natal com aquele tom ironico do Ultraje daria certo.

Mas o que eu quero mesmo pro Natal é que o Inter contrate um novo Zagueiro! Não estarei satisfeito se começamos a Libertadores e mais um ano com Bolivar de titular. Isso não é mais aceitável!

Deixo com vocês um encontro no minimo estranho para a epoca entre o já velho Bing Crosby e o ainda jovem David Bowie cantando uma musica Natalina juntos. Duas gerações bem distintas.



sexta-feira, dezembro 23, 2011

Jogo de 82

Achei essa perola no Youtube Inter x Flamengo na integra no Beira Rio no Campeonato Brasileiro de 1982. Pra quem quer ver como eramos no inicio dos anos 80. Não acho futebol tão diferente assim daquela epoca para agora como sempre dizem por ai. Tirem suas proprias conclusões. Raridade achar um jogo da epoca na intergra.

Inter jogou de: Gilmar, Edevaldo, Mauro Pastor, André Luiz e Rodrigues Neto; Mauro Galvão, Ademir Kaeffer e Rubem Paz; Silvio, Geraldão e Silvinho

Flamengo com o time Campeão da Copa Toyota: Raul, Leandro, Marinho, Mozer, Junior; Andrade, Zico e Adilio; Tita, Anselmo e Lico.

Agora vejam o jogo inteiro e vejam se o Flamengo era o Barcelona 2011 como o Globo Esporte falou que era essa semana. Não que o Flamengo não tinha um otimo time, mas a comparação não tem nada ver alem da Globo tentar fazer media com os Flamenguistas.

Agora pegam uma cerveja, um café, Chimarrão ou qualquer outra bebida e aproveitam pra voltar ao passado pra ver uma raridade dessas. Há boas chances que eu estava nesse jogo mas não me lembro com certeza.



PRESENTE DE NATAL





Finalmente chegou o segundo atacante

Muitos meses atrasados após a cagada de mandar Rafael Sobis embora, Leandro Damião tem um companheiro de qualidade para o ataque.

Dagol é rapido, habilidoso e tem um bom chute de fora da área, acho que faremos um estrago com o quarteto que está sendo formado: Oscar Dale Dagol e Damigol

Agora vamos agradecer ao papai noel e esperar um presente de ano novo: UM ZAGUEIRO PELA ESQUERDA!!!!!

Acho que com mais um zagueiro, um lateral direito e um volantes fechamos o time titular.

Eu tentaria a contratação do Ibson, Ceará e Miranda

Muriel,

Ceará Moledo Mirando e Kleber

Bolatti Ibson Oscar e Dale

Dagoberto e Damigol

SOY LOCO POR TRI AMÉRICA!!!


O DIA

O dia em que Batista jogou fora a idolatria de Colorados por ele. Um baita jogador hoje sem ser idolo de ninguem. A culpa não foi toda dele mas foi um pessimo negocio a longo prazo para ele.

Faz 30 anos hoje. Foi capa da ZH e noticia que rendeu semanas para a imprensa. Foi um pessimo dia para os Colorados perdendo seu idolo para o Grêmio. É como se amanhã a capa da Zero Hora noticiava "Guinazu no Grêmio".

PS: Eu comecei uma entrevista de 10 perguntas com o Batista a uns anos atras para o BV. Ele respondeu as 5 primeiras perguntas. Mas quando mandei as ultimas 5 que incluía perguntas sobre esse caso, ele nunca mais me respondeu.



A ultima partida do Batista com a camisa do Inter no Beira Rio foi essa, 6 a 0 no Palmeiras com 2 do Batista e uma assistência genial. Ele quebraria a perna no proximo jogo em Recife.



quinta-feira, dezembro 22, 2011

200 mil = 75 mil

A diretoria planeja chegar aos 200 mil sócios nos próximos anos (veja aqui). Se é possível? É claro que sim. Já vimos torcedor aqui no blog relatar que conseguiu sozinho mais de 20 sócios. De cara, eu incluiria minha esposa. Isso para cada torcedor talvez já aumentasse em 50% o quadro. Aliás, sinceramente, acredito que até seja "fácil", diante da credibilidade que o Inter conquistou junto à torcida nos últimos anos. Mas esse fácil vem entre aspas, sim, pois só o será se a diretoria tiver audácia e competência. Os 100 mil vieram com um salto na gestão e com o título mundial. Os 200 serão ainda mais difíceis. Não chegaremos nem perto dos 200 mil, se continuarmos na mesma toada atual, com base apenas no discurso, "Olha, seguramos o Damião! Trouxemos o Dagoberto!" e outros quetais.

Não, direção. Sr. Presidente do Inter Giovanni Luigi, será preciso sair do comum, se quiser atingir essa meta. Aí, sim, será fácil. Vamos aos pontos mínimos. Conto com os leitores para sugerir outros pontos importantes e estratégias. Vamos "entregar" um plano para nossos dirigentes e ver se eles aproveitam pelo menos uma parte. ;-)

Política institucional no futebol. Sr. Presidente, o Inter terá que se comportar como gente grande (que é, diga-se). Terá que ter uma filosofia de excelência que vá do senhor até o massagista, que não tolere preguiça, falta de compromisso, de profissionalismo, seja de quem for, jogador, comissão técnica, todos, enfim. Não é preciso imaginar: queremos a seriedade e o compromisso que vimos em 2006, não como um fato passageiro, mas como comportamento institucional, perene. O Fernandão está aí, espero, para trabalhar isso. O time é a principal vitrine dos valores do clube e é daí que os próximos 100 mil sócios começarão a vir.

Política administrativa do clube. Sr. Presidente, é preciso parar de vez com a falácia em torno de nossa organização, quanto ao atendimento ao torcedor e satisfação ao sócio. Queremos serviços realmente de primeira qualidade, desde os banheiros, passando pelas opções de alimentação e entretenimento, até o acesso ao estádio. Além disso, queremos cada vez maior transparência na gestão. Queremos ter acesso à saúde financeira do clube ao qual nos associamos e contribuímos financeiramente.

Capacidade do estádio. O ponto principal. Com os atuais 100 mil sócios, eu não me preocupo em ter um estádio maior. Atualmente, como sócio modalidade nova, há 1 cadeira para cada 4,5 sócios aproximadamente. Acredito que essa média é aceitável, pois quando quis, encontrei ingressos (indo com antecedência). Porém, se é pra atingir 200 mil, a situação muda. Para manter a relação cadeiras/sócio-novos, precisaremos de 75 MIL LUGARES no estádio. Ouviu, Sr. Presidente? Seria uma piada de mau gosto, se a direção insistir com a meta de 200 mil, sem garantir 75 mil lugares e um possibilidade mínima destes sócios irem aos jogos importantes. Não dá para quase 170 mil sócios disputarem 15-20 mil lugares. Então, será necessário rever este ponto na parceria ou esqueça os 200 mil, pelo menos da minha parte. Não quero (e certamente ninguém quer) contribuir mensalmente para um clube e praticamente não ter chance de vê-lo ao vivo.

Certamente há outros pontos importantes. Mas elenco inicialmente estes três primeiros e deixo aos colegas aqui do blog a sugestão de outros. Vamos levantar a bola e mais a frente podemos até produzir um documento oficial, inclusive com nomes e matrículas dos sócios, para enviar ao Inter.

Sr. Presidente, podemos desejar muitas coisas nessa vida e cada desejo tem seus requisitos. Quer 200 mil sócios? Ótimo, nós também. Mas aí, 200 mil é igual a 75 mil, além dos demais pontos. É preciso pagar o preço.




Once Caldas, Que Bom!

Perfeito, Pegamos o mais difcil!

Tinha muita gente querendo o time supostamente mais fraco. Pra que? Pros jogadores e comissão achar que seria facil assim como o Mazembe? Muito muito melhor que seja o adversario mais complicado! Assim quem sabe eles entram em campo com olho de tigre e não sapato alto.

Estou feliz! Essa de torcer pra pegar o fraco...vocês não aprenderam a lição do Mundial quando ficamos felizes com a derrota do Pachuca do Mexico para o Mazembe? Memoria curta parece ser o tema do BV essa semana!

quarta-feira, dezembro 21, 2011

CHOQUE HÁ 30 ANOS

30 Anos menos 1 dia depois do Batista sair direto do Inter para o Grêmio, Sorondo faz o mesmo.

Há exatos 30 anos começava uma sequência de eventos que na minha opinião foi o momento mais chocante na história do Futebol Gaúcho. Sugiro que deem uma lida na Sessão "Ha 30 anos na ZH" pois ali dá pra ver as noticias como era em "tempo real" pois estão acontecendo hoje e nos proximos 2 dias.

Hoje a 30 anos atras o novo Presidente do Grêmio seria eleito, Fabio Koff. O maior jogador do Inter o Batista estava se recuperando de uma perna quebrada e com o contrato esgotado. O Presidente Asmuz não consegiu ou não quis acertar um novo contrato e deixou Batista de molho, sem contrato.

Enquanto isso o Inter elegeu um novo Presidente em Dezembro de 81 o Artur Dallegrave e o Vice de Futebol veio a ser o Frederico Arnaldo Balve, o Fernando Carvalho dos Anos 70.

Balve mal voltou ao cargo quando hoje a 30 anos saiu a noticia que o Fluminense estava conversando com o Batista. Balve pretendia acertar com o Batista como havia feito a 2 dias com o goleiro Benitez.

Mas pouco sabe o Balvê que "hoje" logo apos o Fabio Koff ser eleito ele entrará em contato com Batista para informa-lo do interesse do Grêmio e de que novas regras do passe permite que Batista saia do Inter sem envolvimento do Inter. Basta um clube depositar o valor do passe (163 Milhoes de Cruzeiros). Foi sem duvida um ataque surpresa do Grêmio. Tudo sob sigilo e muitos nervos. Foi o Pearl Harbor do Grêmio no Inter. O Inter totalmente pego de surpresa.

Batista preocupado com a oferta e troca direta de clube para o Grêmio primeiro vai a sua Mãe para ver sua opinião. Batista vem de uma familia Colorada e quer saber o que a Mãe dele pensa. Ela diz "Onde tu for eu vou contigo". Assim Batista que estava preocupado em disputar a Copa de 82 (sem jogar não seria convocado pois Tele já havia dito isso) e que já tava a meses sem contrato decidiu aceitar a oferta do Grêmio.

Em 2 dias essa Manchete deve tá estampada na capa da ZH "Batista é do Grêmio!"

Nunca vou esquecer esse dia.

No inicio eu culpei Batista. Depois culpei Asmuz por sua arrogancia e de como ele mal tratou Batista. Agora estou dividido pois me dei conta que Asmuz acaba de sair do Inter e Balvê é o novo Vice. Porque Batista não deu uma chance ao Balvê antes de aceitar a oferta do Grêmio. Talvez há outros fatores?

Acompanham isso nos proximos dias.

(Leia direto na Revista Placar o que aconteceu)

Coincidencia que outro jogador do Inter, Sorondo, voltando de lesão sai direto do Inter para o Gremio exatos 30 anos depois?

terça-feira, dezembro 20, 2011

Fora/Dentro de Campo

Fora de Campo

A aprovação da minuta de contrato entre Inter e AG, pelo Conselho Deliberativo, encerra a participação política do clube na questão. Com 283 conselheiros presentes (bom quorum) e mais de 80% de aprovação, o clube demonstra ao mercado investidor que está de portas abertas aos interessados em lucrar com novo o Beira-Rio.

A síntese é que o clube reformará seu estádio nos moldes do que já foi amplamente divulgado e arrumou um sócio para explorá-lo por 20 anos. A grosso modo é isso, sem entrar em detalhes que a cláusula de confidencialidade não me permite. O que fica é que se a parceira lucrar, o Inter também lucra. Não há como fugir disso. Ou negócio será bom para ambos, ou não será bom para nenhum. Claro que há riscos, claro que o clube abrirá mão de algumas receitas, mas dadas as circunstâncias, estou convencido de que foi a melhor alternativa.

O grande empecilho de reformar o estádio com recursos próprios teria sido os riscos a serem assumidos. Perder a Copa, com seus investidores e os benefícios decorrentes das obras públicas no entorno do estádio, sem contar a corneta, não seria bom negócio. Foi assumido um compromisso público, inclusive com camisetas dizendo “A Copa é Nossa”. Isso pesa. Fora a incerteza quanto ao cronograma de realização das obras e às fontes de receita. Houve quem dissesse, no Conselho, que somos especialistas em construir estádios com recursos próprios. Pode até ser, mas também é verdade que durante toda uma década, ganhamos apenas um Gauchão, enquanto o Beira-Rio era erguido. Tem seu preço.

Enfim, é uma questão vencida e agora cabe a todos os colorados torcerem para que dê tudo certo e fiscalizar as relações que nascerão em virtude da parceiria a ser firmada.

Assim se encerra o ano de 2011 para o Inter. Depois de 13 reuniões do Conselho Deliberativo, rachas políticos, debates acalorados, troca de comando no Futebol, miramos 2012 com a possibilidade de renovar nossas maiores conquistas.


Dentro de campo

Espero, para o próximo ano, foco total no campo por parte da Direção. Meu sentimento de torcedor, que sempre me guia, é o de que temos algumas contas para acertar. Eu ainda não digeri os Brasileiros de 2005 e de 2009. E tampouco a Copa do Mundo de 2010. E aí eu encontro muita motivação!

Eu cresci vendo a bola bater na trave! Lembro que em 2006 eu ia pro estádio num misto de orgulho e temor. Não havia arrogância. Havia uma sensação desconfortável de que a qualquer momento uma nova desclassificação viria. Me lembro claramente de ter sentido isso imediatamente após o gol do Alex, contra o Libertad. Havia muitos fantasmas a exorcizar. Taquicardia era mato!

Recordo que na final, contra o São Paulo, vivemos 90 minutos de agonia, num jogo que parecia não permitir que finalmente regatássemos a grandeza distante vivida nos anos 70. Aquela partida foi um deboche dos Deuses, uma verdadeira provação! O 2 x 1 era o fim do sofrimento, mas o futebol é um esporte que se presta a desafiar a lógica. Tinga foi punido por se declarar fiel a Deus e, com ele, toda nação colorada! Sua expulsão e o empate do São Paulo, que não tardou a vir, nos levaram de volta à sala de tortura de mais de 20 anos.

Ali, eu desafiei o meu destino em pensamento! Acho que todos os colorados fizeram isso. Aquela sina maldita dos anos 80 e 90 precisava ter fim! A senda de vitórias cantada com orgulho no hino do clube precisava ser resgatada a fórceps, calando os rivais que fizeram uma geração inteira de colorados crescerem ouvindo alguma coisa do tipo “Nunca serão!”

Aquele sentimento coletivo presente nas noites de Copa, no Beira-Rio, era uma mescla de humildade, devoção, temor, crença, angústia e arrojo! Não posso querer que as novas gerações sintam o mesmo. Não viveram o que eu vivi, não sofreram o que eu sofri. Mas apesar de todas as vitórias que vieram, eu ainda tenho entalado na goela o grito de Campeão Brasileiro! E também acho que devemos, a nós mesmos, reescrever nossa história nas Copas do Mundo de clubes.

Pois o ano novo se nos apresenta com todas essas possibilidades, e eu não vejo a hora de voltar ao Beira-Rio!

Feliz Natal e um Feliz Ano Novo!

Tenho que discordar...

Bom dia, pessoal. Semana de Natal, desejo a todos ótimos momentos com suas famílias e amigos. Antes de seguir com meu tema principal, cito aqui um trecho de um belo texto de Maria Lucia Lee (um blog que indico a todos, ver aqui) que começa assim:
“O segredo é não correr atrás das borboletas. É cuidar do jardim para que elas venham até você”, escreveu o poeta gaúcho Mário Quintana.
Parece uma frase simples, dessas que a gente lê, acha bonito e logo depois esquece. Mas se quisermos aplicar esse pensamento na vida com profundidade, sentimos que pode ser muito doloroso cuidar do próprio jardim. Para isso, é preciso reconhecer as ervas daninhas que existem dentro da gente. Elas são ilusões que devem ser arrancadas do coração. [...]
Vocês sabem que gosto de metáforas. Pois bem. Esta de Mário Quintana (ps.: talvez não seja dele, como os leitores estão dizendo) é perfeita para o Inter, em minha visão. Sinto que estamos à caça de borboletas, desde o título em 2006. Até pegamos algumas, inclusive muito belas, mas este esforço vai começar a ser em vão, cedo ou tarde. Entre 2002 e 2006, as borboletas vieram até nós após cuidarmos bem demais de nosso jardim. Foco, planejamento, vontade, trabalho. Nossos jogadores tinham menos nome, mas jogavam muito mais bola.

Devíamos voltar a cuidar de nosso jardim.
--

O texto de hoje até poderia ficar por aqui. Mas vou me arriscar a comentar essa questão do Barça, a qual já me referi algumas vezes. Além do discurso óbvio e previsível da imprensa, o que não o torna menos exagerado, vejo muitos leitores aqui do blog indo na direção inversa e afirmando que este Barça não é nada demais, mas apenas um time com grandes jogadores e que joga e trabalha sério. Vou ter que discordar, embora as proposições aí contidas sejam verdadeiras: de fato, são grandes jogadores e trabalham sério. Mas não é apenas isso.

Já disse alhures e reafirmo: o Barça está impondo um novo paradigma para o futebol e quem insistir em resistir e continuar enfrentando-os com a filosofia tradicional de futebol vai continuar se frustrando. Nenhuma seleção brasileira ou time nunca jogou como jogam hoje, embora tenhamos tido times incríveis, como as seleções de 70 e 82, além de times como Santos de Pelé, Inter de Falcão, Flamengo de Zico, etc. O carrossel holandês de 74 também não jogou assim, embora seja a origem filosófica do paradigma.

Quanto ao jogo, muito já se falou, mas vou enfatizar alguns pontos: (i) uma filosofia absolutamente coletiva, em que nenhum jogador é "peça fundamental" e em que cada individualidade é potencializada pela atuação conjunta; (ii) o ritmo é o mesmo do início ao fim, não existe o conceito de "segurar resultado", no sentido de evitar o jogo; (iii) não existe posição fixa do meio pra frente, mas apenas áreas de atuação: todos devem ser capazes de concluir a gol e de participar do ataque; (iv) a movimentação dos jogadores é muito semelhante a de esportes como o basquete, com triangulações recorrentes e contra-ataques velozes em que sempre dois jogadores abrem totalmente para os lados; (v) os passes são como no futebol de salão: quase que na totalidade são rasteiros e curtos, com o jogador recebendo em movimento; e (vi) nenhum jogador pega a bola parado e sai driblando em direção ao ataque: dribles ocorrem com o jogador também já em movimento, o que dificulta a marcação e torna o drible mais objetivo.

Há ainda marcação adiantada, etc., etc. Se alguém me mostrar em que lugar do mundo estes cinco aspectos aparecem conjuntamente, pago uma cerveja (ou um copo de leite...rsrsrs) no Celeiro de Ases.

Mas não é apenas no jogo que o paradigma está instalado. Na gestão é que o quadro se completa. Vejamos: (i) não há reservas, estritamente falando: há rodízios, exceto no caso dos jogadores de exceção, que considero apenas Iniesta e Messi; (ii) a filosofia de jogo é treinada desde o início das categorias de base; (iii) suspeito fortemente que há treinamento de futsal para a gurizada, para aprimorar condução de bola, passe, chute a gol e triangulação com movimentação constante; (iv) não criam a figura do "super-astro", como o Cristiano Ronaldo no Real, o Neymar no Santos, etc.: é sempre o coletivo; (v) resultado disso, não há jogador intocável: todos podem ser substituídos; (vi) os jovens são lançados paulatinamente, com preparo e sem pressão, num time que já joga bem e não em um time em busca do padrão de jogo: com isso, talentos não são queimados e disperdiçados e, melhor, são formados em casa; (vii) os jogadores comprados para compor o elenco são jogadores já maduros, mas que vem para compor, nunca como estrelas; e (viii) eles gostam de jogar bola e são comprometidos com o trabalho: quem não é, sai naturalmente, como ocorreu com Ronaldinho Gaúcho, enquanto Iniesta permaneceu. O resultado é que não há necessidade de exagerar nas concentrações para os jogos, o que permite um descanso mental muito maior aos jogadores.

Novamente, quem me apontar um clube que faça isso, ganha duas cervejas. Não pessoal, não dá pra defender que o Barça seja apenas a excelência do futebol tradicional. Não. Afirmar isso é ser teimoso e não perceber uma mudança de paradigma na nossa cara. A excelência do futebol tradicional é, hoje, o Real Madrid, um belíssimo time e muito bem treinado pelo Mourinho, mas que ainda é da "velha escola". Engana-se quem acredita que passados os atuais jogadores, o Barça vai cair de produção. Eles certamente já estão trabalhando os próximos Iniesta, Xavi e, por que não, Messi. Devem estar lá com seus 14, 15 anos. Se os demais clubes não assumirem essa nova filosofia e embarcar no "futebol 2.0", como escreveu o Louis, o domínio catalão só terminará se o Barça fechar as portas.


Mas será difícil. Mudar de paradigma é algo que o ser humano odeia. O esforço é sempre contornar, para permanecer ao máximo na zona de conforto. Então, ainda por um bom tempo é provável que nos contentemos com as derrotas ou empates esporádicos do Barça, dizendo "Tá vendo? Não tem nada de imbatível aí..." e acreditando nisso, esquecendo que os caras são humanos e vão mesmo, às vezes, jogar sem tesão ou desatentos. Ou mesmo, às vezes vão jogar bem, mas a bola não vai entrar, coisas do futebol, afinal.

Retomando Mário Quintana, eu prefiro cuidar do jardim, como Barça fez. Eu gostaria que o Inter copiasse o Barça. Não para ser o "Barça brasileiro", mas para ser mais um clube partindo para o novo paradigma, disposto a enfrentar o desafio. O Inter deveria buscar um consultor holandês perito nesse esquema de jogo para implantar a filosofia em nosso clube.

Até porquê, esse "futebol 2.0" é muito bom de ver. Dá gosto ver jogadores que gostam de jogar futebol durante 90 minutos e não apenas até fazer um a zero, como se jogar bola (e treinar) fosse um sacrifício.

No futebol 2.0 não tem espaço para preguiçoso, para estrelinha ou para quem não curte estar em campo e jogar.

ps.: Fiquei pensando na cara de tacho do Casagrande, que no ínicio do jogo, por ver o Messi de cara fechada e sem olhar para os jogadores do Santos, disse que durante o jogo o Messi ia "conhecer quem era o Neymar". Somos uns idiotas mesmo. O cara sério, concentrado, focado no jogo, é "arrogante". O certo é fazer como brasileiro, ficar de sorrisinho, brincadeira, beijinho no adversário, etc... A atitude do Messi é tudo que eu espero de jogador profissional.

segunda-feira, dezembro 19, 2011

Morcegos

Tenho uma amiga que mora na Rua Duque de Caxias, no centro de Porto Alegre. Do terraço do prédio de onze andares é possível vislumbrar a vista mais magnífica da cidade, cento e oitenta graus de ângulo para o Guaíba, incluindo aí desde antes do Gigante até depois da ponte móvel. Um espetáculo realmente.

Quando se olha pra baixo é quase um tabuleiro de Banco Imobiliário, ou maquete. São inúmeros os telhadinhos de casas antigas em terrenos estreitos, salpicados por elementos verticais e alguns edifícios já nem tão modernos assim. A Igreja Nossa Senhora das Dores pode ser observada de costas, deflagrando que o frontão na fachada que compõe a sua bela escadaria na verdade esconde um telhado bem mais baixo (malandragens arquitetônicas).

É incrível perceber o quanto o Guaíba é sinuoso e majestoso. Contemplando na altura da margem, em projeção acumulada, o horizonte não escancara tamanha beleza destas águas como na vista superior. Em nível zero o destaque fica sempre para o exclusivo pôr do sol – que de cima não perde encanto, apenas divide a cena com aquela superfície de movimento suave, onde os reflexos do astro rei produzem uma pintura indescritível.

Parece também que de cima do décimo primeiro andar podemos alterar tudo o que acontece lá embaixo, como se fossem peças de xadrez. Trata-se de um breve momento eu sou Deus - que dura muito pouco. Do alto de um mirante como esse o que se tem é a certeza de nossa modesta existência individual num contexto chamado meio ambiente.

Há bem pouco tempo estive com amigos neste terraço, admirando esta mesma vista: o sol no horizonte pegando no sono enquanto pintava o céu de vermelho. Foi caindo o dia, as primeiras luzes nas janelas acenderam e a noite veio chegando pianinho. Foi nessa hora que presenciei um dos fenômenos mais impressionantes que já pude testemunhar.

Da sombra que cobria os telhados da cidade foram surgindo em grupos, voando pra cima e na direção do rio, milhares de morcegos. Não estou mentindo, não eram centenas, mas milhares de morcegos. Voavam por cima e pertinho da gente, desviando da fachada do prédio guiados por seus eficientes sonares. Em movimento distinto dos passarinhos devido às asas de batman, morcegos planam charmoso. Giram o eixo do corpo, dançando pelo trajeto.

Fiquei pensando, toda aquela morcegada dorme de cabeça pra baixo durante o dia em cima das cabeças de quem estiver no centro (hã, quem de cabeça pra baixo?). Se alguém perguntar qual a imagem que conota liberdade, a esmagadora maioria das pessoas apontaria um vôo de pássaro. Caros amigos, caras amigas, vocês não imaginam quão livres podem parecer um bando de morcegos, voando pela noite de Porto Alegre. Não sei se pela alcunha de Drácula ou se pela cara de poucos amigos que a estrutura morfológica atribui ao bichinho, mas temos o hábito de rechaçá-los quando na verdade são animais que compõem um equilíbrio natural: dormem de dia e se alimentam de insetos à noite.

O técnico do Santos Muricy Ramalho fez um honesto desabafo quando se referiu ao esquema do Barcelona como “(...) caso de polícia no Brasil”. A imprensa gaúcha simplesmente surtaria diante de um esquema sem atacantes. Aliviou Dorival Junior quando Damião esteve lesionado e foi só por isso que tolerou o Inter em campo nesta formação. Nem estou dizendo que o esquema deva ser adotado ou que seja o caminho das pedras pra se chegar ao patamar catalão. Refiro-me à nossa falta de alcance, à nossa insistente negação de enxergar a vida e as coisas como são, boas e ruins. Sem monstros ou super-heróis. Porque temos tanta dificuldade de construir algo reconhecendo nossas fragilidades na mesma proporção das potencialidades?

O time do Barcelona não é de outro mundo. É bastante real, tão verdadeiro quanto os morcegos que vi surgindo de esconderijos embaixo do meu nariz. Não tem feitiço, é natural: trabalho em formação, filosofia de clube que respeita tempo & resultado e visão coerente de si mesmo. O passeio sobre o Santos de Neymar não surgiu repentinamente, não é mágica. Cresceu ao longo de pelo menos uma década, enquanto os demais dormiam. Também aprendeu a sua lição há cinco anos no gol de Gabiru, como humildemente recordou o zagueiro Pujol.

Certamente se todos os clubes do universo tivessem a mesma conduta, ainda assim Messi, Iniesta e Xavi encantariam o mundo todo com algo que só eles têm, como realmente vêm fazendo. Mas isso é momento (de time ou jogador), a gente reconhece, respeita e eterniza.

No entanto, se queremos honestamente aprender alguma lição da aula de ontem, precisamos entender que um projeto campeão se consolida de dentro pra fora. Nós precisamos parar de ver vampiros onde há morcegos. Vampiros não existem. Morcegos são de verdade.



domingo, dezembro 18, 2011

EXCLUSIVO 2006

(comentarios sobre a Final de hoje na parte de baixo desse post, mas não deixem de assistir o video novo com imagens exclusivas de 2006)

Capa de Jornal de Barcelona apos Vitoria do Inter em 2006. Maldito Gabiru, fazendo crianças chorar!

Hoje coloco aqui um novo edit de meus videos exclusivos nunca antes vistos da conquista do FIFA Club World Cup de 2006! Avisem a todos os Colorados! 5 Anos depois, novos videos!

O video tem imagens exclusivas de horas antes do jogo, durante o jogo e depois do jogo, tudo no meio da torcida e inclusive o gol do Gabiru filmado da arquibancada. Imperdivel! Video de dar inveja a qualquer "Portoalegrense"! E Video que Santista sonha em fazer parecido amanhã, mas que dificilmente se tornará realidade!




PS:

Vexame em Yokohama. 3 a 0 no Intervalo com Barça com 75% posse de bola. Uma coisa ;e perder em zebra pro mazembe, outra é ser humilhado em final. Ao menos o Tweeter tá divertido. Algumas:

( ) Neymar (x) Gabiru

Abelão Machão. Muricy Cagão.

Até que a ideia de jogar Pelé não era tão ruim!

O Gandula tem mais posse de bola que o Santos.

Santos fez 3 em 10 minutos no Beira Rio. Então ainda dá!

Depois dessa de hoje Corinthians pede pra sair da Libertadores. Conmebol aconselha que não estão a perigo pois não ganharão a Libertadores de qualquer maneira.

MURICY NO INTERVALO: Primeiro a acertar um passe ganha a camisa do Messi autografado.

Pior do que ser humilhado numa final...é ser humilhado e ainda com aquele cabelinho do Neymar. É Neymar Cabelo não ganha jogo!!

Foguetorio em Porto Alegre: Gremistas comemoram NÃO participação na Libertadores 2012!

Agora serio: O perigo agora é a imprensa e gremistas menosprezar 2006 dizendo que não era o mesmo Barça etc etc..já tamos vendo isso por ai.

E MAIS SERIO: O Barça mesmo ganhando de 3 e 4 correu, marcou, quis mais, não parou. ISsO TEMOS QUE APRENDER...VONTADE! É o que sempre escrevo aqui...VONTADE é (quase) TUDO! Isso é o que é mais incrivel do Barça a vontade! Enquanto isso nos entreamos 3 gols ao Santos em 10 minutos. VONTADE e GARRA + QUALIDADE = TITULO

Futebol 2.0

Curtem o Video de nossa conquista em 2006, novo edit meu de imagens exclusivas do Japão.



Eu não sou especializado em estrategias futebolísticas, não fiz curso de tecnico e custumo ver futebol como escuto musica; sem prestar muita atenção na letra. Fico mais no som, na musica mesmo.

Talvez por isso tenho problema em apreciar tecnicos. Acho a maioria deles pagos dinheiro demais para fazer nada novo. Entra Tite, Sai Gallo, entra Roth, Sai Cuca, entra Joel Santana, sai Leão.... um monte de gente tocando tudo a mesma musica sem nenhuma originalidade e ganhado horrores pra ser banda Cover do Justin Bieber.

Por isso que de vez em quando nesses ultimos 6 anos de Blog Vermelho escrevo algo do tipo "Será que não dá pra fazer algo diferente num campo de futebol do que a mesmisse de sempre? Estou acustumado com esportes Americanos onde tatica é tudo, jogadas são desenhadas, tecnicos TRABALHAM de verdade....porque nenhum tecnico faz algo diferente. Quem descobrir esse diferente primeiro vai ter uma enorme vantagem e vai dominar." Não sei onde, mas ecrevi algo assim nesse blog...mais de uma vez.

E parece que finalmente chegamos nesse ponto. O Barcelona, seu tecnico Guardiola e seus jogadores descobriram um futebol novo. Futebol 2.0.

Eles humilharam o Santos, meio até sem querer. Eles apenas fizeram seu papel nos 90 minutos Correr, tocar bola, correr e continuar correndo mesmo depois de fazer gol, tocar tocar tocar...correr correr correr...90 minutos mais o tempo extra. Uma grande diferença de quase todos outros que se poupam depois de fazer gol ou mesmo antes. O Barça faz gol e Guardiola não fecha o time, eles continuam jogando do mesmo jeito. É o futebol que deixou de ser preguiçoso. Claro ajuda ter talento tambem, mas tambem como escrevo aqui a anos...e até muito recentemente VONTADE é 50% de futebol! O Barça prova isso. E vontade não é só se abraçar antes do jogo e rezar pros deuses. Vontade é correr como se sua vida dependesse disso 90 (NOVENTA MINUTOS) mesmo ganhando de 4 a 0! Dedicação!

Não sou jornalista esportivo. Não sou expert em tatica. Mas tenho 'Common Sense' Sempre questionei porque os tecnicos não inovam no futebol e ficaam na mesmisse e sempre disse que um time com VONTADE mesmo ALEM de ter bons jogadores pode ganhar tudo. O Barcelona é prova de que isso dá certo.

Agora resta ver se finalmente se o mundo em particular o Brasil...mais em particular o Inter vai acordar pra isso. Tambem já escrevi que basta 1 time no Brasil ter coragem e inovar e ter jogadores dedicados que eles vão ganhar tudo no Brasil e na America do Sul. Mas quase todos os clubes decidem fazer a mesma coisa e reciclar os mesmo tecnicos e jogadores acomodados. No começo de 2011 esse foi exatamente o percurso do Inter.

O Barça domina agora o Mundo, mas ainda dá pra ser o Clube Brasileiro que domina a America do Sul. Só que agora o segredo vazou e vai virar uma corrida para ser o primeiro a chegar a Lua.

O que vocês acham, tá na hora de pegar o bonde antes que seja tarde demais?


PS:

Finalmente o Gonça postou meu golaço de 2010 quando passei por Porto Alegre. É como sempre digo. Joguei. Marquei! Golaço, aço, aço açoooo! Eu sou tão rapido que escapei a marcação tão rapidamente que tu nem vê o defensor no video! kkkkkk



sexta-feira, dezembro 16, 2011

Inter Salvou o Mundial

Isso mesmo galera. A razão DUPLA pela qual o Mundial Fifa de Clubes continuará a existir por mais um tempo é graças ao Inter.

Não pensem que essa Copa está garantida de ser disputada pra sempre. Ela é relativamente nova e qualquer coisa pode acontecer como mudarem o formato ou até cancelarem ela. Lembra que em 2000 tiveram um Mundial no Brasil e depois só voltou em 2005. Existe pressão de muitos para que essa Copa nesse formato não exista, especialmente quando jogadores como David Villa quebra a perna em jogos contras times do tipo Al Saad.

Mas como o Inter salvou o Mundial? Explico.

Primeiro, há grandes chances de que os Europeus ganhem todos os Mundiais...ou quase todos daqui a diante. O ultimo Sul Americano a ganhar foi exatamente nós a 5 anos. Desde então só dá Europeus. Domingo, existe grande chances de dar Barcelona contra o Santos. Se a UEFA reclamar do Mundial a FIFA e a Conmebol pode mostrar o Inter como exemplo de como Sul Americano ainda pode bater times da Europa. E não foi na sorte como o San Pablo em 2005 onde o Liverpool masacrou o SP fez 3 gols anulados e aí tomou um gol no unico lance de perigo. O Inter jogou muito melhor e atacou muito mais que o San Pablo no seu Mundial em 2005.

A outra reclamação que pode ser feito é de que a Final é sempre entre Europeu e Sul Americano, então pra que perder tempo com os times das outras confederações? Bom, isso seria verdade mas não é, graças novamente ao Inter! O Inter é o unico Sul Americano a não chegar a final e assim qualquer hora que alguem reclamar que não precisamos de outros times no Mundial, vão usar o Mundial de 2010 como exemplo.

Então é isso. Se o Mundial continuar nesse formato por um bom tempo, é graças a vitoria do Inter em 2006 e a derrota em 2010. Ao menos o vexame de 2010 servirá para algo bom!

PS: Vou ver de sangue docê a final. Tanto faz quem ganhar. Vou torcer ao menos para o Santos criar um pouco de dificuldade ao Barcelona. Não vou torcer pro Barcelona mas acho que no fim das contas é de maior interesse a nos Colorados que sejamos o unico a ter batido eles no Mundial.

APROVADO

Parceria com a AG aprovado finalmente. Agora é esperar que a construção comece logo e que começamos a ver resultados o mais rapido possivel (E que dê tudo certo!)

Mas gostaria de saber afinal exatamente o que será feito?

- Já sabemos que a inferior será destruída e reconstruída ou seja será completamente nova. E a superior o que exatamente será feito? Ficara como é, apenas com cadeiras novas?

- E a illuminação, um velho problema de estadios Brasileiros, fracos demais. Dizem que o Beira Rio precisa 4 ou 5 vezes a potencia que é agora para nivel FIFA.

- A cobertura será feita quando, no fim da construção?

- Tá no planos os Hoteis? Se sim onde e quando?

- Vão colocar cadeiras em todo estádio? Qual será a cor? Eu gostaria de ver ele todo Vermelho, sem cadeiras brancas.

- Alem do estacionamento garagem, vão pavimentar onde hoje é barro ou quem não estaciona no predio vai continuar estacionado em gramados e barro?

Alguem sabe?

quinta-feira, dezembro 15, 2011

PRÊMIO BV Resultados

Vamos aos resultados das 6 Categorias da Sexta Edição do Prêmio BV contando os Votos de Vocês.

REVELAÇÃO DO ANO 2011:
JOÃO PAULO 62% Dos Votos
ELTON 30%
Zé Mario 3%
Dellatore 2.69%
Lucas Roggia 1.49%

Minha Opinião: Concordo com os que votaram. Só que foi o primeiro ano que o eleito não teve grande impacto no time principal.

Vencedores em outros Anos:
2006 - Renan 52% dos Votos (Pato ficou em segundo)
2007 - Sidnei 75%
2008 - Taison 67%
2009 - Sandro 75%
2010 - Leandro Damião 93%

CONTRATAÇÃO DO ANO 2011:
RODRIGO MOLEDO 49% (Contratado no fim de 2010 mas estreiou em 2011)
Bolatti 37%
Gilberto 5%
Ze Robert 3.79%
Jô 3.01%
Ilsinho 1.17%

Minha Opinião: O Bolatti poderia ter ganho mas não consegiu se firmar, por isso o Moledo com boas atuações merece.

Vencedores em outros Anos:
2007 - Guinazu 65% do Votos
2008 - D'Alessandro 91%
2009 - Giuliano 71%
2010 - Rafael Sobis 49%

PERSONAGEM (NÃO ATLETA) DO ANO 2011:
PAULO ROBERTO FALCÃO 40%
Roberto Siegmann 22%
Dorival JR. 13%
Fernandão 11.8%
Luiggi 9.55%
Fernando Carvalho 2.25%

Minha Opinião: Pra mim fica entre Falcão e Siegmann. Mas acho que Falcão causou a maior euforia e emoções entre colorados.

BLOG DE JORNALISTA DO ANO 2011:
MARIO MARCOS 18%
Cosme Rimoli 12%
Wianey Carlet 10%

Vencedores em outros Anos:
2010 - Cosme Rimoli 16%

Minha Opinião: O Blog do Mario Marcos é bom e eclético (se bem que anda um tanto Politico demais ultimamente quase sempre com artigos com tons anti-EUA quase que diariamente), o Rimoli venceu o ano passado e acho que o Blog do Paulinho merece atenção pois ele escreve sobre as sujeiras do futebol Brasileiro, algo raro. O interesante é que o cara que sibstituiu o Mario Marcos na ZH (Zini) ficou em ultimo nessa votação.

PIOR JOGADOR DO ANO 2011: (DISPUTADISSIMO!)
Jô 30.39% dos Votos
Bolivar 29.59%
Wilson Mathias 26.51%
Renan 7.9%
Cavenaghi 4%
Tinga 0.8%
Andrezinho 0.8%

Minha Opinião: Por 6 votos Jô leva o "trofeu"! Pra mim foi Bolivar disparado! Mas se Renan tivesse jogado o Ano inteiro meu voto seria pra ele!

MELHOR JOGADOR DO ANO 2011:
LEANDRO DAMIÃO: 61% DOS VOTOS
D'Alessandro 37%
Oscar 2%

Minha Opinião: Sem duvida alguma Damião. Mas Dale teve seu melhor ano no Inter.

Vencedores em outros Anos:
2006 - Fernandão 64% dos Votos dos Leitores do Blog Vermelho
2007 - Guinazu 42%
2008 - Alex 58%
2009 - Giuliano 30%
2010 - D'Alessandro 55%

A lista completa de resultados está na Coluna Direta do Blog. Depois vou colocar tambem num lugar só os resultados completos de todos os anos.

PS: E UM GRANDE FELIZ ANIVERSÁRIO AO MEU PAI HOJE!!! ELE GANHA MEU VOTO DE MELHOR PAI!

quarta-feira, dezembro 14, 2011

Não Tem Bobo

Futebol já não é mais como antigamente quando tu não esperava que times de lugares como Japão poderiam jogar de igual pra igual contra Brasileiros. O Santos bateu o Kashiwa 3 a 1 mas não foi show do Santos nem de perto. Eles fizeram 3 bonitos gols tudo de fora da area mas quem teve a bola mais o jogo inteiro foi o time Japones. O Kashiwa tambem teve uns 10 escanteios contra 1 ou 2 do Santos e ainda perderam especialmente no 2 Tempo varios gols. Essa partida poderia ter sido facilmente um 3 a 3.

Mas é melhor pra quem quer ver futebol, ver o Santos chegar a Final e quase que certamente enfrentar o Barcelona. O Kashiwa se tivesse ganho nem teria sua estrela o Leandro Domingues na Final por ter levado o segundo cartão amarelo. Seria uma final sem graça assim como foi o ano passado, graças aos jogadores que representaram o Inter no Mundial (muitos da qual incrivelmente continuam vestindo a camisa do Inter).

Neymar começou com muita firula, mas logo fez um golaço de fora da area. Espero que ele tenha uma carreira melhor que seu idolo Robinho. Quem não lembra 2002/2003, a badalação sobre o Robinho era tão grande quando a badalação sobre o Neymar.

Depois Borges, o Homem que matou Bin-Laden, fez o dele de fora da area, o Kashiwa descontou num escanteio no 2 tempo mas o Santos fez o terceiro e assim acabou o jogo.

Podemos debater pra sempre o que aconteceu ano passado no Mundial. "Se aquela bola entra...se tivessemos um goleiro de verdade no gol (por sinal goleiro do Kashiwa na escola golpe de vista do Renan), se joga Damião". Mas futebol é assim, detalhes...detalhes. Hoje o Kashiwa jogou muito mais e teve mais chances que o Mazembe e o Inter teve mais dominio que o Santos, mas pro nosso azar a bola não entrou. Sei lá, deve haver um fator invisível no futebol que determina essas coisas, talvez seja o Olho de Tigre. O Santos mesmo não jogando muito soube garantir a vitória, o Inter em 2010 não.

PS: Rumores não faltam da saída de varios jogadores como Andrezinho (Botafogo), Kleber (Vasco), Bolivar (Flamengo), Wilson Mathias. Sinceramente não quero bater na mesma tecla mas precisamos mudar a cara do time. Por mais assistencias que Kleber tem feito talvez esteja na hora. Por mais titulos que Bolivar conquistou com certeza está na hora e por mais milagres que Andrezinho fez nos ultimos minutos de jogos acho que ele tambem tá precisando novos ares. Wilson Mathias então nem se fala. Vamo vê se isso tudo não fica só no papo.

O Inter desesperadamente precisa de uma cara nova.

E estou bastante preocupado com esse mata mata pra começar a Libertadores e ainda decidindo fora. Não vai ser nada facil ainda mais voltando das ferias. Então pergunto, qual time seria ideal pra começar esse mata mata na Libertadores? Minha escalação seria uma mistura de Experiência (vital na Libertadores) e Juventude (vital para uma arrancada voltando das ferias):

Muriel
Nei
Rodrigo Moledo
Indio (porque incrivelmente não temos outro)
Fabricio
Bolatti (ou Elton dependendo da forma do Bolatti)
Guinazu
Oscar (João Paulo reserva immediato do meio)
D'Alessandro
Leandro Damiao
Dagoberto (se não poder jogar temos que apostar no Gilberto)

Não são enormes mudanças mas já é um começo especialmente quando no banco não está mais os "velhos" de sempre dando espaço para Roggias, Eltons e João Paulo's. Que acham?

terça-feira, dezembro 13, 2011

Dirigentes, empresário, marketing e imprensa

Conversando com um amigo que trabalha com marketing esportivo, há uns dias atrás, pude confirmar o que todos nós já suspeitamos há tempos aqui. Sim, pessoal, é muito comum dirigentes terem relação promíscua com a imprensa, utilizando seus amigos sempre que necessário para fazer correr boatos em torno do clube. São trocas de favores que envolvem convites VIPs, viagens pagas, informações privilegiadas, etc.

Isso é feito tanto por dirigentes, quanto por empresários. Não é uma novidade, mas achei importante confirmar que não eram apenas suposições ou teorias conspiratórias. Isso mostra o quanto a imprensa (acredito que de modo geral) é de péssima qualidade e que age até de má fé, publicando boatos que sabem ser falsos na origem. Uma pena, mas é a realidade.

Outro assunto interessante na conversa foi sobre o marketing nos clubes. Perguntei ao meu amigo se ele concordava comigo de que o nível do marketing no Brasil é muito ruim e ele disse que sim, era mesmo, mas que não era apenas um problema de capacitação das pessoas envolvidas com o marketing dos clubes, mas um problema estrutural mesmo, mais profundo. Alguns aspectos que me explicou:

Fornecedoras de material esportivo. Normalmente, estas empresas trabalham com sua produção no limite. Por exemplo, algumas fábricas ficam no interior da Bahia, cuja produção deve suprir times do sudeste e do sul do país. Tais fábricas simplesmente não tem condição de aumentar a produção para, por exemplo, aproveitar uma onda positiva do time ou de um jogador. E a coisa às vezes é tão caótica que até enviar material de um clube para outro, acontece.

Recorrer a terceiros. Lembram do caso Damião? Eu não achei a camiseta para vender em nenhum site. Talvez tenham vendido na loja, não sei. Mas segundo meu amigo, provavelmente o Inter tenha recorrido a um fornecedor menor, que muitas vezes não tem mais que 500 camisas brancas e/ou vermelhas disponíveis. Isso, se a Rebook permitir, pois o contrato em geral reza exclusividade e essas negociações são em geral muito difíceis e delicadas. Muitas vezes a ação de marketing morre no nascedouro, simplesmente por não ter como realizá-la.

Amadorismo dos dirigentes. Por fim, há ainda que lidar com pessoas completamente incapazes de ter uma visão a médio ou longo prazos, o que não é novidade no futebol. Portanto, é difícil criar, planejar e executar ações realmente interessantes, pois os dirigentes querem coisas "pra ontem" e normalmente não entendem bulhufas do assunto.

No mais, ele disse que o marketing do Inter, apesar de tudo, é certamente um dos melhores do país, principalmente a campanha de sócio-torcedor.

Sim, acredito que isso é verdade e vale a pena ressaltar isso. Mas não sei se isso é pra comemorar ou pra chorar, o fato de sermos reis de um olho só em terra de cego.

La Minuta

Apesar do título (nada original, reconheço) devo advertir-lhes de que se trata de um post que fala sobre a política do clube sob minha óptica durante este ano. Não abordarei aqui, tão somente a questão referente às obras de remodelação do Beira-Rio, o que farei ao final.

Meu primeiro ano como Conselheiro foi intenso! Não que a minha atuação tenha gerado qualquer efeito prático significativo. Como já disse aqui, em posts anteriores, num colegiado com mais de 300 integrantes, sozinho não se consegue praticamente nada. Fui eleito pelo extinto Movimento INTERnet/BV, cuja maioria dos membros hoje compõe o Convergência Colorada (à época, uma coligação), entrei para o Conselho através de um grupo que se dizia independente, mas que se coligou com outros publicamente vistos como de oposição.

O racha da gestão anterior é conhecido e hoje chega ao seu auge por ocasião da votação da tão aguardada minuta do contrato do Inter com a Andrade Gutierrez. Mas não posso deixar passar batido o fato de que, em meio a tudo isso, a facção que permaneceu na Direção do clube teve mais uma cisão, materializada pela conturbadíssima saída do Vice de Futebol, Roberto Siegmann e do treinador, ex-jogador e eterno ídolo, Falcão. Como se vê, turbulências políticas não faltaram ao longo do ano.

Nessa confusão danada, até que dentro de campo se conseguiram resultados satisfatórios, eu não diria mais que isso considerando os gastos do Depto de Futebol. Contudo, fora de campo, a divisão política do clube permanece e duvido que, neste momento, o Convergência, agora sob nova configuração, consiga gerenciar a crise como já o fez em outros episódios, atuando como uma espécie de algodão entre os cristais. Digo isso porque vivenciei intensamente dois fatos do início do ano que justificam essa figura.

Na condição de Coordenador Geral do Movimento INTERnet/BV, integrante da referida coligação, vi brilhantes desempenhos nos bastidores políticos do clube que evitaram verdadeiras guerras políticas ainda no primeiro semestre deste ano. Refirmo-me especificamente à votação da autorização para a Direção alterar o modelo de financiamento das obras de reforma do estádio (que foi o que lhe permitiu formalmente negociar com a AG, embora isso já se fizesse desde a gestão anterior) e à eleição do Presidente do CD.

Basta rever as manchetes do início do ano para perceber que o embate Píffero/Luigi, especificamente em razão da reforma do Beira-Rio, existe desde janeiro. No entanto, atuações de bastidores extremamente bem sucedidas fizeram com que a atual gestão adotasse medidas que foram muito criticadas ao longo do ano, mas que agora parecem ter dado resultados satisfatórios para o clube. O que quero salientar é que, politicamente, tais sugestões tranquilizaram os ânimos. Tanto isso é verdade que a alteração do modelo de financiamento foi autorizada pelo Conselho Deliberativo por unanimidade, ainda em março.

A abertura de uma espécie de licitação, bem como a criação de uma Comissão Executiva de Obras, composta por 13 Conselheiros, podem ter atrasado em parte as negociações com os interessados em realizar as obras, mas me parece claro que conferiu ao clube maior segurança nas idas e vindas dessas negociaões. Particularmente, tive a oportunidade de, ao longo deste ano, conversar com mais de um integrante dessa Comissão e posso atestar que efetivamente trabalharam, não lhes sendo justas críticas do tipo: se reúnem para nada decidir. Embora eu não saiba como era a dinâmica dos trabalhos em si, posso afirmar que as pautas eram pertinentes e objetivas. Ao menos, a meu juízo. Claro que, igualmente, a contratação de consultoria técnica e assessoria jurídica especializada devem ser consideradas.

Além desse momento, outra situação na qual o clube esteve na iminência de ocupar o noticiário esportivo com sua divisão política foi por ocasião da eleição do Presidente do Conselho Deliberativo. Ali, igualmente participei de uma série de reuniões de negociação que culminaram com a escolha de um nome de consenso, o Conselheiro Luiz Carlos Bortolini. Este não representava nem a ala do atual Presidente, nem a de seu antecessor, de modo que, mais uma vez, em meio às competições de futebol do ano, evitou-se que o clube ficasse exposto na mídia em razão de desentendimentos entre seus representantes políticos.

Infelizmente, a eleição de um Presidente por aclamação não agradou a todos. Refiro-me especificamente a membros da então coligação Convergência. Tais desentendimentos, juntamente com algumas manifestações alteradas que ultrapassaram o limite do tom de voz exaltado, aceitável no calor do debate, fizeram com que mesmo alguns Conselheiros que convergem em ideias, passassem a se relacionar através de novos pequenos grupos. Felizmente, isso é menor, muito menor que os resultados obtidos em favor da instituição.

Mas agora, como já disse, ninguém segura o racha da antiga situação, no momento em que sua origem está em debate: quem executará as obras de reforma do estádio Beira-Rio. Menos mal que o futebol está de férias.

Da miha parte, posso relatar que ao longo do ano busquei me informar com os colegas que fizeram parte da Comissão de Obras, outros ligados à Direção e até mesmo Conselheiros contrários à parceiria. Tentei ouvir o maior número de pessoas envolvidas possível. Agora, só me resta mesmo o mais importante: ler a minuta e tirar as minhas impressões personalíssimas.

Naturalmente que já conheço grande parte de seu conteúdo, como também o público em geral. Tenho convicção absoluta de que não encontrarei nenhuma grande novidade, por mais que a tão badalada cláusula de confidencialidade (algo absolutamente comum em negócios dessa natureza e dessa dimensão), possa levar os mais desconfiados a assim suspeitarem.

A minuta está lá, à disposição e cumprirei minha obrigação junto ao sócio, exercendo a representatividade que me foi confiada democraticamente pelo voto.

De antemão, o que posso dizer é que entendo que essa questão já se arrastou por tempo demais e, agora, é obrigação do Conselho Deliberativo dar-lhe uma solução definitiva. Remeter-lhe a novas instâncias, sem que haja qualquer previsão legal, a meu sentir não está em conformidade com os anseios dos milhões de torcedores colorados.

Todo torcedor é técnico, tem sua escalação ideal. Todo torcedor é empresário, sabe quem são os melhores para serem contratados para cada posição. Todo torcedor é Presidente, sabe qual a melhor solução para as obras, para as finanças, para o marketing, etc. Tem torcedor que até médico é. Vê uma imagem na TV, já dá o diagnóstico e, por vezes, até mesmo o tratamento indicado ao atleta eventualmente lesionado. E muitos deles acertam! Só que tem que ter alguem que os represente, os ouça e leve suas considerações adiante, conforme sua pertinência ou não, caso a caso. É assim no clube, bem como em qualquer sociedade democrática organizada. Para isso se elegem representantes, mais uma vez, democraticamente.

Assim somos, apaixonados por futebol e por esse clube. Mas há instâncias de decisão que devem ser respeitadas e que não podem se omitir. Pois bem, façamos a nossa parte! Particularmente, lerei a minuta, debaterei mais um pouco com meus pares mais próximos e votarei conforme aquilo que julgar melhor para o Sport Club Internacional. E, do fundo do meu coração colorado, espero acertar na minha escolha que, naturalmente, exporei aqui posteriormente.



domingo, dezembro 11, 2011

MUNDIAL

Alguem tá acompanhando? Já vi os 3 primeiros jogos. Os Mexicanos como sempre amarelando e já eliminado.

As semis vão ser Kashiwa do Japão conra Santos e Al Saad do Fossati contra o Barça.

Convenhamos só um desastre tira o Barça da Final. Acho impossivel o Al Saad ganhar mesmo porque na primeira partida o Esperance da Tunísia foi melhor mas pecou na hora de fazer gols.

Já o Santos terá um caminho mais complicado o Kashiwa do Japão e Jorge Wagner estará em casa e o Santos terá aquela complicada obrigação de não decepcionar na estreia.

Se o Santos chegar a Final...olha eu sempre gosto de torcer para a Zebra...acho que torço levemente pro Santos. Como disse não gosto de torcer pra favorito (a não sejo o Inter) e gostaria de ver os Europeus derrotados. Lembrando que eles (a torcida, jornalista etc..) não respeitam o futebol de clubes do Brasil. A vitória do Inter em 2006 deu uma acordada neles, mas acho que já esqueceram.

O que quero mesmo é ver um bom futebol sem compromisso emocional de minha parte. E será interesante sim, se acontecer, ver o Neymar jogando a vida contra a maquina do Barça.

Sabia que 3 dos 4 tecnicos das semis já treinaram o Inter? Muricy, Fossati e Nelsinho. Só falta o Guardiola.

PS:
Admito que como veterano de 2 Mundiais sinto saudades da viagem e das reportagens diretamente do Mundial para o BV. (Quem nunca leu tá tudo registrado aqui, é só ir para o mes e ano nos arquivos do BV). Ainda acho incrivel o risco de ter viajado ao Mundial em 2006 e no fim deu tudo certo! E depois a decepção de nem chegar a final em 2010. E tem gente que não entende porque eu não deixo de lembrar o Mazembasso. É importante não esquecer os erros tambem, para que não aconteçam novamente. Acho que teriamos muitas chances de Bater a Inter de Milão, muito mais chance que o Santos tem esse ano.

PS: Comentario do Fossati: "Estou feliz por ter enfrentado e ganho do Campeão da Africa...tirem suas conclusões de porque falei isso..." Dale Fossati!

PS: E graças a Deus já passamos por cima desse tal de Barcelona! Frêgues!!


sábado, dezembro 10, 2011

O que esperar de 2012

O Que você realisticamente espera do Inter em 2012?

Da minha parte eu espero:

- uma ajustada no time e elenco, mesmo que minimo (2-3 titulares), mas mudando um pouco a cara do time porque já tá mais que obvio que problemas existem. Muitos titulares já estão bem avançados em idade.

- Um titulo. Como vem sendo desde 2006 um titulo de importância é vital. E com isso não incluo Gaúchão. Não que eu não queira ganhar o Gaúchão mas o que quero mesmo é o Tri da Libertadores ou o já super atrasado Tetra Brasileiro. Seria ganância demais querer os dois? Nem vou pensar em Mundial. Libertadores primeiro. Mas sem fazer uma reformulação no time, será difcil ganhar algo alem do Gaúchão como já foi provado em 2011.

- Um Beira Rio sendo reformado. E que realmente fique como um estádio novo, confortável e seguro.

- Bonitas camisas da Nike. Pra ser sincero Nike não é minha favorita. Mas acho que se eles fizerem umas camisas com design clean (como costumam fazer) sem muitas invenções que as vezes eles fazem como nas camisas da seleção (circulos...traços etc..) pode dar certo. E acho que a Reebok merece um obrigado. Chegaram em 2006, deram muita sorte, fizeram varias camisas muito bonitas, ajudaram no Museu, fizeram site com fotos em alta dos jogos. Acho que não há o que reclamar dá Reebok. Tomara que tenhamos o mesmo sucesso com a Nike.

- Uma limpa geral dos problemas nas arquibancadas. Chegou a hora de acabar com torcedor que se acha rei ou dono das arquibancadas e seus seguidores babacas que acham que torcida organizada é Gang. Esse problema da Popular é um absurdo. Torcidas brigando entre si? Que isso! Isso é problema de EGO. E não deveria ser problema do torcedor que quer ir ou levar a familia ao jogo. Tem que começar com os lideres desses grupos. Hora deles voltarem a realidade e o proprio Inter parar de tratá-los como algo especial. Briga com facas? O Beira Rio agora é cadeia? Se as pessoas envolvidas nisso tudo forem permitidos a entrar no Beira Rio em 2012 a Direção Colorada terá que explicar porque.

- Mais transparência. Há muitos mistérios no Beira Rio especialmente em relação ao relacionamento de jogadores/agentes/dirigentes. Isso cria muitos problemas nesses dias de Internet. Muitos rumores. Transparência ajudaria em muito. Mas quando chega noticias de que um de nossos dirigentes (FC) se encontra com Kia (um inimigo mortal do Inter da MSI 2005) e logo depois um dos jogadores do Kia é contratado pelo Inter (Jô) e ficamos sem explicação é de se esperar que os rumores vão circular. Infelizmente o fato da Minuta da AG ser Top Secret por 20 anos não é um bom começo para essa transparência em 2012.

- Falando em Fernando Carvalho, 2012 seria um bom ano para ele dar um Reboot em sua imagem. Não sei se é apenas com a galera que acompanha o Inter de perto que a imagem dele está um pouco nebuloso. Talvez para os Colorados mais Lites que não acompanham de perto ele continua sendo o inquestionável Rei? Como falei acima talvez seja questão de Transpaência. FC desde 2010 só aparece de vez em quando...as vezes desaparece...diz que não tá envolvido...mas logo depois tá lá no meio novamente. Sei lá, eu gostava mais do FC quando ele liderava ao ar livre e não as escuras.

O que mais podemos esperar de 2012? Esqueci alguma coisa?

sexta-feira, dezembro 09, 2011

Completando

Pra completar o Prêmio BV 2011 as duas ultimas categorias.

Primeiro a Personagem Não-Atleta do Ano. Uma Categoria Nova para o Prêmio BV. Interpretam essa categoria como queiram...Pessoa que mais fez impacto, positivamente ou negativamente...pessoa com mais marcou o Inter fora de campo em 2011...

Todos os resultados das 6 categorias (Melhor Jogador do Ano, Revelação do Ano, Contratação do Ano, Pior Jogador do Ano, Blog de Jornalista do Ano e Personagem do Ano) serão anunciados na Segunda Feira no Twitter do BV.

Votem na Coluna Direita do Blog.

LIMPA GERAL

Antecipei meu post em algumas horas pra postar algo sobre as confusões no estádio entre as duas torcidas organizadas. Acho que sou o mais indicado para falar sobre o assunto, pois tenho algum conhecimento sobre os incidentes anteriores e sempre fui um defensor da torcida, inclusive realizei uma entrevista com o lider da popular e tentei fazer o mesmo com o outro lado , mas fiquei sem resposta.

Acho que a hora é agora! A torcida Popular teve papel importantíssimo nas grandes conquistas do clube, quem vai ao estádio sabe do que estou falando, sabe que desde que começaram as brigas por poder e dinheiro o Beira Rio perdeu o fator local, a pressão e o apoio durante os jogos. Eu apoio muito termos uma torcida organizada, que cante, apoie e siga o Inter onde ele for. O que não apoio e nunca apoiei foi uma pessoa se achar dona da torcida, ainda mais quando essa liderança vem através de medo e não de respeito. Não existem santos em nenhum dos lados, pois todos querem no fim poder e dinheiro. Afinal, se o propósito fosse apenas torcer porque brigariam? Chega de envergonhar o clube com brigas, bandeiras de partidos políticos e etc. Cara, temos que ter faixas com o nome do Inter, com nomes de Falcão, Fernandão, Dalessandro, e não de um torcedor "profissional". Seja ele da Guarda ou da Popular. Da FICO ou da 12...

Torcemos para o Inter e não para alguém ou um grupo!

A direção foi omissa sim durante todos os episódios e agiu somente agora quando descambou para facadas e etc.

Vamos ser claros, acabar com a baderna é muito fácil e simples:

- Quem não é sócio não entra mais no estádio Beira Rio! Cadastrem lá as digitais de cada um, e somente sócios entram no estádio. Brigou, fica suspenso, brigou de novo, aumente o tempo até ser o caso de exclusão permanente da associação. Isso é difícil de fazer? PQP é muito fácil, é só querer!!

Assim, além da limpa Mazembica pedida pelo Louis faremos uma limpa de baderneiros e vagabundos que não tem mais o que fazer senão brigar por poder e dinheiro das torcidas organizadas.

A medida é extrema? Sim, mas é a única saída!

Agora as vezes me pergunto porque sempre estes torcedores que cantam e levantam o estádio precisam ser violentos e descontrolados? As torcidas argentinas são um belo exemplo: CANTAM COMO NINGUÉM, PORÉM SÃO SINÔNIMOS DE DROGAS, BRIGAS, MORTES E DINHEIRO!

As Populares ultimamente estavam tão preocupadas em brigar que esqueceram de compor cantos... é só parar para pensar, qual foi o último canto de qualidade que surgiu? Acho que temos Camisa Vermelha, Oh Inter, Bi mundial e fim. O resto é uma coisa chata de escutar e simplesmente impossível de cantar. Não animam estádio e jogadores, dão sono!

O correto não é proibir as torcidas de entrarem e sim proibir os baderneiros! SIM É POSSÍVEL IDENTIFICÁ-LOS E BARRA-LOS!!! O problema é que nosso Presidente de araque não consegue administrar uma carrocinha de churros, imagina um clube...

LIMPA JÁ

FORA BADERNEIROS!!