sábado, setembro 11, 2010

15 de Setembro de 1979

Visitando o passado do Blog Vermelho
TOPICO ORIGINAL DE 14 de Setembro de 2009


Amanhã faz 30 anos de uma data importante pra mim. Sem os acontecimentos desse dia, eu mal saberia da existencia do Inter, eu não teria visto o TriCampeonato, não teria a minima ideia de quem era Falcão e por consequencia o Blog Vermelho não viria um dia a existir. Nesse dia eu tinha apenas 12 anos de idade e embarcava numa viagem que deixaria uma marca na minha vida pra sempre.

Em 1968 eu tinha apenas 1 ano de idade quando meu Pai seguindo conselho de um de seus irmãos fez as malas e decidiu tentar uma vida nova num País distante. Ele fez os documentos e veio sozinho, se encontrou com seu irmão e já no primeiro dia já tava trabalhando numa fabrica. Trabalho tinha bastante pra quem queria e assim pessoas de todos os cantos do mundo chegavam aos milhares diariamente nos aeroportos e portos do País, inclusive muitos Brasileiros.

O plano dele era juntar um dinheiro e montar um apartamento e aí chamar a familia que era minha Mãe, minha irmã de 4 anos e eu com 1. Passou alguns poucos meses e logo ele tinha já uma apartamento alugado, moveis, carro e dinheiro pra nossas passagens. Logo estavamos chegando no Aeroporto de Kennedy pela primeira vez (veja a foto). Eu com 1 ano não tinha a minima ideia do que se passava ou onde eu estava.

Meu Pai (de costas) me segurando na nossa chegada nos EUA em 68. Minha mãe de amarelo e minha irmã (meio coberta) ao seu lado. Na epoca o pessoal se vestia bem pra viajar!

Assim começou minha vida. Minha memorias começam só apartir de lá por 71 ou 72. Quando vi tava morando no Oitavo andar de um predio em Newark, New Jersey indo a escola bem no outro lado da rua (a partir de 1973), brincando na neve nos invernos frios e passando o que parecia eternamente longos dias de verão brincando na rua com meus amigos. Quando era hora de jantar meu Pai ou Mãe me chamava da janela do Oitavo andar.

Não consigo me lembrar qual lingua aprendi a falar primeiro. Acho que não foi uma nem a outro. Quando você é criança pequena você tem capacidade de aprender varias linguas ao mesmo tempo sem o menor problema. Eu aprendi ingles vendo TV e Portugues em casa. (Se voce tem criança de 1 ano so toca DVD em Ingles ou outra lingua que ele(a) aprenderá a lingua cedo e poupara muita grana e trabalho depois, é garantido, portugues ele aprendera em casa) O cerebro de uma criança é uma esponja pois absorve tudo! Até minha irmã que chegou nos EUA com já 4 anos e já falava Portugues não teve nenhuma dificuldade pra aprender Ingles. Inclusive ela so morou nos EUA até os 14 anos de idade, mas se tu falar com ela hoje o Ingles dela é absolutamente perfeito sem o minimo sotaque. É como se ela vivesse aqui toda vida. Mas na realidade ela saiu daqui com 14 e nunca mais voltou, so visitando pela primeira vez esse ano. No meu caso não ouve nada de "isso é Ingles...isso é Portugues" era tudo uma coisa só para mim.

Os anos foram passando e o Brasil pra mim era apenas um lugar distante da qual meus Pais sempre falavam e juravam que um dia iam voltar. Era assim com todos os imigrantes. Chegavam aqui e a primeira coisa que pensavam era "Quando vou voltar ao meu País?" Acho que com meu Pai era uma obsessão. Ele tinha irmão aqui, amigos a familia mas sempre falava desse tal de Brasil e que ia voltar. Eu ficava torcendo que isso era só conversa fiada.

Pra mim não existia essas memorias de Brasil, eu nunca havia morado lá. Eu nunca nem tinha ido ao Brasil com idade suficiente pra ter memoria (em 77 finalmente fui visitar ja um pouco mais velho e lembro bem dessa viagem). Não conhecia ninguem, era um lugar distante de tudo e todos que eu conhecia. Efetivamente meu País sempre tinha sido os EUA e a mera coincidencia de onde eu nasci não fazia a minima diferença. Um pessoa pode nascer até num avião sob o mar Atlantico mas isso não faz dele um cidadão da TAM!


Bem ao lado do meu predio tava essa pracinha onde jogava baseball todos os dias no verão.

Pra mim Brasil era resumido em algumas pequenas coisas:
- Meu Pai escutando futebol (do Inter) com umas narraçoes absurdamente rapidas numa radio ondas curtas cheio de interferencia da janela do oitavo andar.
- Uma ou outra musica Brasileira que era tocada 1000 vezes por ser um dos poucos discos que alguem tinha do Brasil na epoca. Acho que to marcado emocionalmente até hoje por escutar "Ovo de Codorna" 10 mil vezes na minha infancia!! kkkk
- Uma capa de disco do Roberto Carlos dentro de um helecoptero!
- Pastel e Guaraná.
- E o lugar de onde meus Pais moraram toda sua vida e viviam falando.

O Brasil se resumia praticamente nisso. Mas em 1977 fui com minha mãe a Porto Alegre e passei umas semanas na casa de minha tia no Bairro Teresopolis. Já com 10 anos dava pra absorver muita coisa. Porto Alegre comparado com onde eu morava aqui era aparentemente um sossego, especialmente lá no morro de Teresopolis. (Lembro que dava pra ver o Chiqueiro lá de cima). Foi umas otimas semanas. Deu pra sentir que o povo Brasileiro era um pouco differente do povo que morava nos EUA. Aqui nos EUA quase todo mundo (ao menos no meu mundinho) era de um canto ou outro do mundo, era um Clash de culturas que criava até uma certa frieza entre o povo. Cada um ficando na sua.

Enquanto no Brasil todo mundo tava na "mesma pagina" no senso de cultura o que criava um ambiente mais solto. Um exemplo basico: Motorista de Taxi. Aqui nos EUA o motorista fica quieto, não fala uma palavra enquanto no Brasil tu nem sentou ainda e o cara ta batendo altos papos contigo. Incrivelmente pra mim com 10 anos o Brasil me parecia um País em paz com si onde os EUA era uma panela de pressão. Isso se deve em muito por causa de onde eu morava nos EUA, um lugar urbano, com muitas culturas, raças etc... No surburbio Americano com certeza a coisa era bem mais calmo e differente do que eu vivia na cidade.

Mesmo assim depois da agradavel experiencia de 77 em Porto Alegre eu não tinha o minimo interesse de morar no Brasil. Meu Pai e Mãe continuavam fazendo planos para um retorno em definitivo e eu torcendo pra que nada acontesese. Minha vida era escola de manha e inicio de tarde e o resto do dia dependendo da epoca do ano jogar Baseball na rua na primavera e verão e no autono e inverno jogar Football Americano com os amigos. O mero pensamento de ir ao Brasil e nunca mais ver Baseball ou Football Americano era o suficiente para me deixar louco. Meus amiguinhos aqui vinham de tudo que é canto do mundo. Meus melhores amigos eram do Brasil, do Uruguay, da India, da China e dos EUA e um ou outro de outros lugares.


Lá por 1977-8 eu (com o cabelão) com um amigo de infancia na frente do predio onde eu morava

Aí em 78 minha irmã teminou o primeiro grau e meus pais não queriam que ela fosse ao segundo grau aqui porque o High School local que ela teria que ir era meio boca brabo, era 1978: Disco, drogas, Son of Sam etc...até eu com 11 anos notava que a barra tava pesada na epoca. Meus pais decidiram que seriam bem melhor mandar minha irmã ao Brasil pra morar com minha tia e começar o segundo grau no Brasil até eles voltarem em definitivo....comigo. E lá se foi minha irmã pra viver seus "Dancing Days" com as primas em Porto Alegre.

Agora não tinha volta tudo indicava que meu destino era o Brasil. Minha Mãe começava a me ensinar a escrever algumas coisas em portugues (to aprendendo até hoje). Ouvir e falar é uma coisa, escrever era outra. Nunca tinha escrito nada em portugues e lido muito pouco e em pouco tempo eu estaria na Setima Serie no Brasil. Ia ser Fueda! Esse era meu maior medo, a adaptação com a lingua e na escola onde tudo seria diferente. Assim no dia 15 de Setembro de 1979 de malas prontas e com muita tristeza entrei no carro e vi meus amigos brincando Football Americano na rua pela ultima vez enquanto meu carro começava a se deslocar para o Aeroporto. Lembro da viagem inteira como se fosse hoje, até a musica que tocava nos fones de ouvido do avião quando o Avião decolava era coincidentemente "I will Survive". Ao menos consegui convencer meus Pais a deixar eu trazer comigo meu Cachorro o "Gino" que tinha 1 ano de idade. Eu tinha achado ele ainda pequeno na rua enquanto jogava Baseball e levei pra casa. Não sei como consegui mas ele acabou ficando. Acho que depois disse "se vou ter que ir morar no Brasil o Gino vai ter que vir tambem!" Essa batalha eu ganhei!

E de um dia pro outro minha vida completamente mudou. Eu teria que me adapatar a um País novo, uma ligua nova, amigos novos, esportes novos, uma cultura um pouco diferente...tudo do zero.

O bom é que com 12 anos a gente não perde muito tempo pensando no passado e a gente começa a se adaptar rapidamente. Eu não tava no Brasil a 2 semanas quando alguem resolveu me levar a um jogo do Inter. Por decreto Familiar eu era Colorado, isso não era opção. Minha Vó (coloradaça!) que morava na Av. Pernambuco com a Av. Brasil (e onde eu fiquei os primeiros 6 meses) já logo começou o processo de me fazer um torcedor do Inter de verdade. Nem duas semanas depois de minha chegada dois amigos dela me levaram ao meu primeiro jogo no Beira Rio. Coincidentemente eu cheguei no Brasil na hora certa. 4 meses depois e eu teria perdido o TRI INVICTO, 4 meses antes eu teria visto o desastre do gauchão de 79. Mas eu cheguei em Setembro de 79, bem no inicio do Brasileirão!

O jogo foi entre o Inter e o Figuerense. O estadio estava virtualmente vazio. Era dia de chuva e toda plateia cabia debaixo da aqruibancada superior se protegendo da chuva. Do jogo em si eu não lembro muito, mas lembro que ganhamos de 1 a 0. Era um bom começo.


Fotos do gol do meu primeiro jogo no Beira Rio

Uma semana depois eu tava de volta ao Beira Rio para assistir meu primeiro Grenal. Pra mim era tudo novo. Eu não sabia nada do Bi Campeonato, nada dos herois colorados. Mas até chegar ao Grenal de 79 apenas 3 semanas depois da minha chegada ao Brasil, eu lembro que eu ja sabia a escalação do time! Em poucos dias eu tinha caído na magia colorada. E logo virou uma obsessão com radinho de pilha e tudo! Já no estadio eu lembro vividamente de ter falado, vamos ganhar hoje com gol do Jair aos 43. E não é que aos 43 do Segundo tempo, Falcão e Jair se preparam pra cobrar uma falta. Os dois correm a bola e Falcão toca na corrida ao Jair que de 3 dedos enche o pé e coloca no angulo do Manga (ja no Gremio...e explica porque Manga pra mim nunca foi heroi colorado...conheci ele só no Gremio, so fiquei sabendo que ele jogou no Inter depois de um tempo). Eu estava na aqruibanda atras do lance e vi perfeitamente a incrivel curva no chute de Jair. 1 a 0 e vitoria no Grenal.

A partir daí era Game Over pra mim. Estava viciado no Inter em menos de 3 semanas no Brasil e não tinha volta. E o timing foi perfeito, cheguei e vi o Inter ser Campeão Brasileiro invicto. Até o fim do Brasileirão eu já acompanhava todos os jogos, escutava programas esportivos na radio estava completamente ligado no Inter como se tivesse morado lá toda minha vida. Pensei poxa esse time é demais, nunca perde!!! Sinceramente o Inter teve um enorme papel na minha adaptação no Brasil. O Inter naquele momento ajudou a diminuir a dor da perda de amigos que eu provavelmente nunca mais iria ver e do lugar que pra mim sempre foi minha casa.

Viramos o ano Campeão invicto e eu com meus 12 anos acreditava que eu era o pé quente que aquele titulo em parte era devido a minha chegada! Loucura, mas pra mim fazia completo sentido na epoca! Coisa de torcedor.

Morei um pouco menos de 6 anos no Brasil e retornei aos EUA. Foi em parte os melhores anos de minha vida, mas isso é história pra outro dia.

Nunca esqueci essa data, 15 de Setembro de 79. Todos os anos penso nela e em especial esse ano de 2009 já que marca os 30 anos. E estamos aí a 30 anos nessa fila e estamos bem pertos de finalmente quebrar o jejum. Por isso fico louco quando vejo o desperdício de ontem, perdendo em casa para o Cruzeiro. O titulo Brasileiro TEM QUE SER ESSE ano, esse é o ano, se não for podemos ficar na fila por muito mais tempo. O ano é esse. É agora! Por isso estou dizendo isso aqui desde Janeiro! 2009 nunca deveria ter sido, Copa Do Brasil, ou Recopa ou Suruga....2009 tinha e tem que ser 100% Brasileirão até morrer!! Nada de papo de Vaga...nada de a vamos tentar o Bi na Sulamericana....nada disso...o Foco tem que ser o TITULO!

Será que vou ter que ir aí pra ganharem um Brasileirão novamente?!