quinta-feira, janeiro 29, 2015

CAMPEÃO DE TUDO



Quando ganhamos a Sulamericana em 2008 (ainda na primeira gestão do Presidente Píffero) o nosso COLORADO passou a usar o título de CAMPEÃO DE TUDO por já haver ganho tudo que um clube de primeira pode vencer.

Com a criação da Super Copa do Campeonato Gaúcho, e a derrota nessa competição ano passado, passou a ficar faltando um título na nossa sala de troféus.

Neste domingo tem estréia no Gauchão, tem a primeira partida oficial do ano, e para melhorar vale título. Sei que você pode estar lendo isso e pensando, mas esse é ano de Libertadores, que se exploda essa taça, concordo em parte.

Ganhar esse título está longe de ser nossa prioridade, essa é uma competição menor, mas é sempre melhor ganhar do que perder, é sempre melhor dar uma volta olimpica.

Eu nasci em 1979 e a primeira vez que lembro de assistir ao INTER campeão foi na Copa Governador Alceu Colares em 1991 (gol do Cuca contra o São Luiz de Ijuí). 

Se vencer não estará tudo certo, nem se perder estará tudo errado, mas eu quero vencer, gosto de ver o INTER ganhando, então além da da vontadade de conferir o time na primeira partida oficial quero ver o COLORADO voltar a ser o CAMPEÃO DE TUDO.

André Flores

ps.: Opinião sobre a hipótese de contratar o Anderson

Se vier e tiver afim de jogar é um baita reforço, com a vantagem de que não precisa de tempo para se adaptar a cidade, ao clima, a comida, ao idioma,  procurar casa, trazer família etc...

Em resumo, tem muito mais chance de dar certo, mas tem que vir querendo jogar, com fome de competir.





terça-feira, janeiro 27, 2015

Lentidão

O Inter dos últimos anos sempre teve como característica a posse de bola, aliado a um estilo de jogo cadenciado e onde no meio-de-campo predominava jogadores de boa qualidade técnica e capazes de reter o protagonismo das ações.

O que era para ser uma virtude acaba muitas vezes por transformar-se em um defeito justamente por um motivo: falta contundência.

De nada adianta ter superioridade de posse de bola se isso não refletir diretamente em chances concretas de gol. Assim como é de certa forma enganadora a retenção na zona morta de campo (a área entre as duas intermediárias), geralmente através de passes laterais, recuos e outras jogadas infrutíferas

Este problema tem muitas causas e já é quase crônico tamanha a ocorrência em que se manifesta e não se consegue arranjar uma cura.

Tudo começa pela transição lenta entre os setores, mas também pode ser explicado pela incapacidade de compactação. Com as linhas distantes, a aproximação se torna difícil de realizar e quando há um avanço de um dos setores, geralmente esta é feita de maneira descoordenada e/ou de maneira lenta.

O resultado incorre em vazios (ou buracos) na organização tática, fazendo com que alguns jogadores tenham que cobrir uma área do campo desproporcional e cuja desorganização não raro provoca uma exposição da zaga a contra-ataques letais.

Há correntes de opinião que atribuem essa lentidão à característica de alguns jogadores do grupo, entre eles D´alessandro, Alex e Williams. Sobre os dois primeiros, realmente acredito que o time fica sem velocidade quando escalados juntos (por características similares) mas acho de uma simplicidade e de um equívoco brutal este diagnóstico.

Independente de nomes, ou até mesmo causas, eis o grande desafio de Aguirre.

O Inter recente é uma equipe que não sabe contra-atacar e não tem contundência ofensiva. Muitas vezes é necessário parir uma bigorna para arranjar um gol e a dificuldade encontrada para furar retrancas é homérica.

Aqui cabe uma ressalva que não estou me referindo ao jogo contra o Shaktar, onde os efeitos da pré-temporada apenas acentuaram estes problemas de velocidade. A referência é em relação aos últimos anos, muito em conta também termos passado investindo em atacantes questionáveis ou em declínio como Rafael Moura, Wellington Paulista, Forlán entre outros.

Vale notar também que neste ano não faltam opções ditas de velocidade: Nilmar, Sasha, Luque, Valdívia, Vitinho, Taiberson… Basta encontrar uma forma de jogo mais contundente, aproximar as linhas, acelerar a transição entre os setores e dar um padrão tático à equipe.

Em uma Libertadores onde as equipes jogam fechadas fora de casa e com pressão alta em seus domínios, resolver os problemas crônicos de lentidão tornam-se fundamentais para o tricampeonato da América.

SC
@Davi_Inter_BV


segunda-feira, janeiro 26, 2015

PA-CI-ÊN-CIA

Não consigo entender muitos de vocês.

Muitos aqui sabem que eu demorei pra torcer o braço quanto ao Dalessandro. E ainda acho que eu estava certo. Ele chegou bem, depois foi mal, depois foi bem, depois foi mal, depois inventou a China....e só depois que finalmente na minha opinião virou o jogador que todos falavam que era.

Mas pô parece que no futebol brasileiro se faz tudo ao contrario! Estamos em PRE-TEMPORADA, 2 partidas no ano e tem gente achando que o cara deveria se aposentar. A Midia tambem fazendo altas controversias ("Será que Aguirre teria coragem de botar Dale no Banco").

Esse é o problema. Falta paciência em geral no Brasil quando o assunto é futebol. PACIÊNCIA. Por isso que hoje Luiz Adriano está na Russia e vocês sonhando com seu retorno. Quando ele saiu do Inter com 20 anos, meses depois de diretamente ajudado o Inter ganhar o Mundial...ninguem chorou uma lagrima. A maioria deu graças a deus de sua saida...porque o consenso geral (eu to fora dessa) era que o guro jogava nada. Claro.....na epoca...tinha Pato...que chegou arrombando. Primeira partida fez N gols e Assistencias contra o Palmeiras. Quem iria querer esperar pra ver um jogador EVOLUIR? 99% dos Colorados não tavam nem ai pra Luiz Adriano. Queriam tudo "AGORA". Agora ficam sonhando com sua volta. (Quantos jovens já foram queimados pela torcida pela falta de paciência? Como era mesmo o nome do Melhor Jogador do Brasileirão pelo Cruzeiro ano passado? O que ocorreu com ele no Inter na era Falcão?)

É diferente do caso Dale mais o problema é da mesma familia. Pô antes de fazer uma tempestade num copo dágua que tal deixar o cara entrar em total forma....Ahhh e outra coisa, era AMISTOSO! Outro problema que muitos tem dificuldade em entender. ERA AMISTOSO! Pre-Temporada. O Jogador não vai entrar com tudo. Por sinal...isso me lembra Copa Dubai que até hoje leio em listas de colorados como uma grande conquista nossa. Foi legal e tal...mas era torneio amistoso de pre-temporada para os Europeus...aprendem a separar as coisas. Copa Dubai nunca deveria ser mencionado na mesma frase de uma Libertadores ou Mundial. Não apequena o clube comemorando eternamente torneio amistoso como se fosse titulo intercontiental. Imagina o torcedor do Inter de Milão lendo que anos depois um torneio caça niquel nas Arabias é lembrado por nos como uma grande conquista. Os times Europeus estavam em pre-temporada, assim como nós estamos agora.

Lição da Semana então: Tenham paciência e sejam racionais! 
 




domingo, janeiro 25, 2015

LUTO



Com muito trabalho não consegui postar na quinta e tinha deixado para postar no sábado com comentários e imagens do jogo. Mas o Pablo fez este post AQUI que eu não mudaria uma vírgula. Ai pensei em escrever no domingo falando do excelente público do jogo de sexta (35 mil pessoas), da mobilização do time e torcida e tudo mais, mas tudo perdeu importância com a notícia do falecimento do Luiz Fernando Costa.

Eu já tinha registrado AQUI meu desejo de boa sorte a ele, sabia da sua felicidade em assumir o cargo, vinha trabalhando com afinco pelo nosso clube. O primeiro infarto já deixou a todos nós preocupados, mas também mostrou o quanto ele era querido por todos.

Hoje no velório o Sandro Farias comentava que não lembrava de algum dirigente da dupla greNAL que tenha falecido enquanto exercia as funções, ele era um cara relativamente novo (53 anos), tinha acabado de receber alta do hospital, todas essas situações tornam mais inesperado e chocante seu falecimento.

Um cara cheio de energia, que amava muito o COLORADO estava cheio de planos, cheio de vontade, já tinha dado entrevista dizendo que voltaria dia 1º, pegou a todos de surpresa ao aparecer no BEIRA-RIO ontem a tardinha para visitar o estádio.

Descanse em paz meu amigo, sua passagem foi importante, a nossa torcida já tinha aprendido a admirar seu trabalho, aqueles que tiveram o prazer de conviver sabiam da tua capacidade de diálogo e de trabalho. Meus pesâmes a todos familiares e amigos, muita força nessa hora difícil.

Tenho certeza que mesmo lá em cima vais continuar torcendo pro nosso INTER.