terça-feira, dezembro 01, 2009

Eu Sempre Acreditei

Eu não só acreditei, como tinha a certeza, desde janeiro, de que o Inter tinha time para se classificar para a Libertadores de 2010 neste ano. Isso que, no início do ano, eu jamais imaginei tantos equívocos somados ao longo de uma única temporada.

A priorização excessiva da Copa do Brasil, a crise técnica aguda no meio do ano, os problemas de relacionamento no vestiário e a venda do melhor jogador do time, somados, não foram capazes de impedir a garantia da vaga à Libertadores, uma rodada antes do fim do Campeonato Brasileiro.

Vejam, todos os aspectos negativos que apontei afetaram somente a campanha no Campeonato Brasileiro, não a Copa do Brasil, torneio que também dá vaga à principal competição continental. No entanto, é através do Brasileirão que voltaremos a disputar a mais cobiçada taça da América.

A meu juízo, isso demonstra que mesmo com sucessivos e graves erros de percurso, o Brasileirão é mais atalho para a Libertadores que qualquer outra competição, pois num campeonato de pontos corridos, há possibilidade de recuperação. Contudo, apesar da vaga, agora só me resta chorar a perda do maior título nacional, o mais importante disputado pelo Inter no ano do seu centenário, por apenas dois pontos!

Dois pontos! Tão-somente dois pontos vão separar o Inter do título pelo qual aguarda renovar por trinta longos anos! E não há tortura maior que tentar descobrir em qual das 37 rodadas passadas deixamos escapar esse título.

Basta “escolher” duas dentre as onze derrotas sofridas ao longo do campeonato e “convertê-las” em empates. Corinthians no Beira-Rio, Cruzeiro, também em casa, Botafogo, lá ou aqui. Tanto faz. Tivéssemos empatado dois desses jogos e uma vitória simples contra o Santo André nos daria a Taça.

Mas pior, talvez, seja encontrar a causa da perda do título em apenas um jogo, em somente um dos nove empates em que poderíamos ter vencido. Pode ser o empate em casa contra o Vitória, no qual jogamos com reservas, preservando os titulares para a Copa do Brasil. Mas por que não dizer que foi contra o próprio Flamengo, favorito da hora, num jogo de pólo aquático no Beira-Rio?
Quem diria que, por falta de manutenção do sistema de drenagem desse estádio que, como dizem alguns, está praticamente pronto para a Copa do Mundo, o título foi, literalmente, por água abaixo!

Desculpem-me o tom excessivamente amargo das minhas palavras de hoje, mas meus pais me ensinaram que não devo justificar meus erros com base na incompetência alheia. E assim sendo, como colorado, não consigo culpar ninguém mais pela perda do Campeonato Brasileiro de 2009.

Eu sempre acreditei que tínhamos time de sobra para voltar à Libertadores e que, se a prioridade fosse essa, conquistaríamos o mais importante título em disputa no ano do centenário colorado. Pois acho que os fatos comprovaram que eu tinha razão.

Eu sempre acreditei no Inter, mas parece que alguém lá no Inter, não acreditou. Portanto, agora, por favor: não me peçam para acreditar no Grêmio!