terça-feira, fevereiro 23, 2010

01/14

Já nem dormi direito. Levantei logo da cama e fui me olhar no espelho. Cara de sono? Nenhum pouco! Já estava no ponto. Fui tomar café mas não desceu legal. Um pouco ansioso, a mistura de comida com adrenalina nunca me fez lá muito bem. Jornal, de manhã cedo, não leio. Me embrabeço fácil com a parcialidade velada da imprensa local e não quero começar o meu dia de mau humor. Não hoje.

Mas ao entrar no carro para ir ao trabalho, não tem jeito: rádio! Daí tenho que ouvir as notícias da manhã deste dia especial. É hoje, catete! É dia de estréia. Estréia na Libertadores, baralho! Já estou a mil!

Trabalhar direito, não consigo. Faço força, tento me concentrar, mas é difícil! Já fiz um trilho no chão de tanto caminhar para a mesa do cafezinho. Tô nervoso, ansioso, não consigo ficar parado. E em meio a esse vai e vem, fico acessando tudo que é site na internet. Blog disso, fórum daquilo, páginas de esporte e, é claro, o site do clube. Atento a todas as atualizações. Hoje estou daquele jeito, sedento por informações e opiniões, com um comportamento totalmente compulsivo.

Quero sentir o clima do dia de jogo junto aos amigos. Leio e-mails de uns, acesso às opiniões de outros, conhecidos e desconhecidos. Vejo a rotina da turma, horários e locais de encontros. Alguns vão cedo, outros em cima da hora, todos rumando para o Beira-Rio.

Ah, que saudade! Estádio cheio! Será que lota? Porra, tem que lotar, tem que lotar! Mesmo que chova. Coisa linda aquele gigante de concreto pintado de rubro e pulsando junto na batida da torcida.

Manhã que demora pra passar, mas daqui a pouco é hora do almoço! Beleza, almoço! Fome? Não, que fome o quê! Quero ir para casa ouvindo os programas esportivos do meio-dia e assistir à TV. Hoje, no Brasil, só o Inter joga pela Libertadores, então os noticiários nacionais serão “nossos”. Ponta que partiu, dá um baita orgulho quando isso acontece!

Quando chegar a tarde já estará mais perto da hora do jogo, pode ser que passe mais depressa. Seguramente, cruzarei pelo caminho com algum secador. Claro, vai perceber a impaciência nos meus olhos e vai largar uma piadinha. Mas essa vai ser uma das melhores horas do meu dia. Ele também não dormiu direito, ele também não tá vendo o dia passar e, no final da noite, tenho a convicção de que é ele quem vai dormir de cabeça inchada. Ah, sim, vai ter pesadelos em portunhol!

Vou cobiçar o pôr-do-sol como quem cobiça uma cervejinha gelada, à beira da praia, numa daquelas tardes de calor insuportável que tem feito neste verão! Vou querer ver o céu avermelhando na linha do horizonte, às margens do Guaíba. E aos poucos, a massa vermelha tomando conta das ruas e do Parque Marinha, rumo ao Gigante.

E aquele clima que já me arrepia o pêlo, só de pensar, vai ser diferente do que nesses últimos jogos pelo Gauchão. A galera chegando mais vibrante que nunca, com suas roupas e bandeiras vermelhas, alguns de cara pintada, buzinando nas ruas e gritando “Vamo, Inter”! Amigos se encontrando, bares cheios e muita, muita festa pelo tão aguardado a hora de retomar o caminho ao topo do continente e do mundo.

Ao cair da noite, finalmente, o momento tão esperado: a bola vai rolar!

Ah, Libertadores de América! Que saudade! Que gostinho diferente que tu tens! Impossível não lembrar de tantos momentos de tensão, alegria, tristeza e, acima de tudo, redenção! Como é bom poder reviver isso tudo mais uma vez! Como eu esperei por esse momento, por essa partida, por mais essa chance!

Vamos lá, todos juntos, por mais essa taça! E hoje é só o primeiro de, se Deus quiser, quatorze inesquecíveis jogos!

E vamos, Inter, só te peço esse campeonato...