quarta-feira, abril 14, 2010

MUST WIN

A partida de hoje é um "must win" ou seja, temos que ganhar. Com a vitoria do Deportivo Quito ontem sobre o Cerro o Inter está em segundo e só uma vitória nos coloca em primeiro novamente. Deixar pra decidir tudo no Beira Rio contra o Deportivo é muito arriscado. O Inter tem que jogar hoje como se estivesse no Beira Rio. Está jogando contra um time eliminado e nenhum outro resultado interessa. Uma vitoria será um grande resultado. Um empate ou especialmente derrota complica muito, não só na tabela como na cabeça e na torcida.

Podemos aproveitar hoje tambem pra secar o Flamengo e Corinthians. O Corunthians já ta praticamente classificado mas podemos acabar na sua frente com um pouco de sorte (e nossa vitoria hoje ajudaria). O Flamengo está numa situação delicada, se perder hoje corre o risco de ser um daqueles segundo colocados eliminados.

Apertem o cintos pessoal apartir de agora é Futebol total até o fim do ano!

PS:

Voltando a CBF veja o que o Juca Kfouri escreveu hoje. É mais ou menos o que escrevo aqui a muito tempo, inclusive ontem. A CBF, é mais conhecida que Inter, Flamengo , Corinthians pelo mundo afora ...não so mais conhecido como poucos conhecem nossos clubes. A CBF so se promove e que se exploda os clubes. Pensem, at;e em patrocioniso a CBF tira dinheiro que poderia ir aos clubes. A CBF Não está do nosso lado. É nada menos que um Clube que usa jogadores gratuitamente, faz milhões e em troca de que?

Estes clubes, pobres clubes…
Juca Kfouri

A CBF já tomou conta dos espaços das lojas esportivas pelo mundo afora. Nelas não se encontram camisas dos clubes brasileiros. Só as da Seleção Brasileira. Mas se encontram, também, camisas dos grandes clubes da Itália, da Espanha, da Inglaterra, do Boca Juniors e do River Plate.

É, isso mesmo! Do Boca e do River. Dos nossos, nenhuma. A grife CBF substituiu o papel que um dia foi do Santos, do Botafogo. Nossos clubes não excursionam mais, não se exibem na Europa, só a Seleçao. Razão pela qual a CBF estimula que se vendam nossos ídolos, porque facilita o trabalho do técnico da Seleção, além de acostumá-los com o tipo de jogo que se encontra nas Copas do Mundo. Não satisfeita, a CBF parte para cima dos patrocinadores. Tudo bem a Nike, a Volkswagem, a Vivo, a Ambev, chega?

Não. Quero mais, quero mais, quero mais. E aí está mais uma, a Seara, que gastará provavelmente menos no Santos porque fechou com a CBF. E isso que nem os salários dos convocados para a Seleção são pagos pela CBF.

A CBF quer que os clubes se danem, assim como as federações estaduais (e, aí, tem razão).