domingo, outubro 23, 2011

Sobre homens e meninos

Não há mistério. A vida, mais cedo ou mais tarde, nos coloca em situações críticas, divisoras de águas. Situações que, como o título do texto sugere, separam homens de meninos. Situações que nos fazem tomar uma decisão: superarmos a nós mesmos e amadurecermos ou nos conformar com a mediocridade. Nessas situações, temos plena consciência de que ninguém pode nos ajudar ou resolver os problemas por nós. Sabemos claramente que tudo se resume simplesmente à nossa atitude. São pontos de inflexão, momentos-chave que definem nosso futuro.


Pois bem. Hoje, dirigentes, comissão técnica e, principalmente, jogadores do Inter se vêem em face de um momento divisor de águas: provar a si mesmos que são homens ou se conformar em ser meninos. Esqueçam torcida, esqueçam imprensa e outras pessoas. Não há nada a provar a ninguém, exceto a si mesmos. Vocês podem, a partir de hoje, decretar uma arrancada histórica e única: vencer cada jogo, até o fim do campeonato. Não serão 8 vitórias seguidas, mas sim uma vitória a cada jogo.  Deixem para contar as vitórias ao final. Pois não importa.

Assim como não importa o que façam nossos oponentes. Cada um tem sua história, cada um tem seu próprio momento de decisão. O de vocês chegou. Por anos, o Inter vem mostrando potencial no campeonato brasileiro, mas terminando sempre frustrado ao final. Por anos temos sido o "melhor elenco do Brasil", mas terminamos inseguros e desconfiados, face aos fracassos nos momentos-chave. Mas a vida, meus caros, ela investe em nós e cria novas oportunidades para darmos o passo decisivo. Este momento chegou novamente.

Quando olho para a posição do Inter no campeonato e para os jogos que temos pela frente, eu desconfio. Desconfio que este momento tem "cheiro de história". Tem cheiro de ser um daqueles momentos incríveis, inesquecíveis, que ficam marcados nas memórias de todos, na memória do futebol, na memória do tempo. Somos o único clube dos postulantes ao título que tem pela frente muitos adversários diretos. Somos o único que chega à reta final com o ânimo e a surpresa de quem ainda precisava se encontrar e se encontrou.

Temos jogadores incríveis, mas que ainda duvidam de si próprios. Cada um de vocês tem um enorme potencial. Estão em um grande clube e isso não é por acaso. Vocês precisam entrar em campo focados. Nada de sorrisos, conversinhas antes do jogo ou brincadeiras. É preciso agir como homens, com respeito, mas como homens que vão à caça. Entrar para cada jogo com o olhar da fera, quando está com fome. A fera é atenta, é estratégica e não teme. Ela sabe de sua força e tem apenas um objetivo: saciar sua fome. E estamos com fome. E vamos matar nossa fome! São 31 anos desde nosso último banquete no brasileiro. Chegou a hora de um novo. Sinto cheiro de história sendo feita! Terminaremos o campeonato com um clássico Grenal, no Beira-Rio. Alguma dúvida do que nos está reservado?

Homens entram para a história. Meninos não. Homens são lembrados e celebrados. Meninos não. Homens, quando chega a hora, não duvidam de sua própria força. Homens não temem enfrentar o desconhecido, pois sabem que vão tirar forças de seu próprio coração, da profundeza de suas almas. Eles confiam e tem fé. Homens buscam grandes desafios e têm satisfação nisso. Aliás, grandes desafios são como o ar que homens de verdade respiram. Não se furtem a este momento, jogadores do Internacional. Não percam a chance. Esse momento só chega agora, por que vocês podem. O caminho está pronto, o banquete os espera. 


Mas é preciso caçar, com a certeza de que é apenas questão de tempo. Hoje é dia de mostrar que viemos pra briga e que o "bicho vai pegar". Que a fera está solta e vai devorar quem vier pela frente. A nós torcedores, resta apoiar. E não será qualquer apoio. NÓS VAMOS APOIAR. No espírito de RUAS DE FOGO, ATÉ O FIM. E vamos assistir a este momento único na vida de vocês. E vamos nos orgulhar. E não vamos esquecer e nem vocês.

ps.: Fluminense e Botafogo já dependem de uma vitória sobre nós. O caminho está se desenhando. Pra melhorar o clima: LA 2010 (clipe)