sábado, setembro 26, 2009

Arbitragem por replay, nem pensar!

Muito se fala que a utilização de imagens para auxiliar a arbitragem seria uma das soluções para os sucessivos erros que prejudicam o futebol de alto rendimento, que acompanhamos no dia-a-dia. Mas passar a incumbência de mostrar determinados ângulos através do replay seria entregar de vez o ouro ao bandido.
Se sabemos que nosso futebol é dominado pelos interesses comerciais da poderosa TV Globo e tememos a influência dela e os dólares de outras figuras de bastidores nas arbitragens, deve ser considerado, no mínimo, curioso que grandes polêmicas do futebol sejam sempre solucionadas por câmeras da ESPN, amplamente minoritária, em relação à Globo que possui os direitos de transmissão do jogos.
Na última semana, acompanhei no rádio que nosso zagueiro Índio foi absolvido pelo STJD graças a uma imagem da ESPN que comprovou que não houve contato físico no carrinho que motivou sua expulsão contra o Avaí. Pensei na hora: "de novo"? É sempre a ESPN.
No link abaixo, o lance em que o Lauro levou um pisão do Kleber, o que foi ignorado pela TV Globo e SporTv durante a transmissão e, descaradamente, nos dias posteriores ao jogo. Quando a imagem já estava disponível na Internet.
Outro lance, muito mais absurdo foi a comoção nacional sobre o "erro" do árbitro Carlos Simon no jogo entre Cruzeiro e Flamengo em Novembro de 2008. Pediam o pescoço do árbitro, reciclagem, expulsão dos quadros da FIFA, arrogância e prepotência. E mesmo após a divulgação das imagens pela ESPN, muitos canalhas que ganham a vida palpitando sobre futebol, não tiveram a ombridade e a dignidade de se retratar.
Agora vejam a reação do José Roberto Wright, afirmando categoricamente pela marcação do penalti, sendo que em momento algum ele se dá o direito à dúvida. Ou a possibilidade de o árbitro, que estava bem posicionado, ter visto melhor o lance:
E, mais absurdo de tudo, o Sr. Márcio Rezende de Freitas, sim, ele mesmo, comentando e obviamente condenando Carlos Simon:
Por essas, que se entende o condicionamento da arbitragem do futebol em favor dos clubes do Eixo. Errar contra um time pequeno, é indiferente. Errar contra um time do Eixo, principalmente Corinthians e Flamengo, os preferidos da Globo, é ameaça de aposentadoria. E, nesse caso, mesmo acertando, a pressão foi enorme. Usar meios eletrônicos para auxiliar a arbitragem, por exemplo, um chip na bola e na gola da camisa dos jogadores, resolveria a questão do impedimento, é fácil, é só querer. O problema é que talvez seja interessante para os "donos da bola" um errinho aqui e um favorecimentozinho ali.
Para infelicidade do futebol, claro.

RESPEITO AO FUTEBOL
Sobre favorecimento e interesses comerciais da TV Globo, achei esse blog bastante interessante:

ARTE DIGITAL
Gosto muito de arte digital, acho que é a arte do futuro, com milhões de possibilidades ainda não exploradas. Assim como demorou da criação da tinta, até as grandes pinturas da Renacença. Entretanto no futebol, já temos produções muito legais.
O Marcelo Gorga talvez já seja conhecido de todos. Recentemente conheci o trabalho do Ricardo Regert, também muito legal. Mandei para ele uma foto que tirei do ZH, no Museu Hipólito da Costa e ele produziu a imagem abaixo.
Blog do Ricardo Regert: http://rikrdoregert.blogspot.com/
Blog do Marcelo Gorga: http://coloradopv.blogspot.com/

TRINTA ANOS DO TRI-INVICTO
Eu sei que pode ser frustrante lembrarmos que faz tanto tempo que ganhamos o último Brasileirão, mas isso não diminui a glória daquela conquista. Imbuídos desse espírito os jornalistas colorados, Luis Gomes e Felipe Prestes, estão produzindo um material para ser lançado em versão impressa no final do ano sobre a grande conquista de 1979.
Para acompanhar a produção, trocar idéias e colaborar, conheçam o Blog Tri-Invicto: http://invicto79.blogspot.com/
É importante valorizar nossas vitórias do passado, as vezes tenho impressão que a Copa Dubai é mais importante que os títulos brasileiros...

VALORIZAR O PASSADO É RENDA
Infelizmente algumas coisas são um verdadeiro parto no Beira-Rio. O dia dos ídolos, que há anos o Louis defende aqui, que seria uma forma de incrementar público e receita no estádio, é ignorado. Até a utilização do Centro de Eventos antes dos jogos, que já foi feito com sucesso, não é repetido. Homenagens ao Librelato, que poderia ser alçado à condição de mito para a torcida, seria pedir demais... Deve dar muito trabalho.