terça-feira, março 09, 2010

Reunião com Fernando Carvalho


Na noite de ontem tive o privilégio de participar de uma reunião com Fernando Carvalho, colorado que dispensa maiores apresentações. Foram duas horas na presença do dirigente mais vitorioso da história do clube, na qual, juntamente com meus amigos do Movimento INTERnet/BV, pude ouvir um breve relato da sua história política no clube e participar de uma intensa sessão de perguntas e respostas com o ilustre convidado.

Fernando Carvalho saudou o momento democrático vivido pelo clube. Salientou que quando começou a atuar no Inter, não haviam Movimentos Políticos organizados participando do Conselho Deliberativo, nos moldes que se tem hoje. Considera salutar a formação de um grupo jovem, representante de torcedores e sócios cada vez mais engajados com o clube, dispostos a debater as questões inerentes ao futebol e a levar novas idéias para o constante crescimento do Inter em todas as áreas.

Inevitavelmente, foi questionado sobre as relações de vestiário e o trabalho dos diversos técnicos de futebol. Carvalho foi direto ao responder que é muito diferente o trabalho de cada profissional contratado pelo clube. Trata-se de uma diversidade profunda, que se revela no trato diário com os jogadores nos treinos, concentração e vestiário. E conforme o perfil de cada treinador, deve ser a ingerência do dirigente de futebol. Há técnicos que detêm controle total do vestiário e não permitem qualquer interferência. Há outros cujo temperamento exige a constante presença do dirigente para dirimir conflitos internos naturais em quaisquer relações humanas.

Falou também sobre as dificuldades do trato com a imprensa, dos problemas decorrentes da legislação atual e das relações do clube com outros entes da sociedade civil, tanto no âmbito esportivo como no âmbito do Poder Público. Essa gama de relacionamentos que se impõe na defesa dos interesses de uma instituição da magnitude do Internacional, dão a medida das dificuldades que é administrar um clube de massa.

Quando se falou da política interna do clube, Fernando Carvalho reconheceu a existência de grandes colorados na Oposição, citando, inclusive, nomes de Conselheiros contra os quais já concorreu em eleições passadas. Salientou que se trata de uma oposição leal, com críticas pontuais. Disse, ainda, que mesmo nos grupos que hoje compõem a Situação, existe autocrítica que, em muitos casos, é bastante forte.

Mas de tantos assuntos e informações, chamou-me atenção especial uma declaração que soou como uma espécie de desabafo. Ao ser questionado se o Inter não poderia estar ousando mais na montagem do time para a Libertadores deste ano, Fernando Carvalho respondeu da seguinte forma: “Ousadia foi disputar o Mundial com aquele time!”

Nesse momento, Carvalho provocou fortes risos dos mais de quarenta presentes. Foi uma frase que, a meu ver, revelou toda a angústia passada pelo dirigente que, acima de tudo, é também um torcedor. No meu sentir, revelou o senso crítico de quem sabia que havia perdido valores técnicos do time após a Libertadores e não conseguira repor a altura. Mas, mesmo assim, com todo o empenho e trabalho desenvolvidos, foi possível superar o maior dos adversários na conquista do título inédito.

Hoje, deixo aqui este meu relato de torcedor também apaixonado. Agradeço e parabenizo meus amigos do INTERnet/BV pelo incessante trabalho que vêm desempenhando, em especial desde o ano passado, após o feito eleitoral de 2008. O engajamento num grupo dessa natureza tem me proporcionado um crescente conhecimento das coisas do Inter, além da oportunidade singularíssima de estar ao lado do Presidente mais vitorioso da história do clube. A noite de ontem ficará marcada como uma daquelas que a gente lembrará com carinho daqui a muitos anos.

Obrigado, Presidente Fernando Carvalho, pela disposição de conversar conosco e pela atenção e paciência com um grupo de colorados tão ávidos por informações e ansiosos por ajudarem o Inter a se tornar um clube cada vez mais Gigante. Continuemos nosso caminho rumo ao topo do mundo, mais uma vez. Boa Viagem ao Equador! Todos nós, colorados, estamos juntos nessa jornada!