quinta-feira, julho 08, 2010

Round 2: BV Copa

No 1 Round Vitória do Bloguista #1 sobre o #2. Assim o #1 passa a proxima fase. Parabens!

Ainda há algumas vagas para candidatos (leiam AQUI para ver instruções), então quem se interesar ainda dá para mandar seu Text para essa primeira fase.

Hoje teremos 2 candidatos sem revelar seus nomes para que um não leve vantagem sobre o outro por qualquer razão. Depois de ler os textos vocês podem votar em 1 nos comentarios do Topico. Podem tambem deixar dicas aos candidatos para proximas fases. O Autor tambem pode votar em si uma vez mas não pode revelar que o texto é seu. Tambem não vai valer votos de amigos ou familiares...tem que ser a galera que lê o BV mesmo. Por experiencia eu consigo ver quando alguem tá estufando a caixa de votos, então por favor nada disso :) Que o melhor vença. O Vencedor passará a proxima fase do Mata Mata. Vamos lá:

BLOGUISTA 3

A pergunta inicial, que todos os Colorados fazemos é: "Como será o Inter de Celso Roth?". Passado o impacto inicial, claramente negativo pela expectativa criada em torno dos nomes especulados, já dá para fazer alguma previsão.

Pelos indicativos, atuará no 4-5-1, com marcação adiantada e compactada, com a pegada forte que é característica dos times deste treinador. Pelas contratações de Tinga, Sóbis, Renan, Oscar e Leonardo, será um time mais forte, pelo menos em termos de nomes no elenco e no campo - se é que nome entra em campo. Mas, pelo que vimos do Inter nos últimos anos, não sei se isto tudo será o que veremos em campo - e explico, antes que alguém aponte o dedo e acuse: "Mas já estão corneteando antes do time estrear? Deixem o homem trabalhar...".

Ora, os nomes são de muito respeito e bem conhecidos dos Colorados, à exceção dos dois últimos. Mas a pergunta que se faz é: "De qual Sóbis (ou Renan ou Tinga) estamos falando? Como estará o jogador no final da inter-temporada?". Cansamos de ver bons jogadores chegarem ao Inter totalmente fora de forma, ou em condições incompatíveis com o exigente futebol brasileiro.

Assim, a situação recomenda cautela, por mais que os nomes nos tragam certa euforia e contagiem nossos corações pela lembrança das conquistas de 2006, mormente os novos enfrentamentos com o São Paulo pela mesma Libertadores da América.

Além disto, sabemos que os problemas do Inter vão além do campo, passando pelo vestiário e seguindo até os mais altos gabinetes da Nação Colorada. O mau exemplo, quando vem de cima, desce com a força de uma avalanche e contamina até os quero-quero do Beira-rio. Já disseram, neste mesmo Blog Vermelho: “A arrogância parece ter mudado de lado, em Porto Alegre, e quando isto acontece, sabemos onde vai parar”. Baixar a bola é o que convém.

Assim, seria bom que nossos "queridos" dirigentes voltassem à boa conduta que nos levou ao Topo do Mundo, para retornarmos ao lugar que imaginamos ser nosso ainda antes de 2011. Estamos a 4 jogos de reconquistar a América, e outros 2 de recuperar a hemenogia deste Planeta. Não lhes custaria nada, a recompensa seria imensurável e a felicidade infinita.

Por tudo isto, mantenho, em relação ao Inter de Celso Roth, certo otimismo e ceticismo, com leve prevalência do primeiro.


BLOGUISTA 4

Passado o susto inicial da contratação de Roth para o comando do Inter, começo a desconfiar que esta pode ter sido a primeira de uma série de ações bem interessantes da Diretoria durante esse período em que o mundo ficou de olhos voltados para a África do Sul. Inicialmente o técnico não agradou pela recente ligação com a Azenha e ainda pela sina de nunca ter ganhado nada de responsa dentro do futebol. Mas depois que começou a trabalhar, a gente se dá conta de que estava sentindo saudades de um discurso com sotaque mais gaudério, mais coerente, de ver treinos em turno integral no Beira-Rio (mesmo com chuva!), de ver jogadores falando que o clima no vestiário está muito melhor. Roth com certeza não era a MELHOR opção possível no mercado, mas pode ser que mostre não ter sido um erro. O homem é trabalhador, fala grosso com a boleirada e conhece a área, sabe aonde está se metendo. Talvez possa fazer com o Inter o que todos nós esperamos, que é endireitar os trilhos, fazer a cambada baixar um pouco o topete e trabalhar, e voltar a jogar com orgulho de vestir o manto colorado. Se for assim, já sou partidário do Sr. Juarez. Se trouxe o tão sonhado Bi da América então, quem diria... pode virar ídolo.

OS REFORÇOS
Renan, Tinga, Leonardo, Oscar e Sóbis, sem contar o próprio Roth. Deu uma boa sacudida no plantel e acabou por ser uma investida de mercado mais eficiente do que a do início do ano, quando tivemos alguns absurdos do tipo de Kleber Pereira, Eltinho e Cia. Os investimentos de agora são jogadores que vêm para disputar posição, para assumir titularidade e para revelar novas alternativas (como é o caso do Oscar, muito bom jogador que escolheu o Inter ao invés do SPFC). Dá bastante opção para o técnico trabalhar.

A PREPARAÇÃO
Tenho gostado do que leio. Treinos de marcação por pressão, de movimentação, de comunicação, ou seja, TRABALHO pra essa galera de manhã e de tarde. Não é fácil reeducar um grupo todo como o do Inter, e pela resposta positiva dos atletas, a coisa parece estar bem encaminhada. Só falta alguem dizer no pé da orelha do Roth que o ataque deve ser Sobis e Damião, com Alecsandro no banco. Mas como diz o ditado, “torcedor torce”...

OS JOGOS-TREINO
Esportivo, Peñarol, Cerâmica na quarta-feira próxima. Não são parâmetros para as ambições do Inter, mas como disse antes... reeducar um grupo em uma nova maneira de jogar não é da noite pro dia, e até agora as coisas parecem estar correndo bem, sem sustos. Na quarta teremos mais uma amostra para comprovar se o que vem sendo treinado tem resultados práticos contra outros onze. A missão não é pequena e o trabalho ainda está no começo. Tem muito a melhorar e tenho certeza que VAI.

Enfim... resumindo, eu classificaria o momento do Inter como BOM. Bom mais pelas novidades, pela oxigenação no vestiário e pela confiança readquirida do que pelo FUTEBOL propriamente dito. Resta agora confirmar isso tudo dentro de campo, e fazer com que sejamos testemunhas oculares de outra das maiores mobilizações que o Beira-Rio já viu. Nosso papel é torcer, apoiar, e estaremos lá, com a camisa vermelha e a cachaça na mão. Sóbis neles, de novo!