sábado, julho 10, 2010

Round TRÊS: BV Copa

Ainda há 4 Vagas para candidatos para completar os 16. Leiam AQUI para ver instruções, pois ainda dá para mandar seu Texto para essa primeira fase. Mas só restam 4 vagas! O Vencedor do Round 2 e desse Round Três serão anunciados na Segunda ou Terça. Não deixem de votar.

Hoje teremos mais 2 candidatos sem revelar seus nomes para que um não leve vantagem sobre o outro por qualquer razão. Depois de ler os textos vocês podem votar em 1 nos comentarios do Topico. Podem tambem deixar dicas aos candidatos para proximas fases. O Autor tambem pode votar em si uma vez mas não pode revelar que o texto é seu. Tambem não vai valer votos de amigos ou familiares...tem que ser a galera que lê o BV mesmo. Por experiencia eu consigo ver quando alguem tá estufando a caixa de votos, então por favor nada disso :) Que o melhor vença. O Vencedor passará a proxima fase do Mata Mata. Vamos lá:

BLOGUISTA # 5

A necessidade de fazer gols

Desde o início da Libertadores deste ano temos visto que a providência
divina está do nosso lado. É até mesmo interessante que já tivessemos
previsto neste blog, desde o início, que somente a interferência
celestial poderia nos trazer até a semifinal da Libertadores.
Entretanto, creio que é hora de ajudar-mos "Ele", e esta ajuda passa
necessariamente por "fazer gols".

Nos classificamos em duas fases no saldo qualificado. Na segunda vez,
ouso dizer que o resultado veio pela soberba do adversário, e também
pelo gol feito em casa, em jogada treinada em laboratório. Ora, este
tipo de gol pode-se aprender a fazer, e na verdade as estatísticas
atuais do futebol indicam que 50% dos gols são de "bola parada". Para
fazer gol assim, temos que treinar, e neste ponto estamos em boas
mãos: O senhor Celso Roth é um trabalhador, no sentido mais positivo
do termo. No médio prazo isto pode criar problemas, mas para este mes
e meio, é o que precisamos.

Precisamos também saber fazer gols com bola rolando, e neste ponto vem
minha sugestão. Creio que a era do Alecsandro já passou no Inter. Este
jogador fez no ano o mesmo número de gols que QUALQUER OUTRO JOGADOR
teria feito, tivesse jogado tantas vezes e na mesma posição. Não
discuto seu comprometimento: ele parece ser um atleta, um bom
profissional. No entanto, precisamos de gols. O maior defeito do
Inter, já faz algum tempo, é sua dficuldade de ser incisivo. Nossos
meias não chutam, nossos laterais não chegam, e nosso atacante não faz
gol.

Me parece que a melhor maneira de remediar isso, neste momento, seria
apostar neste esquema que está sendo proposto, mas trocando a
imobilidade de um pivô por um ataque de velocidade. Por exemplo, um
meio com Sandro/Guina/Tinga/André/
Giuliano/Dale (peguem cinco dos
seis) mais o ataque com Sóbis, poderia ser mais efetivo que QUALQUER
tentativa com Pivô, no momento.

Claro, se tivessemos um jogador qualificado na frente, poderíamos
tentar este esquema com Pivô. Mas parece que ninguém no Beira-Rio pode
fazer isto, então será que não é hora de trocarmos de vez o foco, e
tentarmos um ataque de velocidade ? Até mesmo Taison poderia ser
beneficiado com esta mudança. Com treino, poderíamos acertar este
esquema, ao invés de continuar insistindo na providência divina, que é
a única que fará gols por nós se não mudarmos.


BLOGUISTA #6

O Inter "Rothiano"

Confesso amigos, fiquei muito satisfeito quando nosso Colorado demitiu Jorge Fossati, no entanto, não aconteceu o mesmo quando recebi a notícia da contratação de Celso Roth para ser o patrão da casamata Alvi-Rubra. Lembro bem que no dia em que isso aconteceu, eu troquei meu bom humor por longos momentos de reflexão e o que mais vinha a minha mente era a sucessão de derrotas que Roth acumulou em toda a carreira, principalmente os bons inicios de campeonatos, contrastando com finais melancólicos.

Pois eu dei tempo ao tempo e procurei me municiar de notícias dos primeiros dias de trabalho de Roth no Colorado. Gostei de algumas posturas tomadas por ele, cheguei a rir quando ouvi a frase: "Seleção? Para nós a seleção tem que ser o Inter", quando Roth justificou o treino na hora do jogo do time do Dunga. Simpatizei com o interesse demonstrado por D´Alessandro - na minha opinião o jogador mais técnico e capaz do grupo - que inclusive voltou a falar com a imprensa e gostei também da opção por Giuliano, deixando Andrezinho no lugar que ele mais rende, o banco de reservas. Mas, "perá lá", eu explico... Andrezinho rende muito quando sai do banco para o campo de jogo, certo??

E então eu assisti ao primeiro jogo de Celso Roth no comando do Inter. Contra o Peñarol vi o verdadeiro Wilson Mathias, ainda não espetacular, mas muito efetivo. Vi que D´Alessandro tem potencial para derrubar um técnico, pois se ele quer jogar, o homem destrói o jogo, se não está afim é um tormento. Acompanhei também que Sandro finalmente entendeu que deve guardar posição defensiva e isso o torna muito importante no esquema.

Para não dizer que só falei em flores, Kleber parece ter acabado para o futebol, já que não consegue acertar um cruzamento. E Alecsandro precisa de um companheiro - os telespectadores do Pânico na TV devem ter entendido a ironia da frase - e Rafael Sóbis pode consagrá-lo, ou finalmente tirar a prova dos 9, levando a direção a optar por um substituto. Sei que ainda é cedo, mas eu vou te deixar trabalhar Roth... Pelo menos até primeiro jogo da semifinal da Libertadores.