quinta-feira, março 31, 2011

Candidato #1

Vou fazer a votação diferente dessa vez comparado com outras seleções de autores para o BV. Dessa vez em vez de "Mata-Mata" cada texto vai aparecer sozinho. Você leitor vai dar nota de 1 a 10 na parte dos comentários. A media será calculado e no fim os autores com melhores medias serão convidados a participar regularmente no Blog Vermelho. Os Autores serão anonimos até o fim da competição. Votos em massa de amigos e familiares dos autores não contarão...como sei que será amigo ou familia? Eu sei tudo kkkkk! Então por favor não pede votos de amigos queremos que o melhores textos ganhem.

Vamos lá texto um...e não esquecem de votar de 1 a 10.

Como não motivar e como jogar ao natural

Falo de dois assuntos aqui, relação torcida-jogador e forma do time jogar.

Um dos grandes trunfos do Internacional, e de boa parte dos clubes que
se prezem é o fator local, o incentivo da torcida, o rugir dos
tambores na arquibancada que amedontra e espanta os adversários.

O Beira-Rio, palco de nossas maiores vitórias(notaram que o Inter
sempre levanta a taça no Beira-Rio?) é um dos mais respeitados e
temidos locais no campeonato brasileiro e quiça na Libertadores, mas
algo vem mudando no fator de incentivo aos jogadores nos momentos
ruins.

Eu sou a favor da vaia pontual e bem direcionada, mas não posso
entender quem vaiou o time no jogo contra o São Luiz, ora é claro que
faltou gol, que o Roth podia ter armado melhor o time(faz tempo né
Celsão que não vemos um time). Mas as vésperas de um jogo importante
na Libertadores, para encaminhar um primeiro lugar e boa colocação na
tabela geral, não foi boa a forma que a torcida(aqueles que vaiaram)
se manifestou. Isso cria um sentimento de separação entre os jogadores
e torcida.

Quem viveu os anos 90, sabe o que era ter um time ruim, muitas vezes
sem vontade e lutando sempre no meio da tabela, nunca disputando nada.

Nós sabemos hoje que o time não joga as ganhas no gauchão, isso é
normal é humano. O foco sem esta em uma coisa, salvo exceções como
Guinazu e se o time não tem tática, forma de jogar definida e
exaurida, as vitórias não vem fácil.

Isso me leva a outro assunto, de cunho de nosso teimoso técnico.

Alex, o pé de chumbo que esta congelando em Moscou, disse o seguinte
sobre o grande time de 2005/2006:
- "Chegamos num ponto onde já sabíamos o que fazer em campo,
sabíamos as táticas e mudanças de estratégia possíveis e conhecíamos
um ao outro, por isso fomos até o fim do Brasileiro de 2006 ganhando,
sem estar necessariamente focados".

Todos devem lembrar disso, mas não custa contar um pouco novamente:
Após a grande jornada de 2005 e toda aquela sacanagem fomos babando
para a libertadores de 2006, que todos sabem como acabou :). Após a
conquista é digno de lembrar que fomos segundo colocado, atrás do San
Pablo que havia disparado, dado ao foco após a derrota na final da
Libertadores.

Nesse período entre a conquista da Libertadores e o Mundial o Inter
fez excelentes partidas e a bem da verdade jogava o famoso futebol
natural. Não havia a superação da Libertadores ou a gana de vencer do
Mundial, os quais muitos já pensavam, entre torcida, direção e
jogadores. Mas aquele time não sabia jogar de outra forma, entrava em
campo e fazia o dele o que era mais do que todos os outros no Brasil,
o que nos levou ao um digno segundo lugar.

Infelizmente ainda não vi isso no Inter de 2011(assim como não vi em
2010) e ficamos a espera de que individualidades resolvam ou que
tenhamos um pouco de sorte para vencer.

Espero do fundo do meu coração vermelho, que os corneta, como já
fizeram em outros momentos, entendam a atual "saúde" delicada do time,
e que o Celso, resolva-se por um time e faça o polimento. Só assim
vamos sonhar com a liberta e quem sabe uma grande jornada no
Brasileirão.