terça-feira, março 29, 2011

Tri caindo de maduro

Outra boa ideia é de vez em quando postar textos de colorados que não escrevem no Blog semanamente. textos digamos assim, avulsos. Talvez eu faça isso um dia por semana. Hoje recebi esse texto do leitor assíduo do BV o Cleo Hickmann Junior para dar uma mão a nós. Fique claro que o Cleo não está se candidatando a vaga de escritor então o texto não está sendo postado para ser analisado como texto de competição e sim para falarmos do Inter.

-------------------------

Por Cleo Hickmann Junior

Muito já se ouviu falar na tal "Sorte de Campeão". Quando uma conquista é facilitada por uma obra do acaso, é normal as pessoas tentarem diminuir tal façanha. Ano passado o gol de Giuliano no fim do jogo contra o Deportivo Quito tirou o Cruzeiro do nosso caminho e colocou o modesto Banfield. Tudo bem que a classificação foi suada, mas não tenho dúvidas de que seria muito mais complicado passar pelos mineiros. Seria este um indício da tal sorte mencionada? E o chute de D'Alessandro que desviou em Alecsandro antes de morrer mansamente nas redes de Rogério Ceni? Pois é, querendo ou não, seja por sorte ou competência a taça está no armário colorado. E é isso que importa.

Este ano podemos dizer que o sorteio de grupos nos favoreceu. Foi o primeiro indício de que alguém lá em cima anda trajando vermelho. A queda do Corinthians ainda na fase pré-Libertadores e as virtuais eliminações de Santos e Fluminense são consideradas por mim como vantagens bastante grandes nas próximas fases da competição. Prefiro mil vezes encarar um Velez ou LDU da vida do que um clube brasileiro que conta com o apoio de uma confederação inescrupulosa e uma rede de televisão com interesses um tanto quanto nebulosos.

A fase de grupos para o Internacional poderia terminar com 100% de aproveitamento e liderança isolada na classificação geral. Poderia, não fosse o fator Celso Roth. Por outro lado, quero crer que até isso pode ser qualificado como sorte de campeão, visto que o 1º colocado dificilmente chega nas fases finais. Com base nisso, não me resta outra conclusão senão a de que o tricampeonato da América está se encaminhando. Nesta quarta-feira (30 de março) teremos um jogo propício para afinar o time e embalar de vez. Voltam Bolívar e D'Alessandro de lesão e nosso centroavante Leandro Damião chega com moral depois de boa participação vestindo a camisa 9 da Seleção Brasileira. Oscar deve ser mantido no time e isso é outro ponto positivo. Em contrapartida vejo no time de amanhã duas lacunas que logo devem ser preenchidas: Wilson Mathias por Bolatti e Zé Roberto por Sóbis. Mas como o adversário é fraco e vem desinteressado, será um jogo para somar pontos, fazer saldo e, principalmente, ajustar o time para a reta final. E por falar em reta final, parece que a sorte tente a sorrir pra nós novamente, pois já se fala em um possível confronto com nosso maior freguês já na próxima fase.

PS.: No treino desta terça feira, duas notícias que me deixaram preocupados: 1) Índio treinou no time titular e deve jogar. O fator salário neste caso pesa contra o fator idade, infelizmente. 2) O jogo-treino terminou com o placar de 1 a 0 pros titulares, com gol do Zé Roberto. Agora é que Roth não tira ele mais do time.

Pergunta: O que é preciso pra derrubar Celso Roth do cargo de treinador do Inter?

Saudações alvirrubras.