segunda-feira, junho 13, 2011

Postura

Sinceramente, o que me incomoda não são os 5 pontos em 4 rodadas, a falta de vitórias em casa ou os problemas do time se repetirem, tipo, há décadas.

Fiquei incomodado especificamente com a postura do time nesse domingo.

O Inter não conseguiu agredir o Palmeiras, marcava atrás da linha do meio de campo, nem posse de bola tinha.

D’Alessandro e Oscar eram vistos dando carrinho no campo defensivo, mas não conseguiam articular e levar a equipe pra frente. Damião estava isolado e triangulações parecem palavras riscadas do dicionário da equipe.

Acrescente contundência, organização e objetividade aos verbetes não existentes no tal dicionário.

Sinceramente, parecia que o Palmeiras jogava em casa, tamanha o controle do jogo que a equipe demonstrava em determinados momentos do jogo. Tive a impressão de se tratar de confronto de uma equipe bem organizada tacticamente contra um grupo de peladeiros de excelente qualidade técnica.

E olha que Felipão escalou um ferrolho com 3 volantes sem criatividade nenhuma, 1 meia no máximo esforçado, um atacante com nome de cantor póstumo e mesmo assim deu um sufoco danado em nossa equipe. Tivemos que parir uma bigorna pra conseguir UM mísero ponto em nossos domínios.

O empate foi justo, mas o futebol apresentado é preocupante. E olha que a escalação, em termos de estrutura (e não de nomes) é a que a maioria da torcida julga adequada, com um 4-4-2 com 2 meias, 2 volantes, 1 atacante de lado e 1 atacante centralizado.

A propalada compactação ainda não é vista, e os jogadores continuam distantes. Nei, Bolívar e Renan falharem já virou rotina, e nenhuma atitude é tomada.

São 4 rodadas e 6 gols tomados. Média de 1,5 gols/jogo. Conseguimos tomar gols em todos os jogos, o que, eu acredito, jamais vai acontecer com um time que pretende ser campeão.

Eu, e talvez a torcida colorada inteira, esperava medidas em caráter de urgência da atual direção no que se refere ao futebol. As necessárias contratações não foram feitas, e tudo indica que, salvo um negócio de ocasião, talvez nem aconteçam. Ao que parece, o Gauchão mascarou, novamente, as deficiências da equipe.

Em 4 rodadas, estamos 7 pontos distantes do topo, e falar em liderança nesse momento parece uma utopia.

Sempre gostei muito do Falcão comentarista. E não acho que ele desaprendeu a ler o jogo. Espero que o mesmo supere logo esse período de readaptação e possa extrair um futebol melhor do plantel colorado, que, no momento, está muito aquém da regularidade e eficiência que nos permita sonhar com voos maiores.