segunda-feira, julho 18, 2011

Ambição

O São Paulo trouxe Cícero e agora Denílson, ex-Arsenal, um baita segundo volante. Cañete, meia armador, ex-Boca vai ser anunciado essa semana.

O Flamengo, já forte, está acertado com Alex Silva, ótimo zagueiro e procura um centroavante de nome para ser titular. André, Wagner Love e Ricardo Oliveira estão entre os especulados, tendo em vista que Kléber fica no Palmeiras.

O Palmeiras, de Felipão, além de Martinuccio, está repatriando Henrique, zagueiro de nível de seleçao brasileira.

O atual campeão da américa trouxe ninguém menos que os eficientes Ibson e Henrique, além de estar sondando um nome de impacto do exterior.

Líder do campeonato, o Corinthians estima-se acertar essa semana com ninguém menos que Tevéz, num negócio/investimento nada menos do que espetacular de 40 milhões de Euros.

Até o Botafogo, o simpático Fogão, trouxe Renato, ex-Sevilha, tentou Diego e promete se reforçar ainda mais.

Exemplos não faltam.

O Inter, em contrapartida, está trazendo um volante (nada contra Sandro Silva, aliás, nem a favor) e provavelmente não vá trazer mais ninguém, fora um negócio de ocasião, a sanar a falta de peças de reposição.

Esta, senhores, é a singela diferença de expectativas e ambiçoes de cada uma das equipes.

Post Scriptum:

O Inter, visivelmente, está começando uma reformulação tardia, fruto de jogadores caros, velhos e com salários altos ainda sangrando os cofres do clube.

Aparentemente, a renovação dos direitos de transmissão, não trouxe recursos ao clube, ou estes estão sendo usados afim de sanar o déficit de meses/anos anteriores.

Não discrimino uma política de austeridade, de viabilidade financeira e de contenção de gastos. O grande problema, no entanto, é a maneira como os recursos do clube estão sendo mal empregados, principalmente no tocante ao futebol.

Por fim, me despeço com uma frase célebre de um dirigente que apesar de desanimadora, talvez ilustre um pouco o que esperarmos desse ano.

E para não precisar desenhar, desde já deixo claro que não estou fazendo juízo de certo ou errado (afinal, um clube quebrado nunca vai a lugar algum), apenas estou adequando minhas expectativas com a realidade e o momento do clube.

"Não vim para ganhar títulos, e sim para pagá-los".