sexta-feira, setembro 09, 2011

Concurso BV: Candidato #2

To aguardando mais textos para candidatos ao novo colunista do BV, como avisei quem mandou antes do Falcão sair tem que mandar novamente um texto novo. Quem mais quiser participar mande seu texto de 400-500 palavras para blogvermelho@gmail.com

Nesse "Mata-Mata" cada texto vai aparecer sozinho. Você leitor vai dar nota de 1 a 10 na parte dos comentários. A media será calculado e no fim os autores com melhores medias serão convidados a participar regularmente no Blog Vermelho. Os Autores serão anônimos (mas podem votar se quiserem sem se revelar autor do texto) até o fim da competição. Votos em massa de amigos e familiares dos autores não contarão...como sei que será amigo ou familia? Eu sei tudo kkkkk! Então por favor não pede votos de amigos queremos que o melhores textos ganhem.

Vamos lá...e não esquecem de votar de 1 a 10. (Notem esse texto foi enviado a 3 semanas atras)

CANDIDATO #2

Era uma vez, em algum lugar, antes da demissão de certo treinador

- Oi, Dorival. Tudo bem?
- Fernandão. Quanto tempo hein?
- Pois é. Dorival, tu sabe que vim aqui para uma missão. Ninguém sabe que vim pra cá. Dei um drible na imprensa.
- Sim.
- Seguinte, o Inter está querendo que tu seja nosso novo técnico.
- Hum hum.
- E tua situação no Atlético-MG não é boa. Convenhamos, Dorival, o Atlético-MG não é time grande. Não ganha um Brasileirão há 40 anos.
- E o Inter há 32.
- Touchê! Mas nos últimos anos o Inter foi o Campeão de Tudo.
- Foi?
- Por isso mesmo queremos que tu venhas trabalhar conosco no Beira-Rio.
- "Queremos", quem quer?
- Eu, e o Banana Luigi.
- Banana?
- Banana, que banana? Não, você entendeu errado. Rá! Como você é engraçado, Dorival. Eu disse Geovanni Luigi.
Queremos ganhar tudo de novo.
- Não sei... Fica chato sair assim, de uma hora para outra. Parece que estou fugindo do barco que está afundando. Acho que não é o momento certo...
- 350 mil por mês.
- Quando começo? Sempre quis treinar o Inter!
- Claro. Sabemos disso. O fato é que o Inter hoje é referência no Brasil. Em número de sócios, estádio, títulos conquistados nos últimos anos...
- Fernando. Terei carta branca?
- Bom... sim e não.
- Como assim, Fernando?
- É que... todos sabemos o ótimo trabalho que tu realizou no Santos. Colocando aquela gurizada toda para jogar e tal. Queremos que você faça isso no Inter. Terá carte blanche, desculpe, francês dos tempos do Olimpique, carta branca.
- Carta branca mesmo? Que maravilha!
- Em termos.
- Como assim, em termos?
- Carta branca, mais ou menos.
- Explica, Fernando.
- Dorival, tu é um cara experiente. Sabe que existem certos, digamos, interesses... E esses interesses não podem ser contrariados.
- Interesses?
- Certas coisas não podem ser mudadas de uma hora para...
- Interesses?
- Em boca fechada não entra mosca...
- Interesses?
- Mesmo que determinados jogadores não estejam jogando bem...
- Interesses?
- Pô, Dorival. Tu é direto! O negócio é o seguinte: alguns jogadores não saem do time. Mesmo que não estejam jogando bem!
- ...
- Que foi Dorival?
- Fernando, quais jogadores?
Fernandão, o Capitão América, visivelmente constrangido, estendeu sobre a mesa uma pequena lista com nomes. Dorival, sem tocar naquilo, como se fosse um frasco contendo varíola ou ébola, apenas leu.
- Fernando, há mais de meio time titular nesta lista. Assim fica complicado...
- Dorival, tu sabe como funciona. Sempre há interferência.
- Hummmm.
- Ok, Dorival. 500 mil por mês. Mas vamos divulgar 300 mil para a imprensa e torcida. Se tu chegar lá com todo mundo sabendo que tu está ganhando 500 por mês, a pressão será muito grande.
- Por mim tudo bem. Quer dizer, então, que tirando esses 6 nomes, os demais ficarão a meu critério?
- Gwhgifugwfeufwefiçu - Fernandão, o Eterno, resmungou.
- Não entendi.
- Uhweiufbwuhe3çgqrar - outra resmungada.
- Fernandão!
- Dorival, vamos deixar assim: esses 6 não saem. Os demais, pra começo de trabalho, tu escolhe.
- Certo.
- Claro que depende...
- Depende do quê, Fernando?
- Jogadores mudam de empresário. Às vezes acontece.
- E isso quer dizer que...
- Talvez aumente o número de jogadores dessa lista. Mas, a gente administra, certo amigo?
Dorival estava pensando em suas convicções, lembrando de quando era mais jovem, idealista, de como olhava para o mundo do Futebol, ainda um jovem na periferia, distante das grandes decisões. Recordou a promessa que fez para si mesmo, que se um dia fizesse parte desse mundo, tentaria mudar as coisas, o modo como funciona o mundo do futebol. E, ao mesmo tempo em que pensava essas coisas, diabos, há contas para pagar, advogados, os carros, apartamentos e viagens para os filhos. O cartão de crédito da esposa. Deu de ombros. Afinal, todo jovem idealista transforma-se em um homem de meia-idade pragmático.
- Negócio Fechado - Dorival estendeu a mão.
- Fechado! – Fernando, o Anjo Gabriel do Deus Carvalho, sorriu.
Se abraçaram, combinaram uma data para a apresentação e que a notícia ficasse em sigilo. Cada um foi para seu lado. Fernandão voltou para Porto Alegre, Dorival tinha coisas para organizar, acertar, arrumar, mas logo desembarcaria de mala e cuia no Beira-Rio. Ah, e precisava perder mais uma partida para ser demitido e ficar livre, leve e solto para o Colorado!