segunda-feira, agosto 10, 2009

Em briga de marido e mulher (ou peleia de cachorro grande)...

Ninguém sabe explicar muito bem, mas a verdade é que Glória e Fernandão quebraram os pratos de maneira pública e surpreendente. Desde sua partida, há um ano, o rapaz nunca se desligou completamente de sua amada. Mantinham contato, conversavam e até eventuais encontros aconteceram. O tempo passou e com ele, o ânimo do herói em sua nova vida, noutro canto do mundo. E Fernandão decidiu voltar.

Não era novidade pra ninguém que Glória sempre esteve ligada ao cara com quem tantas emoções fortes vivera. Ao seu redor, uma torcida a favor e outra mais receosa debatiam sobre as promessas e riscos desse reencontro. “Será que ainda é possível retomar com força total uma história que fechou seu ciclo?” – diziam alguns. “Ninguém conhece tanto Glória do Desporto Nacional, como Fernandão. E ela anda um pouco desorientada, só ele pode resolver problemas internos que desconhecemos” – argumentavam outros.

Entre dúvidas e especulações, heis que um belo dia Fernandão chega sério, fechado e quase com ódio no olhar, dizendo: Voltei pra minha antiga namorada, meu primeiro amor. E não quero mais ouvir falar da Glória.

Ficaram todos surpresos, Glória não estava na cidade, havia viajado a trabalho. Ninguém conseguiu entender o que poderia ter acontecido entre eles. Só podia ser algum mal entendido, haveriam de encontrar uma explicação. Mas o fato é que visivelmente ofendido, o até então par perfeito da nossa heroína foi correndo pros braços de sua primeira namorada, com quem havia estado antes de conhecer Glorinha.

Ao chegar de viagem, Glória admitiu que não havia dado toda atenção que merecia seu galã, porém, rebatia dizendo que ele poderia ter tido compreensão e que sair falando dela aos quatro cantos também não estava certo, pois a moça ouviu desaforo até de seu tio distante, coisas do tipo “Perdeste a cabeça! Como deixas escapar um cara desses! Tá louca!”. Na verdade, as mesmas dúvidas sobre a retomada desta relação que tanto intrigaram os amigos, permearam a cabeça de Glória, que resolveu analisar tudo com calma – só esqueceu de avisar o próprio Fernandão.

Levado pela mágoa, Fernandão perdeu o bom senso e apagou incêndio com gasolina. Inevitavelmente jogou amigos e familiares contra Glória. Contou detalhes das suas últimas conversas, chegou a lançar frases intrigantes no ar: eu sei que iria incomodar muita gente se voltasse pra ela. E coisa e tal. Glória, no meio do olho do furacão, pedia calma e dizia que nada mudaria a imagem do seu grande Fernando. Ficou na dela, mas também se chateou.

Do que o rapaz não se deu conta e talvez deva repensar é que raiva nos leva a tomar atitudes impensadas e raramente conseguimos obter sucesso em caminhos escolhidos sob efeito de rancor. Por outro lado, ficou evidente o quão passional se estabeleceu a relação entre ambos, de maneira que ele se quer deu chance a nomes de peso, que há horas com ele flertavam – voltou justamente pros braços de quem o tinha antes da Glória; que deveria ter sido franca desde o princípio, afinal de contas, eles tinham uma história longa e nada atinge mais um apaixonado, que indiferença. Pode não ter sido a intensão, mas foi o que terminou acontecendo.

Amor e ódio andam juntos e nessas brigas, o amigo avisa, ninguém mete a colher. Tampouco se encerra aqui o caso de amor entre Fernandão e Glória. Está claro que não. Ainda virão muitas cenas dos próximos capítulos desta novela colorada.

* Ah, ia me esquecendo. A primeira namorada de Fernandão o recebeu de braços abertos, maravilhada e feliz. No entanto, ficou de a feia da festa que levou o cara que tomou um fora da gostosa. Deixa a moça, ela nada tem a ver com essa briga. Anda ouvindo Cazuza e cantarolando: raspas e restos me interessam, me intereeeeessam...