terça-feira, agosto 18, 2009

Golear com 4 volantes?

As vezes a história desmente as lógicas mais claras, mesmo que seja só como exceção à regra. Apenas como se quisesse dizer: o impossível pode acontecer, as vezes.

Há exatamente 9 anos, no dia 19 de agosto de 2000, o Internacional entrava em campo para enfrentar o Palmeiras, no Parque Antártica. Temendo uma derrota acachapante, Zé Mário optou por um esquema com 4 volantes: Enciso, Carlinhos, Marcelo e Leandro Guerreiro!

Nenhum colorado em sã consciência acreditava em uma vitória. Empate seria goleada, e uma derrota por marcador mínimo seria um bom resultado.

A partica começa, e logo aos 13 segundos de jogo os temores colorados parecem se confirmar. Lúcio comete pênalti no colombiano Asprilla. Arce cobrou, mas Hiran defendeu, no meio do gol.

No restante do 1º tempo, o Palmeiras foi melhor, mas não conseguia ameaçar o gol colorado, graças ao ferrolho defensivo. A supresa ficou para o final da etapa. Aos 44 minutos, Dênis cobrou falta, lançando a bola para a área palmeirense. Lúcio escorou de cabeça e Leonardo Valença chegou chutando: Internacional 1x0!

No 2º tempo o Palmeiras começa buscando o empate. Mas antes que consiga exercer uma pressão forte, ocorre mais uma surpresa. Lúcio pega um rebote da defesa alvi-verde, e aos 9 minutos amplia: Internacional 2x0!

O Palmeiras, a partir deste momento, perdeu-se em campo. Aos 20 minutos Asprilla recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso. Mesmo assim, aos 38 minutos, o Verdão diminuiu o prejuízo, com mais um gol de zagueiro: Gilmar. Porém, sequer a equipe paulista pode tentar buscar o empate, pois no minuto seguinte os atacantes colorados resolveram trabalhar. Serginho cruzou e Leonardo Manzi marcou, de cabeça: Internacional 3x1!

O Palmeiras, onde atuavam o já experiente volante Fernando, e o jovem volante Magrão, ficou abatido. E ainda levaria mais um gol, quando Serginho fechou o placar, aos 46 minutos: Internacional 4x1!

O supreendente resultado gerou a seguinte manchete do Correio do Povo: "Inter dos volantes é arrasador: 4x1". Mas é evidente que neste dia os deuses do futebol quiseram pregar uma peça nos admiradores do futebol. Nas duas partidas seguintes o internacional voltou a atuar com os mesmos 4 volantes, e não passou de empates apáticos, em casa, contra Guarani (0x0) e Coritiba (1x1).

IN: Hiran; Márcio Goiano (Barão), Lúcio, Leonardo Valença e Dênis; Enciso, Carlinhos, Marcelo (Juca) e Leandro Guerreiro; Fabiano (Leonardo Manzi) e Serginho
Técnico: Zé Mário
PA: Sérgio; Arce, Thiago Matias, Gilmar e Jorginho (Alberto); Fernando, Magrão e Juninho; Pena, Basílio (Adriano) e Asprilla
Técnico: Marco Aurélio