quinta-feira, outubro 14, 2010

Ataque?

Hoje é um daqueles dias que estou sem criatividade para escrever. Poderia descrever minha análise sobre o jogo de ontem, quando fomos derrotados pelo Santos por 1 a 0 na Vila Belmiro. Ou ainda poderia escrever sobre o que leva a direção e comissão técnica a utilizar time misto faltando dois meses para o Mundial. Também poderia relatar a possibilidade de o Beira-Rio ficar de fora da Copa de 2014. Mas não. Falarei sobre o que mais me preocupa no time do Internacional, que é o setor ofensivo e as peças de reposição do “qualificado” grupo do Inter.

O Inter não tem ataque. Os suplentes, então, que fazem a função de frente são ridículos. Edu, que não é meia é atacante, e que pelo seu futebol tem grandes chances de ser titular no Santa Terezinha F.C. daqui de Imbé, é o pior deles. Ilan está sem ritmo de jogo, mas não creio que seja a solução mágica. Leandro Damião é o melhorzinho, mas ainda é inferior aos titulares Alecsandro e Sóbis. Falem de mal, falem de bem, mas o atacante mais efetivo dentro do grupo é El Cone. Nem vou falar de Guto pois o guri entrou no apagar das luzes contra o peixe e não pode mostrar serviço. Roth ainda não encontrou uma solução com a saída de Taison do time e isso preocupa demais o torcedor. A mim, pelo menos.

Eu queria entender o que se passa na cabeça desta direção e do técnico, pois a essa altura do campeonato não se sabe quem escala o time. Manter esse Edu no grupo, ainda mais no time titular, é uma piada de mau gosto.

E o que deixa a nós, torcedores, mais preocupados é que não se vê possibilidade de nenhuma contratação para este setor com vistas ao Mundial. Sorte que temos um meio campo titular de qualidade, com D’Alessandro e Tinga, que podem chegar junto aos homens de frente, dando poder de fogo ao setor mais carente do poderoso e qualificadíssimo grupo colorado. Mas será que isso é suficiente para, possivelmente, encarar a Inter de Milão?