quarta-feira, outubro 13, 2010

Bipolaridade

Já na minha primeira postagem, eu tentei encontrar uma explicação para um inexplicável jogo contra o Palmeiras fora de casa, depois de uma vitória incrível sobre o Corinthians no Beira Hell. Essa situação se repete a umas 3 semanas (contando com esses jogos).

É engraçado e triste ao mesmo tempo ver a situação, não do Inter no campeonatinho nacional desse ano, mas sim dos colorados. A linha tênue entre a alegria e a cólera. Até o homem mais razoável do mundo cede à bipolaridade em relação a essa situação. Diz 'chega, larguei' na quarta feira, em uma partida vergonhosa contra um time mais vergonhoso ainda em que o Inter perde não jogando um ovo, como foi no último jogo contra o Vozão fora de POA.

Mas aí então chega a partida dominical, aquela que não passa na TV caso não tenha o PFC, e após uma boa para ótima vitória, volta a coloradagem mais acalorada dizendo que 'ainda dá, é só o Inter ganhar os próximos 3 jogos e o Cruzeiro perder mais uns 2 que a gente encosta'.

Não aguento mais sufocado nessa ansiedade de que 'talvez, se tudo der certo', a gente consiga ganhar. É hora de tomar uma atitude séria. Não pode na quarta o Fernando Carvalho ou seja lá quem for avisar que o que tá valendo é o Mundial e no domingo avisar que se enganou e que a 30 anos não ganhamos o título de melhor do Brasil, empolgando a galera a dar esse título ainda mítico para vários colorados com menos de 30 anos.

Hoje o Inter vai jogar contra o Peixe na Vila e uma situação definitiva deve ser tomada. Ou o Inter ganha e convence, pra sair do discurso e finalmente dizer que adentrou na disputa, ou pega o chapéu de cowboy que o Índio deu de presente e sai de fininho. O Santos vem tão irregular quanto o Inter nesse campeonato, uma surpresa por jogo. Vitória contra os cabeças e derrota contra os pequenos.

Dessa vez o Inter vem com alguns 'reforços', já que no último jogo o time estava mais improvisado que as soluções do Macgyver. Mas o que não quis dizer muito, e não quer dizer agora, já que o Santos vem com o time quase integralmente reserva. Vencer de qualquer forma deve ser a prioridade, com jogador, sem jogador, não importa. Tá na hora de arregaçar essas mangas e valorizar esse título que, como eu disse antes, nenhum colorado com menos de 30 anos viu.

Afinal, Inter, ou vai ou racha, po.