quinta-feira, fevereiro 10, 2011

Está valendo!

Começou ontem aquela que é para nós, colorados, a principal competição do ano. Claro, se conseguirmos o caneco do tri da América, o Mundial passará a ser a principal. Mas enfim, todos os olhos já estão voltados para a Libertadores.

Por enquanto, o único jogo foi do "grupo da morte" o empate em 2 a 2 do Fluminense com o Argentinos Jr. Mas já deu para matar saudades de ver as peleias da Libertadores. Não vejo a hora de ver o time estreiar. Pena que temos o Roth no comando. Pois com os novos reforços e o plantel que temos, com certeza somos um dos favoritos para manter a América vermelha. Se o Roth pensasse ao menos uma vez, em mudar o esquema e colocar as peças nos lugares certos, poderíamos assinalar que temos o melhor grupo para a competição. O grupo é bom, mas o Roth... enfim, corneta a parte, volta aquele momento que muito comentamos aqui no BV às vésperas do Mundial. Com Roth ou sem Roth, com os 11 que saírem jogando já na estréia contra o Emelec na próxima quarta estarão levando adiante nossas cores e nome.

Os desastres ocorridos ultimamente devem ser, se não esquecidos de vez, deixados de lado, pois agor acomeça tudo de novo. O Inter se tornou um time com pinta guerreira, copeiro, nos últimos anos graças ao espírito adotado nestas competições sul-americanas onde, muitas vezes, a entrega e o corção na ponta da chuteira valem mais que técnica apurada.

E é numa mescla da raça de Guiñazu, na técnica de D'Alessandro, na reformulação do gol com Lauro e numa possível volta do esquema vencedor da LA'10, com o ingresso do Zé Roberto no time, tudo isso aliado com as chagadas dos novos gringos, fazem do Inter um dos favoritos ao título. Isso sem contar na esperança da volta do bom futebol de Tinga.

PS: O que dizer do grupo 8 da Libertadores, que tem nada menos que 13 títulos, somando as conquistas de Peñarol, Independiente e LDU?