sábado, junho 06, 2009

Nem tudo está perfeito

Na semana passada, ocupei este espaço para salientar o grande momento que vive o nosso Colorado. São ótimos resultados dentro de campo e uma boa estrutura fora dele. Somos, sem dúvida, um dos clubes mais organizados do país, com mais de 90 mil sócios e capacidade para nos mantermos no topo por um longo período. Mas, apesar disto, estamos muito longe da perfeição.

Começamos pelo estádio. A maquete do Beira-Rio está sensacional. Mas quando vai sair do papel? Confesso que me assusto quando um dirigente diz que o nosso estádio está quase pronto para a Copa de 2014. Isso só pode ser discurso externo, pelo menos eu espero. Ora, quem faz uma afirmação desta, não freqüenta o estádio ou, no mínimo, não vai as dependências destinadas ao sócio torcedor.

Primeiro o estacionamento: não agüento mais “jogar” meu carro no meio do nada, num barral só e numa escuridão de dar medo. E ainda por cima, ter que pagar por este serviço. Isto sem contar, o tempo que demora pra entrar e sair do estacionamento em dia de jogo importante.

Passado o primeiro “stress”, entramos no estádio. Confesso que não gosto de freqüentar a social, por motivos pessoais. Então, divido minhas idas ao Beira-Rio entre a arquibancada inferior e superior. A inferior, quando o estádio está cheio, é uma aventura. Como não tem cadeiras, nem lugar marcado, cada um vai ocupando o seu espaço como pode e como todos querem o mesmo espaço, em um lugar onde cabem duas mil pessoas, ficam quatro mil (ou mais). Os banheiros estão bons, mas é impossível sair do “seu lugar” para voltar depois, pois não existe o “seu lugar”. Logo, na superior, tem tudo pra ser melhor, mas não é bem assim.

Na arquibancada superior tem cadeiras, ou seja, você pode ir ao banheiro e dizer pro cara ao lado, “guarda meu lugar que eu já volto”. O problema neste caso, são os banheiros. Será que algum dirigente do Inter já foi nos banheiros da superior? Tenho convicção que não. É pior que banheiro de rodoviária. Uma imundice total. E se o banheiro masculino é nojento, fico imaginando o feminino. Que dó. Além disto, tem uma multidão que chegou atrasada no estádio que fica sentada nas escadas que dão acesso as cadeiras, ou seja, tem que ficar pedindo licença durante todo o trajeto.

Fora isto tem o lanche. Principalmente em jogos na quarta-feira à noite. Comer um “cachorro quente” no intervalo: impossível. Quem se aventura a entrar na fila, fica mais de 30 minutos. Isto mesmo: mais de meio tempo de jogo, na fila pra comer um pão com salsicha, bem meia boca. Aja fome pra encarar.

Buenas. Passado por tudo isto, final de jogo com vitória (o Inter sempre ganha em casa), temos que sair do estádio. E aí, mais um absurdo. No mínimo, cinqüenta por cento dos portões estão fechados. São 15 mil pessoas saindo da arquibancada superior por DOIS portões. Porque tamanha burrice? Algum dirigente já viu isto? Isto é um estádio “quase pronto pra copa”? Fala sério. Depois disto, tranqüilos porque vencemos outra vez, ligamos o rádio do carro para escutar a coletiva do Tite e vamos encarar o congestionamento, chegar em casa as duas horas da manhã (quem mora em Porto Alegre) e dormir feliz, mesmo tendo que acordar as sete horas no dia seguinte.

E se você já encheu o saco de me ver resmungando, pode parar de ler, porque eu não terminei ainda. Quero lembrar outra promessa antiga que parece coisa de político. Vocês lembrar que na final do gauchão de 2008 foi a primeira vez que tivemos um jogo exclusivamente pra sócio no Brasil? Pois é: na ocasião, como choveu, tinha 35 mil pessoas no estádio. Ou seja, não foram vendidos ingressos e cabia mais 20 mil colorados numa partida decisiva. Pois bem, com o acontecimento, ouvi pela primeira vez a promessa de que o sócio antigo (o da carteirinha vermelha), em breve, teria que confirmar sua ida ao jogo, para não termos partidas decisivas com estádio semi-vazio.

Pois isto faz mais de ano, e ainda nada aconteceu. Dia primeiro de julho temos um grande jogo no Beira-Rio. Certamente, só sócios irão ao jogo e muitos sócios não conseguirão ingressos. E posso fazer uma aposta aqui: teremos espaços no estádio. Por quê? Porque têm que ser reservados lugares pra sócios que não vão ir ao jogo.

É tão difícil assim, fazer com que o sócio entre na internet e confirme presença no jogo? E ainda nem estou falando em deixar seu lugar marcado (como já existe no cinema e no teatro aqui na terrinha há algum tempo). Nem estou pedindo isto. Só quero estádio cheio em jogo importante. É impossível? Claro que não. Só não podemos deixar a direção acomodada, achando que está tudo lindo e maravilhoso. Não é, nobres conselheiros? Sei que muitos de vocês compartilham minha indignação e por isto votei em vocês. Agora mão a obra, pois vocês são o torcedor do concreto no conselho. Lembram???