quarta-feira, agosto 17, 2011

Dorival e mudanças

Dorival Júnior chega, e, como herança, tem um time de pernas pro ar. Veio depois de muita especulação e nomes citados, como Cuca e Paulo Autuori. Aliás, fica um parênteses de como essas últimas semanas foram um bom exemplo de que o jornalismo esportivo é, na verdade, um monte de cegos atirando pra ver quem acerta uma maçã no meio de uma pilha de laranjas.

Enfim, não foi uma má contratação. Comparado com esses outros técnicos que foram especulados, foi uma boa contratação. Com o primeiro treino feito, ontem, já dá pra fazer uma pequena análises sobre seus acertos e erros...

Começou bem no sentido de fazer algumas mudanças, como tirar o Tinga e o Wilson Mathias (aleluia). Tudo bem que tirar o Wilson Mathias pode custar um emprego, mas vamos alegres até onde durar.

De ruim, temos o Tite revival, do famoso losango. Tudo bem que finalmente temos dois meias de novo, mas o losango provou ser horrível. Ainda mais depois da saída do Alex, que deixou o D'Ale sozinho, e o esquema passar a ser dá-balão-e-tomara-que-o-Nilmar-consiga-fazer-algo. Temos jogadores capazes de fazer isso dar certo, mas o principal deles está jogando com uma camiseta amarela. Secaremos.

Ainda há algumas mudanças para serem feitas (saída do Bolívar, mas precisamos esperar outro jogador de amarelo voltar). A primeira prova do nosso time vai acontecer hoje. É claro que Dorival não vai mudar completamente o time com apenas um treino, nenhum treinador conseguiria fazer isso. Mas a motivação dos jogadores é fácil de notar e é o que mais importa hoje.

Do jeito que o Brasileirão é enrolado, e tirando o fato que ainda estamos no primeiro turno, eu sonho. E sonho alto. Se ajeitar a casa, dá sim para beliscar o título.