segunda-feira, abril 27, 2009

Beiraflit's

“O pernambucano é o gaúcho a pé”

Frase dita por Alceu Valença, em ocasião de seu show no Salão de Atos, há uns anos, referindo-se ao pernambucano como um gaúcho sem cavalo. A comparação entre os dois Estados justifica a condição humilde dos nordestinos frente aos sulistas, mas também lembra que temos semelhanças, principalmente na cultura popular. Forró é xote com triângulo. A gaita é tão popular aqui quanto lá. As raízes do Maracatu e da música Gauchesca são igualmente valorizadas pelos filhos das duas terras.

Os times de Internacional e Náutico reiteram a disparidade, a equipe do sul tem grupo mais qualificado, salários altos, mas como prudência e canja de galinha não fazem mal a ninguém, lembremos das características comuns, de origem e superação. Não se pode subestimar quem caça caranguejo no meio da lama, que é bicho brabo e resistente.

Por isso, cuidado Colorado. O Inter só pode perder pra ele mesmo, se repetir o erro do resultado “ao natural”, cometido no ano passado. Não creio que irá acontecer de novo e vou recordar que naquela ocasião houve, antes da derrota, dois confrontos de superação que geraram desgaste: a eliminação do Paraná e final do Gauchão contra o Juventude, jogos em que saímos em desvantagem e corremos pra buscar. Além disso, tivemos desfalques naquela noite no Recife e uma equipe ainda em renovação. O grupo de hoje tá vacinado, administra confiança com cautela. É onze contra onze, gaúchos e pernambucanos, trova & cordel.

Pra cima deles meu Inter.