terça-feira, abril 21, 2009

A Moda é Retrô

As atuações do Inter neste Campeonato Gaúcho foram ao melhor estilo retrô. Campeão Invicto, tal qual em 74. Não com 100% de aproveitamento, é verdade, mas com mais de 90%! Os números e também as atuações, em sua esmagadora maioria, são, de fato, impressionantes!

Esmagadora, aliás, é uma palavra que bem define a atuação do time em várias partidas, algumas delas, inclusive, com a equipe considerada reserva, como na goleada sobre o Veranópolis no início do segundo turno, no Beira-Rio.

Goleadas, realmente, não faltaram ao Inter nestes primeiros meses do celebrado ano do centenário colorado. Teve 6 x 2 e 7 x 0 fora de casa, mas também teve 5 x 1 e 8 x 1 no Beira-Rio. Foi golo pra se perder a conta! Que beleza!

Esses placares elásticos, repetidas vezes ao longo da competição, me remeteram a um passado que não vivenciei, mas consagrado em um grito da torcida que também encarna o estilo retrô: “Uh, terror! É o Rolo Compressor!”

Ora, nada mais retrô que o famoso, saudado e saudoso Rolo Compressor, o time que amassava, esmagava adversários na década de 40, no campo do Estádio dos Eucaliptos, empilhando títulos e mais títulos, consolidando uma hegemonia regional até então nunca vista.

Pois agora o ano seguirá e desafios maiores virão. Hoje, entretanto, não vou chatear os assíduos leitores do Blog Vermelho com as minhas preocupações com o peso, a idade e a velocidade da nossa dupla de zaga. Tampouco irei depreciar a Copa do Brasil e reclamar da Direção pela minha obsessiva vontade de priorizar o Campeonato Brasileiro. Hoje é dia de comemorar o Bi Invicto, repleto de goleadas, no melhor estilo retrô.

E para não parar de celebrar, nesse ano de festas em vermelho e branco desde o carnaval, espero que o Inter continue dando o tom da moda do momento. Amanhã, quero que o time volte a campo encarnando o estilo retrô, mais especificamente, o modelo 92, da Copa do Brasil. Esse, aliás, será o estilo a ser adotado nas próximas três semanas, exclusivamente. Depois, a partir de maio, vou querer o retorno do modelo de 1979.

O retrô está na moda, mas o Inter não é moda. O Inter, como a gurizada mais nova gosta de dizer, é eterno. Pois que siga assim, resgatando grandes momentos do passado, trazendo, no presente, alegres emoções à sua torcida, com os olhos onde surge o amanhã.

Amanhã, alguém dirá, saudoso: “Bah, como era bonita aquela camisa do início do século, como era bom aquele time!” Um dia, a moda de hoje, também será retrô.