terça-feira, abril 26, 2011

O que tenho visto

Falcão está desmascarando 99% dos técnicos de futebol. Não que ele seja melhor que os outros ou que seu esquema seja superior, mas o fato é que poucas vezes antes eu vi tão claramente o dedo do treinador no time como vejo agora. O Inter realmente tem um esquema de jogo. As duas linhas de quatro (tão faladas e inexistentes na prática), agora existem. Sempre as vi em times e seleções européias, agora vejo no Inter. E, de fato, isso minimiza (não elimina) a fragilidade defensiva do time.

Em contrapartida, se perde articulação no meio, visto que os meias jogam nos flancos. E em jogos com Andrezinho dispersivo e Oscar lento e displicente (dou desconto por estar voltando de lesão), o ataque fica à míngua. Mas me parece inegável que o Inter hoje, não se apavora mais com os lances capitais do jogo. Em outras épocas, o time sentiria mais os gols, tanto os seus quanto os do adversário. Em outras épocas, o Tinga entraria só depois do Matias (que até acho util). Em outras épocas, o time teria medo de vencer, e perderia.

Talvez eu esteja encantado com um ídolo (Falcão). Talvez eufórico por ter vencido o Juventude no Jaconi (o último a fazer isso havia sido o Abel "pra dentro deles" Braga, em 2005).

Temos um esquema mais seguro defensivamente, mas um espírito mais ofensivista (ou menos covarde).

Se vai dar certo, não sei, pois como diria Muricy: "Isso é futebol, meu filho". Mas que me agrada ver, me agrada.