sexta-feira, abril 22, 2011

Candidato #8

Vou fazer a votação diferente dessa vez comparado com outras seleções de autores para o BV. Dessa vez em vez de "Mata-Mata" cada texto vai aparecer sozinho. Você leitor vai dar nota de 1 a 10 na parte dos comentários. A media será calculado e no fim os autores com melhores medias serão convidados a participar regularmente no Blog Vermelho. Os Autores serão anonimos até o fim da competição. Votos em massa de amigos e familiares dos autores não contarão...como sei que será amigo ou familia? Eu sei tudo kkkkk! Então por favor não pede votos de amigos queremos que o melhores textos ganhem.

Vamos lá...e não esquecem de votar de 1 a 10.

Leia Candidato #1 Aqui
Leia Candidato #2 Aqui
Leia Candidato #3 Aqui
Leia Candidato #4 Aqui
Leia Candidato #5 Aqui
Leia Candidato #6 Aqui
Leia Candidato #7 Aqui

Candidato #8 (Detalhe esse texto foi escrito ainda com Roth no comando, antes da derrota para o Jaguares)

O Celeiro de Ases nunca foi tão incensado como nos dias atuais.

Quase todo ano, desde 2003, algum bom atacante brota no Beira-Rio. Velozes, lentos, ágeis, pesados, habilidosos, técnicos, fortes, negros, pardos, "alemães", esguios, gordos de tanto comer X trancados no apartamento...Não importa. A produção não pára. A maioria serviu à Seleção Brasileira de base ou até a profissional. Como trabalho bem feito dá frutos, tantos atacantes geraram muitos dividendos, que são responsáveis diretos pelos títulos que vencemos nos últimos anos. Afinal, apesar de não ser tudo, futebol precisa MUITO de $$$.

Pois bem, então não há do que reclamar das categorias de base, certo? Quase. Esta fábrica de atacantes é redonda, quase irreparável, mas a máquina como um todo precisa ser revista em alguns pontos. Como assim? Vejamos as maiores carências do futebol atual - de maneira geral, evidente que craques da posição são sempre raros:

- Goleiro: Por ser uma posição só, existem às pencas. Só não tem um bom quem não quer (ou quem é burro e insiste no erro).

- Zagueiros: Por ser uma posição que exija força bruta e menos técnica, não há muita falta.

- Volantes: Os volantes antigos, centromédios, estão escasseando. A tendência é volante movediço. Seja como for, não é difícil encontrar, por ser um setor muito mais defensivo.

- Meias: No Brasil, estão virando raridade. Mas ainda há bons nomes por aí e os argentinos produzem 10's em escala industrial, e estão cada vez mais presentes no futebol brasileiro.

- Atacantes: Atacantes de movimentação/aproximação existem em número razoável, bons centroavantes clássicos estão raros. Por ser uma posição que depende muito de fase, há sempre dificuldade em encontrar nomes definitivos.

E deixei os laterais de fora, de propósito. Porque é justamente isso que o Inter deveria investir. Vejo nessa posição uma carência impressionante, ao ponto de Mariano ser convocado pra Seleção e RC ser eleito o melhor do campeonato única e exclusivamente pelo nome.

Seguindo essa tendência de perebalização, o último bom lateral que o Inter formou remonta aos anos 80, com L.C. Winck. Não dá pra entender porque o Inter marginaliza tanto essa estratégica posição. Não forma e não contrata um que preste! Ou faz apostas que 1 em 1000 dão certo, como foi Ceará.

Sobre os laterais atuais, Kleber teve de cair do céu e do bolso do Sonda pra vir pra cá. Considero o Kleber muito mais meia do que lateral, como jogador, e que, apesar de indispensável no time hoje, tem vários momentos de sonolência, a exemplo do D'Alessandro. Não acho o Nei tão desgraçado, ele é esforçado e cobre bem a defesa. Mas insiste em SEMPRE (SEMPRE MESMO!) fazer merda no ataque.

O Inter poderia voltar um pouco da sua intensa máquina de avantes pra esse setor. Implementar um produto novo no mercado. O Colorado tem a receita da Coca pra atacantes, e isso é louvável, deve continuar e melhorar sempre. Mas poderia agregar ainda mais valor à máquina investindo em novos produtos. Naquilo que os clubes querem e precisam. E principalmente: naquilo que o INTER precisa!