quarta-feira, novembro 10, 2010

Abu Dhabi e Roth

Agora que qualquer chance de título foi para as cucuias, quais as sugestões dos torcedores sobre o time? Vender todas as feridas do time, começar a experimentar diversas táticas e jogadas, se preparando para o Mundial, ou colocar os reservas e deixar o time titular sobre extrema concentração?

O bom de não se preocupar mais com o Brasileirão é não ficar mais e mais tenso a cada rodada, achando que talvez dê para ganhar. Agora é começar a fazer as malas, levar um estoque de erva pra chimarrão e o manto. Ou para quem fica em casa, garantir que dê tudo certo e a luz não acabe bem antes dos jogos. Está todo mundo tranquilo para ver o desfecho do Brasileirão, para ver o time que vai se beneficiar dos outros vacilões.

Eu sou a favor dos experimentos. Se bem que eles já começaram, como o rodízio de goleiros. É um alívio não ver mais o careca Renan (quase escrevi Nei) embaixo das traves. No último jogo o Pato não foi tão mal assim. Um gol de pênalti e um passe (??) incrível do Bolívar. Veremos no próximo jogo se vai ser o Lauro da Sulamericana de 2008 ou o goleiro que foi obrigado a sair do gol colorado ano passado. Depois disso eu digo qual deles é a melhor opção no gol.

O que acontece no Inter atualmente é o que acontece em qualquer time que tem Celso Roth como técnico: uma besta maligna se apodera do corpo do ex-bigodudo e põem tudo a perder. Não sei por quê. O que acontece com esse sujeito? Todos os times que ele treina começam muito bem e depois caem de rendimento. É triste mas é verdade. Todo mundo achou que seria diferente graças a conquista da Libertadores, mas não está sendo.

Algumas baixas no time podem tê-lo prejudicado, é verdade, mas isso acontece em todos os times de futebol, e não é desculpa. Técnico tem que trabalhar com o que tem. Se fosse para ter um time perfeito, garanto que qualquer colorado poderia treinar o time. O que nos resta fazer é o que melhor sabemos: torcer. E muito.