terça-feira, novembro 30, 2010

EFEITO PRÁTICO

O efeito prático do resultado destas eleições para o Conselho do Inter, é que ele vai ditar o que acontecerá no 1º turno da eleição presidencial do final de 2012. Pode parecer distante, mas quando nos dermos conta, já terá chegado!

Recebi, como todo sócio colorado, um e-mail da Chapa 3 dizendo que se fizerem 100% das cadeiras em disputa nestas eleições, não haverá prejuízo à democracia do clube, pois sua Chapa é composta por 4 grupos (Inter Grande, Coração Colorado, Colorado Eu Sou e 11 Conselheiros dissidentes do Ação Independente).

Esqueceram-se de citar políticos de carreira, deputados estaduais e federais sem nenhum vínculo com qualquer desses Movimentos que também compõem a referida nominata. Digo isso com a certeza de que os nobres parlamentares nunca ou quase nunca participaram de qualquer reunião de Movimento Político Colorado. Não faria sentido, pois sequer eles têm tempo para assistirem aos jogos no Beira-Rio. Será que irão às reuniões do Conselho?

O fato é que uma chapa tão heterogênea quanto a Chapa 3, realmente não acabará com a democracia do clube. Se 100% dessa nominata ocupar as 150 vagas em disputa no Conselho, tenho certeza absoluta que haverá um novo racha em breve, igualzinho ao que se vê hoje entre as Chapas 1 e 3.

Eu me nego a crer que o grupo de Cláudio Bier (Colorado Eu Sou) agüentará mais de 2 anos coligados, aliados, com o grupo de Roberto Siegmann (Inter Grande), apenas para citar dois possíveis presidenciáveis em 2012. Afinal, se nem Fernando Carvalho foi capaz de evitar o racha entre Luigi e Affatato, não será Luigi que evitaria o 2º turno de 2012 entre Siegmann e Bier.

Mas isso tudo é uma mera especulação!

Na verdade, acredito no potencial eleitoral da chapa que componho: Chapa 2. Uma chapa composta por pessoas que se destacam em primeiríssimo lugar por ostentarem suas condições de sócios colorados, nada além disso. Pessoas com as quais se pode conversar no pátio do Beira-Rio ou em qualquer setor do estádio durante os jogos, sejam de Gauchão, Brasileirão ou Libertadores. Pessoas que não só comparecem às reuniões do Conselho como convidam sócios não Conselheiros a assistirem a tais reuniões. Eu mesmo tive essa oportunidade várias vezes.

Tenho fé de que a Chapa 2 elegerá um bom número de Conselheiros, sim! E que daqui a 2 anos, os sócios colorados terão, novamente, a oportunidade de votar para escolherem seu futuro Presidente. Não mais entre dois situacionistas brigões, mas entre dois projetos de clube, de gestão, de crescimento e de estabilidade no alto nível de competitividade do futebol Mundial.

Na prática, este será o efeito do resultado da eleição par o Conselho Deliberativo do Sport Club Internacional.