domingo, novembro 14, 2010

Projeto e Realidade

O Projeto Gigante Para Sempre não é o primeiro sobre o patrimônio do Inter, nem será o primeiro a ser 100% realidade. Toda vez que o "como fazer" não é pensado juntamente com o "o que fazer", acontece esse problema.
Um estádio é um grande empreendimento econômico, hoje mais do que nunca. A eficiência financeira deve estar a frente de questões estéticas e o tamanho. Diferentemente dos anos 50, hoje não é o tamanho do estádio que deve importar, mas sim a sua média de público e o quanto ele reverte em rendas para o Clube poder re-investir no futebol.
Lamento ver muita gente preocupada apenas com a capacidade total do Beira-Rio pós reforma e não ver ninguém falar em metas de média de público, por exemplo, "40 mil por jogo". Isso é o que realmente importa, mas o Beira-Rio têm gargalos para atingir essa meta, como circulação de pessoas e, principalmente trânsito (estacionamentos e transporte público), que estão a margem do debate.
Tudo que se fala em jornais, do tal orçamento (na verdade um chute) de R$ 150 milhões - que já aparece como R$ 155 e, as vezes, R$ 170 milhões - é relativo exclusivamente ao Estádio, cobertura, arquibancadas, etc. Todo o resto que aparece no Projeto não é contemplado. Processo idêntico ao que já aconteceu no projeto original do Beira-Rio e que resultou em um crescimento e ocupação desordenada do terreno que deveria ser do Clube até a junção da Av. Beira-Rio com a Av. Padre Cacique.

Projeto original com marina, circulação planejada, ginásio ao sul do estádio, estacionamento, cobertura em todo estádio, depois substituída por um terceiro andar na superior.
Eucaliptos: reforma para a Copa de 1950 nunca foi concluída. Projeto foi abandonado após a construção do Estádio Olímpico em 1954.

Todos os problemas que o Inter está enfrentando agora é por ter cometido o erro de desenvolver o projeto arquitetônico, sem os devidos estudos prévios financeiros e de viabilidade econômica. Agora que os estudos estão sendo feitos - por pressão externa, diga-se - e também pelas razões históricas apontadas que considero urgente a apresentação de um projeto realista que apresente aquilo que será efetivamente realizado nessa reforma.

-------------
Mais sobre a reforma em beirario2014.blogspot.com