terça-feira, dezembro 14, 2010

Carta ao Papai

Ele estava ao meu lado na primeira vez em que vi o Inter ao vivo! Ele também estava comigo no meu primeiro greNAL, e ganhamos! Ele esteve ao meu lado na minha primeira vez no Beira-Rio, no meu primeiro título regional e também nacional!

No gol 1000 do Fernandão, foi com ele que comemorei na arquibancada superior. Quando estava 1 x0 contra o Libertad, foi ele que me acalmou quando comecei a chorar de nervoso, lembrando de 89. E mesmo quando não estávamos juntos, era sempre ele o primeiro com quem eu comemorava por telefone, como nas duas finais da Libertadores.

Parece que foi ontem aquela manhã quente de 17 de dezembro de 2006. Com sua serenidade costumeira, ele me acalmou antes do jogo, dizendo que não deveríamos fazer gol cedo, que deveríamos levar o 0 x 0 até os 30 do 2° tempo, para matar num contra-ataque sem deixar tempo para reação.

É, pai, não vai ser fácil assistir a este Mundial sem ti ao meu lado. Só de imaginar, já me arrepia o pelo e se me encharcam as pálpebras. Mas isso tudo é orgulho e também felicidade!

Felicidade por poder estar ao lado do meu pequeno, teu neto, já orgulhoso colorado! Felicidade por poder compartilhar com vários amigos esse momento tão importante na história do nosso clube. E felicidade por saber que tu estarás aí, assistindo de pertinho, a poucos metros do gramado, juntamente com outros milhares de colorados!

Daqui de casa, te busco em pensamento e sentimento. E da mesma forma, espero estar aí, contigo, no meio da massa colorada que atravessa continentes para torcer por esse Gigante chamado Internacional!

Muito emocionado, espero pela bola rolar, para ver os gols do Inter, e para te aguardar ainda mais feliz e te abraçar no retorno, com mais uma taça!

Esta singela carta, dedico a todos os colorados que tem um pai, um familiar ou amigo em Abu Dhabi. Na verdade, todos nós temos, pois somos todos uma grande família!

Vamo, INTER!!!