quarta-feira, dezembro 22, 2010

Detalhes e pensamentos desconexos

O poético pode dizer que uma partida de futebol é uma partida de detalhes.

Uma defesa do goleiro com a ponta dos dedos em um lance crucial.

Um chute caprichoso que bate nas duas traves e não entra.

Uma fracção de segundo, um quicar de bola, uma (in) decisão que custa um jogo, um campeonato, um ano.

Eu, particularmente, me delicio com qualquer expressão que envolva "os deuses do futebol".

Estes seres imponentes, onipresentes e todo-poderosos (argh!) que se divertem com um esporte que podem nos levar do céu ao inferno em um detalhe.

Poesia (quanta pretensão!) a parte, acredito nas pequenas nuances e nos pormenores.

Como dizia um grande amigo meu, todo planejamento rui por causa dos mais simples motivos. Parafraseando-o “ninguém tropeça em montanhas”.

Quando um treinador passa um semestre inteiro desmotivando seus jogadores, incrustando a mentalidade de preservação (que inclusive estendeu-se além, vide o jogo contra o Mazembe), de conformismo (onde foi parar a ambição em sempre querer ganhar?) não há como surpreender-se com o desfecho de ano.

Infelizmente não há uma chave mágica de “liga-e-desliga” para competitividade, foco, obstinação. Ou de certo, esqueceram do detalhe de avisar aos jogadores que “agora é (era) pra valer”.

Pior é ter que ouvir explicação após explicação do glorioso Roth de que o calendário prejudica, que a equipe chegou desgastada com o acúmulo de jogos, que a perda de jogadores chaves como Taison e Sandro desestabilizou a equipe e que o planejamento foi adequado.

Celso Roth, e sua manutenção, já é algo que me desagrada, para não dizer que me dá repulsa.

Teve tempo, material, estrutura, e não conseguiu superar um adversário inferior num campeonato de visibilidade mundial. E o que realmente me indigna, não assume sua parcela de culpa. Saber reconhecer os erros é o primeiro passo para a melhora.

Infelizmente, os pequenos detalhes fizeram a diferença.

A propósito, eu descobri que sou gremista. Juro. Detalhe né?

Afinal, segundo nosso mortal e valoroso atacante Alecssandro, aqueles que criticam suas atuações e seus números devem ser gremistas. Ó céus, ó vida! De campeão de tudo fui relegado a torcedor do coirmão. Como nunca percebi isso? Agora tudo faz sentido.

Ironias a parte, este post no fim acaba sendo um somatório desconexo de pensamentos. É difícil articular algo harmónico, mas talvez seja culpa desse somatório de acontecimentos que deixa qualquer um desconexo.

Tristeza é ver que um ciclo acaba, mas não da maneira que esperávamos.

É ler aqui e ali que o dinheiro anda curto, que expoentes técnicos do time podem ser negociados, e pior ainda, as especulações de reforços são incipientes, e ao menos ao meu gosto, não agradam (tirando Léo Moura e o “jogo-pra-acalmar-torcida” Luís Fabiano)!

Infelizmente, aguardemos qual vai ser o planejamento e as decisões a serem tomadas visando 2011.

Não vou ser oportunista de criticar antes do tempo, mas manter um pressionado e odiado Celso Roth, ao meu ver, é um erro.

2011 chega, e sonhar com o Tri da América não é nenhum devaneio.

Muito menos o bi da Recopa. E oxalá, ter ambição e gana de conquistar o brasileiro.

É hora de sacudir a poeira, levantar a cabeça e reavaliar.

Sem jamais esquecer os detalhes.


Ps: Parabéns ao Louis pela excelente, excepcional cobertura do Mundial. Não há palavras para agradecer tudo que o blog já fez a estes devotos colorados, então fica aqui um singelo e simples “Muito obrigado!”

Ps 2: Jogo um café que CJR não termina o primeiro semestre no comando do time e reassume o Abel Braga. Quem quiser apostar, não precisa ser café, só me procurar.

Ps 3: Veículos noticiam que Piffero tomou um empréstimo de 18 milhões de reais nos últimos dias, e a real situação financeira do Inter está muito distante da propagada gestão “viável financeiramente". Ai vem o Affatato e diz que trata-se de procedimento normal e que o valor foi apenas de R$ 4 milhões. É justamente esse tipo de notícia "plantada" que fomenta a suspeita de imprensa azul. Será que não checam fontes? Pelo amor de deus.