terça-feira, maio 10, 2011

Falcão deve ficar

Antes de tudo, para os que me chamaram de pé frio por conta de quarta passada, agora está provado que não tenho nada a ver, pois nem passei perto do BR neste domingo! :-)

 
Agora, vou me arriscar aqui e dar uma opinião forte sobre Falcão e o time. Falcão deve ficar. Chega de dancinha de técnicos. Não há mais argumento para defender mudanças de técnicos, quando não há técnicos diferenciados na praça. Ou alguém vai provar que há algum?

Não entendo alguns (muitos) torcedores. Entendo gosto e por isso compreendo que alguns simplesmente não gostem do Falcão (como técnico ou até como jogador). Mas querer condená-lo pelos resultados do time, quando já sabemos que o time vai mal desde a era titiana, exceto pelo "apagão de bom futebol" que foram as partidas com Roth na LA? Não, isso não se justifica. Falcão tem errado? Claro que sim! Mas ele mal chegou e conta com dois tipos de informações: uma, a que é oferecida por dirigentes, jogadores e gente da comissão técnica que ficou no clube; outra, a performance dos jogadores nos treinos.

Sobre o primeiro tipo de informação, convenhamos, só é útil por falta de opção, pois é muito pouco confiável. Medalhões vão continuar forçando a barra pra jogar, vão se promover, vão usar sua "experiência" pra ganhar o treinador. Os dirigentes, bem, esses quase nunca sabem o que fazem, pra não dizer de seus interesses escusos na escalação. A comissão técnica até poderia ajudar, mas fatores como amizade devem interferir bastante. Resta então decidir com base nos treinos e nos jogos.

Qualquer pessoa que já jogou campeonatos sabe que há jogadores de treino e jogadores de jogo. Eu, quando adolescente, joguei basquete por um clube da minha cidade. Nos treinos, jogava solto, fazia algumas belas jogadas, tinha bom drible. Mas nos jogos, eu era reserva por uma simples razão: eu travava nos jogos. Sentia muito a pressão e não conseguia fazer o que sabia. Portanto, no basquete eu era jogador de treino (ou pelada). E como o técnico vai perceber isso? Com os treinos e os jogos, na medida em que ele experimenta. O problema do futebol, comparado ao basquete ou vôlei, é que não se pode substituir e testar à vontade. No caso do Falcão, pior ainda, pois ele só teve decisões desde que chegou e tentou ser o mais conservador possível, dadas as circunstâncias. Mudou, mas pouco.

Diante disso, alguém em sã conciência quer que o cara acerte tudo de cara? Nada disso. A situação do Inter deve 90% à herança maldita dos últimos técnicos, dirigenes (Alecsandro e Mathias são obra de Fernando Carvalho) e parte do elenco, mais 10% por erros dele, completamente compreensíveis. Isso quer dizer que tenho certeza de que Falcão vai se mostrar um ótimo técnico? Claro que não. Mas acredito e defendo que ele tenha tempo para isso. Ele vai precisar ter coragem para fazer uma grande mudança no time. Pelo menos metade do time titular, para mim, deve ser colocada de lado (alguns vendidos/dispensados - Bolívar (fruto podre do elenco), Índio, Mathias, Sóbis -, outros pra reserva - Kléber, Nei, Tinga, Andrezinho).

É preciso montar um time com motivação pra jogar, mas principalmente um time mais JOVEM, com gás. Falcão terá coragem? Não sei, mas quero esperar pra ver. Novamente, como disse no texto anterior, é preciso iniciar um novo plantio, começando por arar a terra. Não há colheita a cobrar de Falcão, se ele ainda nem pode plantar nada. Quem se recusa a comprender isso, é por obtusidade mesmo, infelizmente. Falcão está perdido no momento, mas pode achar o caminho se lhe for permitido tentar.