terça-feira, maio 31, 2011

Vamos aos jovens!

Bom dia, pessoal. Tenho refletido bastante sobre as discussões recentes aqui. Acredito que as críticas tem fundamento, mas por focar demais nelas estamos nos tornando amargos em demasia, não concordam? Portanto, neste texto, resolvi exercitar outro tipo de olhar. Antes de seguir com o tópico principal, apenas uma nota: Diana e Nelson, fiquei feliz por ter um sinal de vida de vocês. Entendo a correria, mas peço que  não deixem de se manifestar, mesmo que num "revezamento" semanal.

Estou decepcionado com o Falcão e a direção, todos aqui sabem. Com o time, não, pois eu não esperava mais desse time titular. Mas há esperança. Em relação à direção, temos um diretor de futebol atuante, apaixonado pelo Inter e disposto a tentar, mesmo que errando. Siegmann não pode ser acusado de omissão. Em relação aos contratos, eu até entendo, embora reprove. É possível que o mercado esteja escasso e isso dificulta dispensas. O temor de não ter reposição faz o clube renovar e, claro, pagando caro, pois é difícil (em qualquer situação) baixar salários.

Segundo, talvez Siegmann e Falcão temam que, dispensando por exemplo o Bolívar, eles dêem uma mensagem aos demais veteranos do tipo "olha, ficou velho vai dançar". Como se o clube fosse descartá-los sem mais nem menos e como se o problema de Bolívar fosse apenas a idade. Não é o caso e as dispensas poderiam ser feitas naturalmente, desde que se jogasse aberto e isso se inserisse dentro de uma estratégia global (e de conhecimento de todos) do Inter de manter sempre uma idade média adequada no time titular. Mas, enfim, eu entendo a dificuldade dessa questão. Fácil não deve ser.

Há muita coisa bem feita no Beira-Rio. Temos uma ótima comissão técnica, um grande trabalho de base. Temos estrutura, salários em dia, uma torcida apaixonada (mas que precisa sentir a garra do time). Enfim, os elementos "extra-campo" estão presentes. Agora, pergunto, Siegmann e Falcão, por que não renovar o time e dar novos ares? Temos jovens que "caem de maduro" por tanta falta de chance. Até hoje lamento o caso do Marquinhos. Um jogador que mostrou potencial, mas foi severamente punido por alguns erros ou jogos ruins. Jovens não ficam "prontos" sem jogar. Futebol é força e vitalidade, além da técnica. Nossos jovens saem do Brasil aos 18, 19, 20 anos, pra jogar na Europa, no máximo com alguns meses de preparação física.

Agora, pergunto: nosso Inter é um celeiro de ases que só servem pra Europa? Nossos jovens tem que esperar completar 25 anos, na reserva, até estarem "prontos"? Vejam, veteranos são importantes, ninguém nega isso. Mas eles podem atuar e passar sua experiência estando na reserva. Os jovens precisam jogar, justamente pra terminar de amadurecer. Os garotos vencem em nossas categorias de base e vão vencer no time profissional, tenho certeza. Falcão, você é um cara educado, sensível e conhece de futebol. Mas não tenha medo de ousar com os guris. Não queime o Oscar, como tem feito. Você tira todo o "tesão" dos garotos, quando os critica severamente por alguns erros e nunca diz um "a" sobre Bolívar, Kléber e outros veteranos. Todos podem jogar mal, menos os garotos. E por quê?

Você teme queimá-los, achando que a torcida não vai ter paciência? Ledo engano. Converse com a torcida, explique que você vai formar um time mais jovem, que precisará do nosso apoio e o terá. Mas não peça para apoiarmos veteranos que já não empolgam mais a torcida. Por mais que Bolívar e Kléber (me restrinjo aos titulares) queiram, eles não tem mais motivação. Não conseguem se dedicar tanto quanto jovens em começo de carreira, pois além da idade, já venceram muito, até mais do que se esperava deles. Siegmann e Falcão: vamos aos jovens! É o que a torcida pede nesse momento. O Inter do "melhor elenco" ficou pra trás. Temos que renovar. Imaginem um forte time de jovens, com um banco experiente, com veteranos vencedores como os atuais?! Que clube teria isso no país?

Tragam os guris e vamos colocá-los pra jogar, sem pressa, sem pressão, deixando eles errarem, dando apoio, incentivando, orientando. Lembrem-se, Falcão e Siegmann: nosso título da LA ano passado, nos jogos mais difíceis, veio pelos pés de Giuliano, um jovem então de 20 anos que quase não teve chance no time titular. Envelhecer faz parte e somos gratos aos nossos veteranos, inclusive o Bolívar, por tudo que fizeram. Mas isso é futebol, esporte físico. Não tem nada de feio em sair do time titular, simplesmente por que há jovens pedindo passagem. Esse gesto por parte dos dirigentes significa responsabilidade e capacidade gerencial. Já da parte dos veteranos, esse gesto significa humildade e amor ao clube que tanto defenderam.


Se somos capazes disso? Tenho certeza que sim! Mesmo com toda a angústia, convoco meus irmãos colorados a renovarem sua paciência. Vamos respirar fundo, esperar e torcer. Me dói ver o que fazem com nossos jovens, mas vou esperar. Não criticarei o Falcão e nem os jogadores nas próximas rodadas, darei o tempo que pedem. Mas façam valer.